O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Barcelona - Paris: retrospectiva, guia de forma, confrontos anteriores

Os oitavos-de-final arrancam em grande estilo com o regresso de Neymar, ex-avançado do Barcelona, a Camp Nou ao serviço do Paris.

Neymar festeja após marcar pelo Barcelona contra o Paris em 2017
Neymar festeja após marcar pelo Barcelona contra o Paris em 2017 Getty Images

Os oitavos-de-final arrancam em grande quando Neymar, ex-avançado do Barcelona, regressar a Camp Nou pelo Paris ainda com o último confronto entre as duas equipas na UEFA Champions League em mente.

• O Barça – num jogo em que Neymar teve um papel determinante – anulou uma derrota de 4-0 na primeira mão nesta fase da UEFA Champions League, há quatro anos, com um triunfo por 6-1 na segunda mão que operou uma recuperação verdadeiramente notável. Foi apenas a quinta vez nas competições da UEFA que uma equipa seguiu em frente após perder o primeiro jogo por uma margem de quatro golos – e única ocasião na fase a eliminar da UEFA Champions League.

Jogos entre Paris e Barcelona ao longo dos anos
Jogos entre Paris e Barcelona ao longo dos anos

• Esse foi um dos destaques dos quatro anos de Neymar como jogador do Barcelona antes de ingressar no Paris em 2017.

• O "hat-trick" do avançado brasileiro na sexta jornada desta época ajudou o Paris a garantir uma vaga nos oitavos-de-final como vencedor do Grupo H, enquanto o Barcelona teve de se contentar com a segunda posição no Grupo G após fechar a campanha com uma pesada derrota com a Juventus, em casa, que acabou com a longa invencibilidade dos Blaugrana em Camp Nou na UEFA Champions League.

• Desde que terminou a fase de grupos o Paris substituiu Thomas Tuchel por Mauricio Pochettino, que conhece bem a cidade de Barcelona como jogador e treinador.

Confrontos anteriores
• O último confronto entre Barcelona e Paris, nos oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2016/17, ficou para a história. A equipa francesa parecia estar bem encaminhada para seguir em frente depois de uma vitória na primeira mão, por 4-0, no Parc des Princes, ajudada por dois golos de Ángel Di María e um tento de Julian Draxler, mas o Barcelona ganhou por 6-1 em Camp Nou, com Neymar a bisar. Um autogolo de Layvin Kurzawa e um penálti de Lionel Messi ajudaram também a formação espanhola a dar a volta à eliminatória, antes de Sergi Roberto assinar o golo decisivo no quinto minuto dos descontos.

• Paris e Barcelona defrontaram-se quatro vezes em 2014/15. Na fase de grupos, o Paris venceu em casa por 3-2 e Marco Verratti marcou; Messi e Neymar fizeram o mesmo pelo Barcelona. No reencontro das duas equipas na sexta jornada, o clube da Catalunha garantiu o primeiro lugar do Grupo F com uma vitória em casa, por 3-1, recuperando do golo inaugural de Zlatan Ibrahimović graças a tentos de Messi, Neymar e Luis Suárez.

• Neymar marcou três golos na vitória total do Barça por 5-1 sobre o Paris nos quartos-de-final daquela época, um no triunfo por 3-1 na primeira mão no Parc des Princes e ambos os tentos no 2-0 em Camp Nou.

• Nos quartos-de-final de 2012/13, o Barcelona venceu o Paris devido aos golos apontados fora, após dois empates – 2-2 no Parc des Princes, 1-1 em Camp Nou. Messi marcou na primeira mão em Paris.

• O primeiro confronto entre as equipas na UEFA Champions League aconteceu nos quartos-de-final de 1994/95, quando o Paris venceu por 3-2 no total. Ao empate 1-1 em Espanha seguiu-se uma vitória em casa por 2-1 no Parc des Princes, com Raí e Vincent Guérin a marcarem nos últimos 18 minutos.

• O Barça venceu quatro dos últimos cinco encontros entre os dois clubes; antes disso, havia triunfado apenas em um de seis jogos, com três empates. A vitória aconteceu na final da Taça dos Vencedores das Taças de 1997, em Roterdão, onde Ronaldo apontou o único golo da partida.

Guia de forma
Barcelona

• O Barcelona perdeu em casa com a Juventus, por 3-0, na sexta jornada e cedeu o primeiro lugar do Grupo G aos italianos devido ao confronto directo, apesar da vitória por 2-0 em Turim na segunda jornada. A equipa de Ronald Koeman registou duas vitórias frente ao Ferencváros (5-1 c, 3-0 f) e ao Dínamo Kiev (2-1 c, 4-0 f) e garantiu o apuramento para os oitavos-de-final a dois jogos do fim. No entanto, a derrota contra a Juve significou que não venceu o seu grupo pela primeira vez desde 2006/07.

• Essa derrota na sexta jornada foi a primeira do Barcelona em 39 jogos em casa na UEFA Champions League, numa sequência que começou em Setembro de 2013 (V34 E4); o triunfo sobre o Lyon por 5-1, na segunda mão dos oitavos-de-final de 2018/19, eclipsou o anterior recorde da competição, de 29 partidas, estabelecido pelo Bayern entre Março de 1998 e Abril de 2002.

• O desaire frente à Juve também pôs fim à série de quatro anos e 25 jogos sem perder do Barça na fase de grupos da UEFA Champions League (V19 E6), desde a derrota por 3-1 no terreno do Manchester City, na quarta jornada, em 2016/17.

• Segundo classificado da Liga espanhola atrás do Real Madrid na época passada, o Barcelona participa pela 25ª vez na UEFA Champions League, um recorde da competição que partilha com o Real Madrid. Os Blaugrana estão presentes nos oitavos-de-final pela 17ª temporada consecutiva.

• Em 2019/20, o Barcelona somou 14 pontos e terminou com quatro de vantagem sobre o Dortmund no seu grupo, tendo somado sete pontos em casa e outros tantos fora.

• Tendo substituído Ernesto Valverde por Quique Setién como treinador, o Barcelona eliminou o Nápoles nos oitavos-de-final (1-1 f, 3-1 c), antes de sofrer a sua pior derrota europeia nos quartos-de-final, em Lisboa, ao ser goleado pelo Bayern por 8-2.

• A derrota na sexta jornada foi apenas a quarta do Barcelona nos últimos 38 jogos da UEFA Champions League (V24 E10).

• O Barcelona disputou 13 quartos-de-final seguidos na UEFA Champions League, um recorde na competição. A última vez que não conseguiu chegar a essa fase foi em 2006/07, a temporada anterior à actual em que não conseguiu ganhar o seu grupo.

• O Barcelona foi campeão europeu em cinco ocasiões, a mais recente em 2015, após bater a Juve na final, por 3-1. Koeman, que substituiu Setién como treinador em Agosto, marcou o golo da vitória contra a Sampdoria, em 1992, na primeira final em que participou.

• O golo de Messi frente ao Ferencváros, na primeira jornada, tornou-o no primeiro jogador a marcar em 16 campanhas consecutivas na UEFA Champions League.

• Ansu Fati, o jogador mais jovem a marcar na UEFA Champions League, também fez golo em casa diante do Ferencváros; o remate de Pedri fez com que, pela primeira vez na história da competição, dois jogadores com menos de 18 anos tivessem marcado no mesmo encontro.

• O golo de Fati na primeira jornada, com 17 anos e 355 dias, fez dele o primeiro jogador a marcar mais do que uma vez na UEFA Champions League antes de completar 18 anos.

• O Barcelona esteve sempre presente nos oitavos-de-final desde 2004/05, tendo vencido 14 dessas 16 eliminatórias. Perdeu duas das três primeiras, mais recentemente devido aos golos fora contra o Liverpool, em 2006/07 (1-2 c, 1-0 f), mas venceu as últimas 13 – incluindo diante do Nápoles em 2019/20 (1-1 f) , 3-1 c).

• Essa vitória sobre o Nápoles tornou o registo do Barça em casa nos oitavos-de-final em V14 E1 D1, com triunfos nos últimos 13 jogos.

• O Barcelona venceu os últimos seis jogos em casa na fase a eliminar da UEFA Champions League e também está invicto a partir da fase de grupos há 15 partidas em Camp Nou (V13 E2), desde a derrota por 3-0 com o Bayern na segunda mão da meia-final de 2012/13.

• O registo do Barcelona em eliminatórias a duas mãos contra adversários da Ligue 1 é de V5 D3; depois de perder as três primeiras, venceu as últimas cinco e derrotou o Lyon nesta fase da UEFA Champions League de 2018/19 (0-0 f, 5-1 c).

• Essa foi igualmente a quarta vitória consecutiva do Barça em casa frente a clubes franceses; o seu registo global contra formações da Ligue 1 em Camp Nou é de V9 E2 D1.

Paris

• O Paris venceu quatro dos seus seis jogos na competição esta época, incluindo os últimos três, em casa contra o Leipzig (1-0) e fora no terreno do Manchester United (3-1) antes de garantir um lugar nos oitavos-de-final com um triunfo por 5-1, em casa, sobre o İstanbul Başakşehir, na sexta jornada, resultado que também lhe garantiu o primeiro lugar do Grupo H. Os parisienses bateram igualmente o clube turco fora, por 2-0, na segunda jornada, entre derrotas por 2-1 em casa com o United e fora diante do Leipzig.

• Neymar é um dos melhores marcadores da UEFA Champions League esta temporada, com seis golos, os mesmos de Álvaro Morata, da Juventus, Erling Haaland, do Dortmund, e Marcus Rashford, do Manchester United, já eliminado.

• Campeão da Ligue 1 pela sétima vez em oito anos em 2019/20, e nona no geral, o Paris conquistou também as duas taças nacionais na temporada passada. Esta é a nona campanha consecutiva da equipa francesa na UEFA Champions League e a 13ª no total.

• O Paris alcançou a sua primeira final de uma Taça dos Campeões na época passada, mas perdeu por 1-0 com o Bayern, em Lisboa. Derrotou o Dortmund nos oitavos-de-final (1-2 f, 2-0 c), a Atalanta nos quartos-de-final (2-1) e o Leipzig (3-0) nas meias-finais a caminho do encontro decisivo.

• Os parisienses chegaram à fase a eliminar nas suas últimas nove participações na UEFA Champions League, embora a época de 2019/20 tenha sido a primeira vez em que atingiram as meias-finais desde 1995. Antes da época passada, o Paris foi eliminado três vezes seguidas nos oitavos-de-final.

• Sob o comando de Tuchel, o clube francês terminou em primeiro num grupo que inclui também Real Madrid, Club Brugge e Galatasaray em 2019/20. Venceu cinco dos seus seis jogos e empatou o outro, tendo sofrido apenas dois golos e terminado à frente dos “merengues” com mais cinco pontos.

• O Paris marcou em 34 jogos consecutivos da UEFA Champions League, igualando o recorde da competição estabelecido pelo Real Madrid entre 2011 e 2014, antes ficar em branco na final da época passada. A equipa francesa marcou em todas as seis partidas desta época, o que aumentou para 32 as partidas consecutivos na fase de grupos a festejar golos.

• O Paris ganhou 16 dos seus últimos 24 jogos da UEFA Champions League (E3 D5).

• Os franceses também saíram vitoriosos em oito dos últimos 15 encontros fora na UEFA Champions League (E2 D5) e ganharam quatro vezes seguidas antes de empatarem 2-2 com o Real Madrid na quinta jornada da época passada. Desde então, o seu recorde fora é V2 D2.

• O registo do Paris nos oitavos-de-final é V5 D3; o triunfo após recuperação frente ao Dortmund, na temporada passada, encerrou uma série de três derrotas consecutivas nessa fase que começou com o confronto de 2016/17 contra o Barça.

• O Paris venceu apenas duas das últimas 11 partidas disputadas frente a clubes espanhóis, em casa e fora (E2 D7).

• O empate 2-2 da época passada no terreno do Real Madrid pôs fim à série de cinco derrotas consecutivas do Paris fora diante de clubes da Liga espanhola, com três golos marcados e 15 sofridos nessa sequência de desaires.

• O registo do clube francês em jogos a duas mãos frente a equipas espanholas é V5 D4. Essas quatro eliminações ocorreram nos últimos quatro confrontos, três contra o Barcelona e, mais recentemente, ante o Real Madrid nos oitavos-de-final de 2017/18 (1-3 f, 1-2 c).

• O Paris não leva a melhor sobre um clube da Liga na fase a eliminar desde que eliminou o Valência, por 3-2 no total, nesta fase da UEFA Champions League de 2012/13; a vitória por 2-1 nessa primeira mão foi a última do Paris na Espanha, onde o seu registo subsequente é E2 D5.

Ligações e curiosidades
• Neymar marcou 105 golos em 186 jogos realizados em todas as competições pelo Barcelona entre 2013 e 2017, altura em que se transferiu para o Paris. O avançado brasileiro assinou o último golo da vitória sobre a Juventus, por 3-1, na final da UEFA Champions League em 2015 e ganhou dois títulos da Liga e três Taças de Espanha durante a sua passagem por Espanha, além do Mundial de Clubes em 2015.

• Rafinha foi jogador do Barcelona, onde chegou com 13 anos, de 2006 até Outubro de 2020, altura em rumou ao Paris. Apontou 12 golos em 90 jogos pela equipa sénior após a estreia em 2011 e fez parte da formação que venceu a UEFA Champions League, a Supertaça Europeia – marcou na vitória por 5-4 sobre o Sevilha – e o Campeonato do Mundo de Clubes da FIFA em 2015. O lateral brasileiro ajudou também o clube a conquistar três títulos da Liga e ergueu igualmente por cinco vezes a Taça de Espanha, tendo estado cedido ao Celta em 2013/14 e 2019/20.

• Mauro Icardi, que cresceu nas Ilhas Canárias e representou o Vecindario quando ainda era estudante, fez parte das camadas jovens do Barcelona entre 2008 e 2011, antes de partir para a Sampdoria, clube no qual se estreou como profissional.

• Jogaram juntos:
Clément Lenglet e Sergio Rico, Pablo Sarabia (Sevilha 2016–18)
Miralem Pjanić e Moise Kean (Juventus 2016–19)
Neto e Moise Kean (Juventus 2016/17)
Miralem Pjanić e Alessandro Florenzi (Roma 2012–16)
Miralem Pjanić e Marquinhos (Roma 2012/13)
Miralem Pjanić e Leandro Paredes (Roma 2014/15)

• Mitchel Bakker e Sergiño Dest fizeram parte da formação do Ajax entre 2012 e 2019; Frenkie de Jong também esteve no clube a partir de 2015.

• Também jogaram em Espanha:
Keylor Navas (Albacete 2010/11, Levante 2011–14, Real Madrid 2014–19)
Sergio Rico (Sevilha 2006–19)
Juan Bernat (Valência 2011–14)
Alessandro Florenzi (Valência 2020)
Ander Herrera (Saragoça 2008–11, Athletic 2011–14)
Pablo Sarabia (Real Madrid 2004–11, Getafe 2011–16, Sevilha 2016–19)
Ángel Di María (Real Madrid 2010–14)

• Jogaram em França:
Clément Lenglet (Nancy 2010–17)
Samuel Umtiti (Lyon 2002–16)
Miralem Pjanić (Metz 2004–08, Lyon 2008–11)
Ousmane Dembélé (Rennes 2010–16)
Martin Braithwaite (Toulouse 2013–17, Bordéus 2018 empréstimo)

• Colegas na selecção:
Jordi Alba, Sergi Roberto, Sergio Busquets, Ansu Fati e Juan Bernat, Pablo Sarabia, Ander Herrera (Espanha)
Samuel Umtiti, Clément Lenglet, Ousmane Dembélé, Antoine Griezmann e Layvin Kurzawa, Presnel Kimpembe, Kylian Mbappé (França)
Marc-André ter Stegen e Thilo Kehrer, Julian Draxler (Alemanha)
Francisco Trincão e Danilo Pereira (Portugal)
Philippe Coutinho, Neto e Marquinhos, Neymar (Brasil)
Lionel Messi e Ángel Di María, Leandro Paredes (Argentina)

• Umtiti, Dembélé, Griezmann, Kimpembe e Mbappé integraram o plantel da França que ganhou o Campeonato do Mundo de 2018. Dois golos apontados por Mbappé ajudaram os franceses a bater a Argentina de Messi, por 4-3, nos oitavos-de-final.

• Griezmann marcou os dois golos na vitória da França sobre a Alemanha de Julian Draxler, por 2-0, nas meias-finais do UEFA EURO 2016, em Marselha.

• Griezmann tornou-se no primeiro jogador francês a marcar frente a um clube do seu país numa final da UEFA, ao fazer dois dois golos no triunfo do Atlético sobre o Marselha, por 3-0, no encontro decisivo da UEFA Europa League de 2017/18, em Lyon.

• Pochettino jogou pelo Espanhol, rival citadino do Barcelona, entre 1994 e 2001, altura em que se transferiu para o Paris, e novamente entre 2004 e 2006, tendo marcado 15 golos em 318 jogos pelo clube em todas as competições. Perdeu nove dos 13 jogos contra o Barça como jogador (V1 E3).

• Pochettino foi também treinador do Espanhol de Janeiro de 2009 a Novembro de 2012, tendo na estreia empatado sem golos frente ao Barcelona na Taça de Espanha. O seu registo contra ao Barça, comando do Espanhol e do Tottenham, é V1 E5 D6, tendo a sua única vitória, por 2-1, acontecido na Liga espanhola em Camp Nou a 21 de Fevereiro de 2009.