Paris 2-0 Dortmund (total 3-2): Neymar lidera reviravolta do PSG

Golos na primeira parte de Neymar e Juan Bernat deram a volta à eliminatória e deixaram o Paris nos quartos-de-final.

Resumo: Paris 2-0 Dortmund
Resumo: Paris 2-0 Dortmund

O Paris deu a volta à derrota da primeira mão ante o Dortmund e garantiu um lugar nos quartos-de-final.

PARIS - DORTMUND: COMO TUDO ACONTECEU

Resumo do jogo

O Paris mandou no jogo desde o início ante um Dortmund que parecia querer aguentar a pressão dos da casa e marcar no contra-ataque. O plano de jogo dos visitantes sofreu um forte revés aos 28 minutos, quando Neymar escapou à marcação de Achraf Hakimi para cabecear em queda, após um canto de Ángel Di María.

O PSG não abrandou e continuou a pressionar, sendo premiado à beira do intervalo, quando Juan Bernat deu um simples toque que desviou para golo o cruzamento de Pablo Sarabia. O Dortmund mudou de atitude na segunda parte em busca do golo, mas o Paris resistiu sem grandes problemas, com a expulsão já perto do final de Emre Can a ser o culminar de uma noite para esquecer do Borussia.

Juan Bernat foi o Melhor em Campo
Juan Bernat foi o Melhor em Campo

Melhor em Campo: Juan Bernat (Paris)

Aitor Karanka, observador técnico da UEFA: "Defendeu muito bem ante um belo ala como Jadon Sancho e coroou a sua grande exibição com um golo decisivo."

A UEFA começou a distinguir com um prémio oficial o Melhor em Campo de cada jogo a partir dos oitavos-de-final da UEFA Champions League, de forma a reconhecer os melhores desempenhos na principal prova europeia de clubes.

Reacções:

Juan Bernat, defesa do Paris e Melhor em Campo: "Começámos bem o jogo. Aguentámos bem no final e agora estamos apurados - foi uma noite especial. O apoio e o barulho que ouvimos à chegada estádio deram-nos força."

Thilo Kehrer, defesa do Paris: "Foi uma partida empolgante até ao fim. Conseguimos o resultado que precisávamos e estamos muito felizes com isso. As pessoas desta cidade, os adeptos e a equipa estão à espera há muito tempo por um sucesso na UEFA Champions League. Não é o fim para nós - é um começo."

Lucien Favre, treinador do Dortmund: "No início foi difícil, eles pressionaram muito alto. Jogámos bem e não estivemos mal. O segundo tempo também não foi mau. Faltou-nos a decisão certa no último passe ou no passe anterior. Pressionámos, mas tivemos problemas em encontrar espaço. Também sofremos dois golos algo consentidos."

Mats Hummels, defesa do Dortmund:" É difícil dizer o que correu mal. Ambas as equipas tiveram poucas ocasiões. Falhar no canto [que deu o golo do Neymar] nunca deve acontecer, e no segundo golo tivemos algum azar. Nós nunca conseguimos criar situações de golo. Tivemos três, quatro meias ocasiões. O Paris não teve muito mais, mas não foi preciso."

Jadon Sancho é a imagem da desilusão depois do  Paris Saint-Germain ter marcado o segundo golo
Jadon Sancho é a imagem da desilusão depois do Paris Saint-Germain ter marcado o segundo goloUEFA via Getty Images

Estatísticas-chave

  • O Paris chegou aos quartos -de-final pela quinta vez. Foi afastado nos oitavos-de-final nas últimas três temporadas.
  • Pela primeira vez, o PSG apurou-se para a ronda seguinte da UEFA Champions League depois de perder a primeira mão.
  • Neymar esteve envolvido directamente em 38 golos em 28 jogos em casa na UEFA Champions League (20 pelo Barcelona, oito no PSG), marcando 26 golos e somando 12 assistências. O brasileiro nunca perdeu um jogo em casa na prova (V25 E3).
  • Quatro dos cinco golos de Bernat pelo Paris surgiram na UEFA Champions League
  • O PSG marcou pelo menos um golo nos últimos 32 jogos na UEFA Champions League
  • O Paris derrotou o Dortmund nas provas europeias pela primeira vez, tendo empatado duas vezes e perdido outra.
  • Axel Witsel, 31 anos, fez o seu jogo 100 nas provas de clubes da UEFA. É o 169º jogador a atingir a marca e o sexto belga.

Ficha de jogo

Paris: Navas; Kehrer, Marquinhos, Kimpembe, Bernat; Paredes (Kouassi 90+2), Gueye; Di María (Kurzawa 79), Sarabia (Mbappé 64), Neymar; Cavani

Dortmund: Bürki; Piszczek, Hummels, Zagadou; Hakimi, Emre Can, Witsel (Reyna 71), Guerreiro; Sancho, Haaland, Hazard (Brandt 68)

Topo