O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Clarence Seedorf junta-se à Direcção da Fundação da UEFA para as Crianças

A lenda do futebol tem um perfil global e mais de 20 anos de experiência de trabalho com projectos de solidariedade.

Getty Images

Clarence Seedorf juntou-se ao conselho de administração da Fundação da UEFA para as Crianças.

Seedorf, que continua a ser o único jogador a ter vencido a UEFA Champions League por três clubes diferentes, dedicou-se a projectos sociais durante a carreira de jogador e continua a fazê-lo depois de tê-la terminado, usando o poder do desporto para inspirar mudanças positivas.

"Estamos muito satisfeitos por o Clarence se juntar à família da Fundação da UEAF para as Crianças", disse o Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, que também é presidente da Fundação UEFA para as Crianças.

"Ele não apenas carrega uma história inspiradora como um dos jogadores de futebol mais bem-sucedidos da sua geração, como também usa continuamente as suas experiências para ajudar a tornar o Mundo um lugar melhor para os outros. Ter o Clarence na nossa equipa vai ser um enorme benefício para a Fundação no trabalho que fazemos juntos para melhorar a vida de crianças desfavorecidas em todo o Mundo."

Retribuição à comunidade

Seedorf encontra os adeptos num jogo de solidariedade da Fundação da UEFA
Seedorf encontra os adeptos num jogo de solidariedade da Fundação da UEFASPORTSFILE

Seedorf, que fala seis línguas e representou 87 vezes os Países Baixos, acrescentou: "É uma honra e um prazer juntar-me à Fundação da UEFA para as Crianças. Tenho acompanhado as suas actividades de perto e estou muito feliz por me juntar para apoiar o seu trabalho."

"Tenho vindo a conversar com o Presidente Čeferin há algum tempo e agradeço por ele ter abraçado a ideia de eu entrar para a equipa. Espero que possamos desfrutar deste relacionamento por muito tempo, fazer grandes coisas e retribuir às comunidades por todo o Mundo."

Clarence, bem-vindo à Fundação da UEFA para as Crianças. Como vê o desenvolvimento da sua função no conselho de administração?

"Penso que entrar para a Fundação é uma boa evolução da minha relação com a UEFA, que já existe há algum tempo, e juntos compreendemos a importância que o futebol tem na sociedade e na vida das crianças.

Estou envolvido com fundações há mais de 20 anos e isso me deu uma grande visão sobre o que é necessário para causar um impacto e criar projetos que façam a diferença.

Mas, primeiro, quero entender muito melhor e aprender com a posição da Fundação agora e como posso trazer meu conhecimento e experiência a bordo para atingir os objetivos da Fundação e, eventualmente, melhorar o que existe agora e trazer valor agregado como membro da equipe. Estou realmente ansioso por isso e estou muito orgulhoso desta nomeação."

Qual a importância de os jogadores e desportistas usarem a sua influência como uma força para o bem?

"Bem, muitos jogadores estão realmente envolvidos em organizações de solidariedade, sejam deles próprios ou emprestando os seus nomes a outras instituições ou organizações.

É algo muito pessoal e alguns estão mais envolvidos do que outros, alguns são visionários no que fazem e envolvidos em processos de tomada de decisão e outros preferem estar mais nos bastidores ou ser mais discretos.

Ninguém tem a obrigação dar a cara, mas acho que todos temos a obrigação de acrescentar valor a todos aqueles que nos deram tanto ao longo dos anos.

Sempre vi muita vontade dos jogadores em participar em boas causas e estou feliz por continuar a fazer a minha parte nisso, sem comparar ou ter expectativas em relação a outros. Acredito que devemos começar por nós próprios e tentar colocar o máximo no que pudermos."

Quem foram as suas inspirações e os seus modelos ao longo da sua vida?

Seedorf festeja a conquista da UEFA Champions League pelo Milan em 2007
Seedorf festeja a conquista da UEFA Champions League pelo Milan em 2007Bongarts/Getty Images

"As primeiras pessoas são meus pais, é claro. Sempre foram modelos muito positivos na minha vida. Diria também alguns dos professores que tive na escola e quando era jovem no futebol.

Nelson Mandela, em particular, desempenhou sempre e ainda desempenha um papel muito central no coração da minha missão – suportar as situações e iniciar um caminho para seguirmos e continuarmos a batalhar pelos menos privilegiados e por um mundo mais pacífico.

A minha convicção é que a paz vem por meio da educação, e a educação tem de ter, como espinha dorsal, o desporto, principalmente nas primeiras etapas da vida. Esses são os elementos-chave que acredito irão mudar o Mundo. E temos a capacidade e os meios para, como equipa, fazer essa diferença.

Penso que o papel que os jogadores têm hoje, ainda mais do que há de 20 anos, é ser um modelo positivo e estar ciente de que as crianças estão a ver-nos e a seguir as nossas acções e os nossos comportamentos.

Esses modelos de papel continuaram sempre a manter-me no caminho certo – aquele caminho espiritual, na verdade, de acrescentar valor onde podemos."

Mandela falou sobre o poder do desporto para inspirar mudanças no Mundo. Até que ponto pode ser importante como ferramenta social?

"Ele foi capaz de mudar a face de um país inteiro e a compreensão da união através do desporto. Por isso, é apenas uma ferramenta muito, muito forte, eficiente e eficaz quando usada correctamente.

É isso que acredito que devemos ter como objectivo: criar e abraçar projectos muito fortes e sustentáveis que usem o desporto como uma ferramenta fundamental para melhorar o desenvolvimento geral e a vida das crianças.

Está cientificamente comprovado que a prática de desporto entre os cinco e os 12 anos ajuda ao desenvolvimento cognitivo e criativo das crianças – deve ser um direito de todas as crianças."