Factos: Barcelona-Nápoles

O golo marcado por Antoine Griezmann fora de casa na primeira mão deixou o Barcelona em vantagem depois do empate 1-1 em Nápoles.

Invencível em casa na UEFA Champions League há quase sete anos, o Barcelona acredita que vai estar pela 13ª vez consecutiva nos quartos-de-final, com o Nápoles a visitar Camp Nou com o duelo dos oitavos-de-final empatado 1-1.

• A primeira mão em Nápoles, o primeiro encontro de sempre entre dos dois clubes, terminou com 1-1 no marcador, com Antoine Griezmann a marcar aos 57 minutos e a responder ao golo apontado na primeira parte por Dries Mertens. Este remate certeiro permitiu ao belga tornar-se no melhor marcador de sempre do Nápoles.

• Este empate permitiu aos dois clubes manterem a invencibilidade na edição desde ano, no entanto, enquanto o Barça saiu vitorioso das últimas 12 campanhas nesta fase, o Nápoles sonha em ultrapassar pela primeira vez nos oitavos-de-final.

Guia de forma
Barcelona
• O Barcelona terminou com 14 pontos o Grupo F, com mais quatro que o segundo, o Borussia Dortmund. Metade deles surgiram em casa, com o clube catalão a bater Inter (2-1) e Dortmund (3-1), não tendo indo além de um 0-0 com o Slávia Praga, a primeira vez que ficou em branco num jogo em casa da fase de grupos desde 2012.

• O golo da vitória de Ansu Fati frente ao Inter na sexta jornada fez dele o goleador mais jovem da história da UEFA Champions League, com 17 anos e 40 dias. Bateu assim o recorde anterior, estabelecido a 1 de Outubro de 1997 por Peter Ofori-Quaye, do Olympiacos (17 anos e 195 dias).

• O Barcelona não perde em casa há 35 jogos na UEFA Champions League, uma série que começou em Setembro de 2013 (V31 E4). O triunfo por 5-1 sobre o Lyon na segunda mão dos oitavos-de-final da época passada permitiu superar o recorde anterior, de 29 jogos, que tinha sido estabelecido pelo Bayern entre Março de 1998 e Abril de 2002.

• O registo dos “blaugrana” em casa com clubes da Série A é de V18 E6 D2. O clube está invicto há 15 jogos em casa frente a italianos, tendo somado 12 vitórias, desde que perdeu por 2-1 com a Juventus na segunda mão dos quartos-de-final de 2002/03.

• Campeão da Espanha pela 26ª vez em 2018/19, o seu quarto título em cinco anos, esta é a 24ª participação da Barcelona na UEFA Champions League, um recorde da competição que partilha com o Real Madrid. Atingiu os oitavos-de-final ou melhor nas últimas 16 temporadas, vencendo o seu grupo em todas as épocas a partir de 2007/08. Está invicto nas últimas três presenças na fase de grupos e passou essa fase sem derrotas 13 vezes, máximo da competição.

• Em 2018/19, o Barcelona superou o Lyon nos oitavos-de-final (0-0 f, 5-1 c) e o Manchester United nos quartos-de-final (1-0 a, 3-0 h) tendo derrotado o Liverpool em casa na primeira mão das meias-finais por 3-0, mas seria afastado em Anfield pelo clube inglês, que venceu com uns incríveis 4-0.

• O Barcelona tem estado sempre nos oitavos-de-final desde 2004/05, vencendo 13 dos 15 embates. Os espanhóis perderam dois dos três primeiros, o último deles contra o Liverpool, em 2006/07, mas venceram 12 seguintes, ganhando em casa nas 12 eliminatórias. O clube nunca foi eliminado nos oitavos-de-final sempre que jogou a segunda mão em casa.

• O Barcelona venceu os três jogos em casa nas eliminatórias da época passadas e não perde há 14 jogos a eliminar em Camp Nou (V12 E2), desde a derrota por 3-0 com o Bayern na segunda mão das meias-finais de 2012/13.

• O registo do Barcelona em eliminatórias frente a equipas italianas é de V8 D5. Perdeu as duas últimas, ambas nos quartos-de-final da UEFA Champions League, contra Juventus em 2016/17 (0-3 f, 0-0 c) e Roma na época seguinte (4-1 c, 0-3 f).

• O Barcelona perdeu apenas dois dos seus últimos 30 jogos na UEFA Champions League (V18 E10).

• O Barcelona já foi cinco vezes campeão da Europa, a última delas em 2015.

• O Barcelona soma 26 empates fora de casa na primeira mão de eliminatórias nas provas da UEFA, conseguindo seguir em frente em 21 dessas ocasiões, incluindo no duelo com o Lyon nos oitavos-de-final da época passada (0-0 f, 5-1 c). Os espanhóis venceram dez das 12 eliminatórias em que empataram 1-1 na primeira mão fora de casa, a mais recente com o Chelsea nos oitavos-de-final de 2017/18 (3-0 c).

• O O registo do Barcelona em seis desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA é de V5 D1:

5-4 - AZ Alkmaar, segunda eliminatória da Taça UEFA de 1977/78

3-1 - Ipswich Town, terceira eliminatória da Taça UEFA de 1977/78

4-1 - Anderlecht, segunda eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1978/79

5-4 - IFK Gotemburgo, meia-final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1985/86

0-2 - Steaua Bucureşti, final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1985/86

5-4 - Lech Poznań, segunda eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1988/89

Nápoles 
• O Nápoles terminou em segundo no Grupo E com 12 pontos, um menos que o Liverpool. Somou cinco pontos fora de casa, empatou em Genk (0-0) e Liverpool (1-1) averbando apenas um triunfo, por 3-2 em Salzburgo.

• Segundo classificado na Serie A pela segunda temporada consecutiva em 2018/19, esta é a sexta presença do Nápoles na UEFA Champions League - todas nas últimas nove temporadas - e a terceira em que chegou aos oitavos-de-final, depois de 2011/12 e 2016/17.

• Os dois embates anteriores nos oitavos terminaram em derrota contra os futuros vencedores; o Real Madrid venceu o Nápoles por 3-1 em casa e fora em 2016/17 e, cinco anos depois, o Chelsea deu a volta a uma derrota na primeira mão por 3-1 em Nápoles, com um triunfo por 4-1 em casa, após prolongamento.

• O Nápoles venceu apenas sete dos últimos 21 jogos na UEFA Champions League, da fase de grupos à final (E7 D7) - todas essas vitórias, tirando o triunfo da terceira jornada desta temporada em Salzburgo, ocorreram no Stadio San Paolo.

• Depois de terminar em terceiro lugar, atrás de Paris Saint-Germain e Liverpool, na fase de grupos da última temporada, o Nápoles afastou Zurique (5-1 no total) e Salzburgo (4-3) na UEFA Europa League, sendo eliminado nos quartos-de-final pelo Arsenal, ao perder 2-0 fora e 1-0 em casa.

• A vitória desta época em Salzburgo e o triunfo em Zurique em 2018/19 são os únicos sucessos do Nápoles nos últimos nove jogos europeus fora de casa (E4 D3).

• O Nápoles perdeu as quatro últimas eliminatórias contra emblemas espanhóis: o seu registo total é de V1 D5, com a única vitória a surgir frente ao Valência na primeira eliminatória da Taça UEFA de 1992/93 (5-1 f, 1-0 c), com o duelo mais recente a ser frente ao Real Madrid em 2017.

• O registo total do Nápoles no reduto de adversários espanhóis é de duas vitórias e duas derrotas, com desaires nas últimas três deslocações. Os napolitanos não venceram nenhum dos últimos sete encontros com equipas da Liga espanhola, em casa e fora (E3 D4).

• O Nápoles foi eliminado nas cinco ocasiões em que empatou em casa na primeira mão nas provas da UEFA, a última das quais frente ao Dnipro nas meias-finais da UEFA Europa League de 2014/15 (1-1 c, 0-1 f). Foi a segunda vez em que empatou 1-1 em Nápoles no primeiro jogo; a outra tinha sido no início dessa época frente ao Athletic Club no “playoff” da UEFA Champions League (1-3 f).

• O registo do Nápoles nos três desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA é de V1 E2: 
3-4 - Toulouse, primeira eliminatória da Taça UEFA de 1986/87
4-3 - Sporting CP, primeira eliminatória da Taça UEFA de 1989/90 
3-5 - Spartak Moscovo, primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1990/91.

Prémio oficial para o Melhor em Campo da UEFA Champions League lançado 
A UEFA vai passar a entregar um prémio oficial de Melhor em Campo após cada jogo da fase a eliminar da UEFA Champions League para reconhecer os melhores desempenhos dos jogadores na principal competição europeia de clubes. A partir dos oitavos-de-final, os Observadores Técnicos da UEFA em cada partida da UEFA Champions League decidirão quem merece a distinção para o Melhor em Campo, com um prémio oficial a ser entregue aos jogadores depois do final do encontro, em reconhecimento do seu papel em momentos decisivos, maturidade táctica, criatividade e inspiração, habilidade excepcional e "fair play".

Topo