Rijkaard apela ao "fair-play"

O treinador do Barcelona fez um apelo aos adeptos e jogadores catalães para darem o seu melhor no duelo com o Chelsea, enquanto José Mourinho não atira a toalha ao chão.

Frank Rijkaard acredita que um encontro de alto nível, como o que coloca em confronto FC Barcelona e Chelsea FC, constitui uma boa oportunidade para a equipa catalã e os seus adeptos deixarem uma imagem de respeito. O treinador holandês reagiu desta forma à enorme tensão reinante na antecâmara da partida da segunda mão, na sequência dos apupos dirigidos a José Mourinho por um pequeno grupo de adeptos do Barça, no Aeroporto de Barcelona. No que ao jogo diz respeito, Rijkaard também acredita que a sua equipa aprendeu a lição da época passada e vai carimbar o passaporte para os quartos-de-final.

Barça em vantagem
O autogolo de John Terry e o cabeceamento de Samuel Eto'o renderam aos espanhóis uma vantagem de 2-1 para gerir no encontro da segunda mão, em Camp Nou. Rijkaard acredita que os seus jogadores vão corrigir a frustração da temporada transacta, quando foram eliminados pelos londrinos, em Stamford Bridge. "Tenho dois sonhos", confessou Rijkaard. "Como técnico, quero vencer o jogo e passar à próxima eliminatória. Como homem, penso que se trata de uma boa oportunidade para condenar todo o tipos de agressões e excessos. Espero que os adeptos do Barcelona possam ser um exemplo de 'fair-play', brindando com um enorme aplauso a entrada da equipa do Chelsea e de José Mourinho".

Respeito
"Temos de ter presente que Mourinho já trabalhou no Barça e guarda boas recordações deste clube. Portanto, o melhor que pode acontecer é ninguém dirigir insultos a ele ou aos seus jogadores. O aspecto humano e desportivo são compatíveis. Assisti, na televisão, aos incidentes do aeroporto, e o que aconteceu a Mourinho não é nada bom. É uma grande oportunidade para mostrarmos que respeitamos a equipa do Chelsea. Esta é uma vertente em que o futebol precisa de evoluir. O resultado é-nos favorável, mas cada jogo tem a sua história".

Messi motivado
Rafael Márquez recuperou de um traumatismo sofrido na partida com o RC Deportivo La Coruña que, no passado sábado, os catalães venceram, por 2-1, e vai manter a titularidade no eixo da defesa, ao lado de Carles Puyol. "Ele está bem", confirmou Rijkaard, aproveitando para acrescentar que Lionel Messi está pronto para o grande desafio, apesar de se ter tornado no centro de todas as atenções após a partida da primeira mão. "Não estou, definitivamente, nada preocupado com ele", desvaloriza o treinador holandês. "Penso que a pressão o motiva".

A estratégia de Mourinho
José Mourinho explicou que tomou a opção de sair primeiro do que os seus jogadores na chegada à capital da Catalunha para, dessa forma, desviar a pressão. O técnico português acredita que o seu plano foi perfeito. "Quando fui o primeiro a abandonar o aeroporto, sabia o que estava a fazer", declarou o campeão inglês. "Depois de eu ter passado, os jogadores não foram sujeitos a qualquer pressão e apenas se limitaram a dar autógrafos e a ser fotografados. Saí primeiro e os 'mauzões' seguiram-me. Aquilo que vou fazer esta terça-feira é subir primeiro ao relvado e tentar a agarrar as 'boas' sensações da multidão, para tentar passá-las aos jogadores. São jogadores experientes e devem estar preparados para lidar com a situação, mas é algo pessoal e não posso controlar a forma como vão reagir".

Pensamento positivo
Não obstante lutar contra uma desvantagem de um golo, o treinador português mostrou estar confiante. "Eles possuem a vantagem no marcador e o reforço psicológico de actuarem em casa, mas, no futebol, as coisas podem sempre alterar-se. Antes dos jogos, penso sempre positivo". Frank Lampard treinou durante uma hora na sessão de trabalho em Camp Nou e deverá marcar presença no 'onze' inicial, depois de Mourinho ter afirmado que o médio jogaria caso não se ressentisse de um problema num tendão. Lampard não participou na vitória (2-1) no reduto do West Bromwich Albion FC, no passado sábado. No entanto, os londrinos não poderão contar com Asier Del Horno, expulso há duas semanas, bem como Michael Essien, que cumpre o segundo jogo de castigo.