Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

1969/70: Feyernoord estabelece nova ordem

1969/70: Feyernoord estabelece nova ordem
1969/70: Feyernoord estabelece nova ordem ©Getty Images

Feyenoord 2-1 Celtic FC (1-1 após prolongamento)

Uma nova década, uma nova ordem. Pela primeira vez nos 15 anos de competições, duas equipas do norte da Europa disputaram a final da Taça dos Clubes Campeões Europeus - Feyenoord e Celtic FC.

Nova expectativa
Os escoceses, vencedores em 1967, tiveram um papel fundamental na eliminação das equipas latinas, tradicionalmente favoritas. A formação de Jock Stein bateu o Benfica através da moeda ao ar, antes de eliminar a AC Fiorentina, nos quartos-de-final. O Feyenoord foi responsável pela saída do AC Milan, com uma vitória, por 2-0, em Roterdão, que valeu a eliminação dos campeões em título, por 2-1 no conjunto das duas mãos. Por isso, com os principais candidatos arredados - a Fiorentina foi a única equipa do sul da Europa nos quartos-de-final - estava lançada uma nova expectativa.

Kindvall decisivo
Primeiro, a meia-final entre o Celtic e o Leeds United AFC, que ficou conhecida como a "Batalha Britânica". O Celtic era o favorito dos neutros e acabou por vencer em Ellen Road, por 2-1, e depois por 1-0, em Hampden Park. A estreia do Feyenoord foi menos exigente, com vitórias sobre o Vorwarts Frankfurt/Oder e o Legia Warszawa. Ainda assim, os jogadores orientados por Ernst Happel estavam preparados para a final de San Siro. Afinal, estava em jogo um clube que havia mudado o nome de Feijenoord para a versão mais europeia que hoje conhecemos, tendo em vista, precisamente, estas ocasiões. Mesmo assim, foi preciso um golo de Ole Kindvall, no prolongamento, para o Feyenoord fazer jus ao nome europeu, depois de Rinus Israel ter feito o empate, no seguimento de um golo de Tommy Gemmell no primeiro tempo, para o Celtic.

Topo