Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

1997/98: Real no sétimo céu

O Real Madrid conquistou pela sétima vez o troféu ao bater na final a Juventus com um golo solitário de Pedrag Mijatović.

1997/98: Real no sétimo céu
1997/98: Real no sétimo céu ©Bongarts

Real Madrid CF 1-0 Juventus
(Mijatović 66)
Amsterdam ArenA, Amsterdam

A generalidade dos clubes ficaria satisfeita com a conquista de uma Taça dos Campeões Europeus. Mas isso não se aplica ao Real Madrid CF. Seis vezes vencedor da competição - o último sucesso remontava a 1966 -, os "merengues" foram frustrados em várias tentativas de alcançar o sétimo título. Mas essa "maldição" terminou na época de 1997/98, para gáudio dos "tradicionalistas" europeus.

Logicamente, isso não ficou a dever-se à existência de uma qualquer militância activista a apoiar os "merengues", mas antes porque o Real Madrid foi um campeão sem mácula, na época em que a UEFA Champions League foi alargada aos segundos classificados das oito melhores ligas europeias. Esta mudança integrou a última grande alteração ao formato do torneio, com duas pré-eliminatórias a filtrarem 16 das 48 equipas, divididas, posteriormente, em seis grupos de quatro. Foi nesta fase que se juntaram os oito cabeças-de-série.

Sem qualquer surpresa, apenas um dos segundos classificados das ligas europeias conseguiu passar a fase de grupos e atingir os quartos-de-final: o Bayer 04 Leverkusen. A sua carreira terminou, sem motivos para espanto, em Madrid. Demasiado fortes para Rosenborg BK, Olympiakos Piraeus FC e FC Porto, a concorrência que calhou em sorte no Grupo B, os homens de Jupp Heynckes apresentaram a mesma dinâmica no embate com o Leverkusen e carimbaram a presença na meia-final com o BV Borussia Dortmund. Na verdade, os detentores do troféu deram menos problemas do que os adeptos do Santiago Bernabéu, que provocaram um atraso de 45 minutos no arranque do encontro, ao derrubarem a vedação situada por detrás de uma das balizas.

Quando, finalmente, o encontro começou, Fernando Morientes e Christian Karembeu apontaram os golos da vitória (2-0) espanhola, seguida de um empate a zero em Dortmund. A outra meia-final colocou em confronto Juventus e AS Monaco FC - que tinham deixado pelo caminho FC Dynamo Kyiv e Manchester United FC, respectivamente - e também aqui não houve margem para contestação. A formação italiana ganhou o direito à presença em Amesterdão com um resultado de 6-4 no cômputo dos dois jogos. No entanto, a final não foi tão pródiga em golos. Apenas um foi apontado, na segunda parte, por Pedrag Mijatovic, que permitiu ao Real levar o sétimo título para casa.

Topo