Houllier quer dominar

O treinador do Lyon, Gérard Houllier, apelou à sua equipa para que assuma desde logo o controlo da eliminatória e garanta a terceira presença consecutiva nos quartos-de-final.

O treinador do Olympique Lyonnais, Gérard Houllier, apelou à sua equipa para que esta assuma desde logo o controlo da eliminatória dos oitavos-de-final da UEFA Champions League, frente ao PSV Eindhoven, possibilitando, desta forma, a terceira presença consecutiva dos campeões franceses nos quartos-de-final da prova.

Posição forte
A tangencial vitória do Lyon no Philips Stadion, obtida há duas semanas atrás graças a mais um livre directo de Juninho Pernambucano, deixou a formação onde actua o português Tiago com o estatuto de favorita à passagem à fase seguinte, tendo particularmente em conta o registo dos franceses no Stade Gerland. O líder da Ligue 1 não perde em casa para a UEFA Champions League desde 2002, quando o AFC Ajax surpreendeu o conjunto então liderado por Paul Le Guen, triunfando por 2-0. Desde então, o Lyon venceu nove vezes e empatou quatro.

"Controlar o jogo"
Mas o PSV tem demonstrado excelentes capacidades de recuperação em tempos mais recentes, pelo que Houllier não pretende deixar nada ao acaso. "Estamos muito orgulhosos da nossa vitória na primeira mão, mas ainda há muito a fazer. Não vou revelar a forma como vamos abordar o jogo, mas posso dizer que a noção de controlo é muito importante. Não quero apenas que façamos a gestão da partida, quero que a controlemos", indicou o treinador dos franceses.

A determinação do PSV
Manter os semi-finalistas da época passada afastados da baliza francesa não será uma tarefa fácil. A equipa de Guus Hiddink esteve em desvantagem em ambas as mãos da épica eliminatória dos quartos-de-final da época transacta, antes de prosseguir na prova mercê do triunfo no desempate por grandes penalidades. No mês passado, na partida de Eindhoven, os holandeses continuaram a mostrar-se perigosos, tendo por duas vezes criado apuros ao guardião Grégory Coupet.

Frustração do Lyon
Houllier espera que as recordações da eliminação da época passada sejam uma fonte adicional de motivação. "Toda a gente ficou frustrada com o que sucedeu", afirmou o antigo seleccionador francês e treinador do Liverpool FC. "Os meus jogadores têm o mesmo tipo de determinação para alterar o passado que os do FC Barcelona relativamente ao Chelsea FC. Ainda se lembram quão tristes se sentiram e estão ansiosos por fazer melhor".

Lesões na defesa
O Lyon, uma vez mais, vai jogar com uma defesa remodelada, pois Jérémy Berthod, Sylvain Monsoreau e Anthony Réveillère, para além do capitão Cláudio Caçapa, estão todos lesionados. Apesar da recente onda de lesões, a caminhada do Olympique rumo ao quinto título francês consecutivo prosseguiu no sábado, com o triunfo por 3-1 sobre o AJ Ajaccio, resultado que veio terminar com os rumores de crise da equipa, na sequência da surpreendente derrota por 4-1 frente ao Stade Rennais, de Laszlo Bölöni. "Muito foi dito sobre a derrota com o Rennes, mas também não quero pensar muito a esse respeito. O mais importante é reagir de forma positiva", acrescentou Houllier.

Govou suspenso
François Clerc continuará no lado direito da defesa, com Cris novamente disponível, após ter fracturado o nariz, a fazer dupla com Patrick Müller no centro da defesa. Entretanto, Sylvain Wiltord deverá render o suspenso Sidney Govou na frente de ataque e John Carew está novamente apto, devendo jogar no lugar de Fred.

Reiziger em dúvida
O PSV também tem algumas preocupações na sua defesa. André Ooijer está de fora, após ter fracturado um pé, e tanto Michael Lamey (gémeos) como Michael Reiziger (mão) se encontram em dúvida. Hiddink deixou no ar a possibilidade de apostar em Reiziger, enquanto Jan Vennegoor of Hesselink também poderá alinhar de início, apesar de um problema num joelho. "Poderei colocar estes jogadores de início e ver como as coisas correm. Ou poderei deixá-los no banco, dando-me algumas opções válidas durante a partida", indicou o também seleccionador da Austrália e antigo seleccionador da Holanda e da Coreia do Sul.

"Tudo é possível"
O técnico do PSV insistiu que todos os seus jogadores necessitam de estar no seu melhor se quiserem afastar uma equipa do Lyon que o próprio Hiddink acredita ter melhorado relativamente à época passada. "Empatámos a uma bola na última vez que aqui estivemos. Uma vez que o Lyon está ainda mais forte e que o PSV vendeu vários jogadores, será extremamente difícil. Mas eu conheço os meus jogadores e eles nunca desistem. Se todos estiverem a cem por cento e se nos impusermos no encontro desde o início, tudo será possível", concluiu Hiddink.

Topo