Capello aponta o caminho

Fabio Capello espera uma reacção enérgica por parte da sua Juventus na recepção ao Werder Bremen, de forma a dar a volta à derrota por 3-2 trazida da Alemanha.

2005/06 Highlights: Juventus-Bremen

O treinador da Juventus, Fabio Capello, espera uma reacção enérgica dos campeões italianos e actuais líderes da Serie A para que ultrapassem a desvantagem de 3-2 trazida da Alemanha, onde perderam com o Werder Bremen, e se qualifiquem para os quartos-de-final da UEFA Champions League.

Golos ao cair do pano
Após o dramático embate do Weserstadion, onde os golos de Tim Borowski e Johan Micoud completaram uma fantástica reviravolta no marcador, a equipa de Thomas Schaaf chega ao Stadio Delle Alpi com uma valiosa vantagem. Capello, que abomina particularmente as fragilidades defensivas, sabe que mais um brinde poderá representar o fim das ambições europeias da Juventus pela segunda época consecutiva. "Espero que os jogadores estejam irritados – deveriam estar, pelo menos. Sofrer aqueles golos no final não soube nada bem", indicou o técnico transalpino.

Dez pontos de vantagem
O treinador "bianconeri" ficou certamente satisfeito por a sua equipa não ter sofrido golos no sábado, quando triunfou no terreno da UC Sampdoria, por 1-0, naquele que foi o 23º triunfo da presente temporada para a Liga italiana. "Os indicadores são muito positivos. Excepto uma vez em que acertaram na trave, o Gianluigi Buffon não foi particularmente incomodado e a equipa esteve concentrada durante os 90 minutos", assinalou Capello. O moral está elevadíssimo, uma vez que os dez pontos de avanço que a "vecchia signora" dispõe na Serie A a deixa a uma curta distância do seu 29º título transalpino.

Zambrotta e Trezeguet de volta
Capello prosseguiu: "Esta época tornámo-nos numa equipa bastante forte. Somos capazes de vencer qualquer adversário. O triunfo no sábado foi importante e termos toda a gente apta também. Isto aumenta fortemente os nossos níveis psicológicos e significa que estamos confiantes no que diz respeito a uma vitória frente ao Bremen". O regresso de Gianluca Zambrotta é particularmente importante para Capello, principalmente porque os dois derradeiros golos do Werder Bremen surgiram do lado direito da defesa da Juve. Espera-se que o francês Jonathan Zebina jogue do lado oposto do quarto defensivo. David Trezeguet também recuperou de uma lesão a tempo, mas o defesa croata, Robert Kovač, a contas com uma lesão num joelho, não logrou estar apto, ao passo que Zlatan Ibrahimović terá ainda de submeter-se a um derradeiro teste antes do início do jogo.

Natureza ofensiva
Ainda é uma incógnita se os visitantes se vão remeter ao seu reduto e defender a vantagem ou voltar a pressionar a Juventus com uma toada mais ofensiva. Capello crê que o Werder Bremen não mudará a sua filosofia de jogo: "Eles têm jogadores que determinam que o jogo será disputado de uma certa forma. É pouco provável que mudem a sua forma de jogar, especialmente quando há a tentação adicional de marcar um golo fora de casa". O seu homólogo do Werder Bremen, Thomas Schaaf, confirma as expectativas do treinador italiano: "Será um erro actuar defensivamente. Temos jogadores com grande capacidade ofensiva e seria errado ignorar as suas características, embora, obviamente, não possamos negligenciar as nossas tarefas defensivas", acrescentou.

Experiência na Europa
Apesar da vantagem na eliminatória e o regresso dos defesas Frank Baumann e Naldo, o treinador do Bremen insiste que a sua equipa ainda não é a favorita ao triunfo na ronda – um rótulo que, ainda assim, não o impede de sonhar com o apuramento para os quartos-de-final pela primeira vez na história do clube. "A Juventus tem vários jogadores de excelente qualidade e são melhores que nós teoricamente, pelo que é esperado que vençam. Mas essa é a beleza do futebol: não é jogado em teoria e tudo pode acontecer", assinala.

"Aprendemos a cada jogo"
O que é certo é que o Bremen não cairá nesta fase como o fez na época passada, quando perderam por 3-0 em casa com o Olympique Lyonnais, antes de serem dizimados em França por 7-2. Schaaf concluiu: "Adquirimos, entretanto, bastante experiência europeia e aprendemos a cada jogo, especialmente nos maus. Os jogos com o FC Barcelona, Valencia CF, AC Milan e Lyon ensinaram-nos sempre algo. A experiência surtiu efeito na primeira mão e esperemos que volte a surtir na segunda".

Topo