O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Actualizações ao Protocolo de Regresso ao Jogo da UEFA confirmadas

Proibição de adeptos visitantes nos jogos das competições da UEFA não prolongada; decisão permanece sujeita a quaisquer requisitos impostos pelas autoridades nacionais/locais relevantes

©UEFA.com

O Comité Executivo da UEFA aprovou alterações significativas à quinta edição do Protocolo de Regresso ao Jogo da UEFA, que estabelece o quadro de procedimentos sanitários e de higiene, bem como protocolos operacionais a serem aplicados na realização de jogos das competições da UEFA.

No que diz respeito aos princípios médicos, as alterações são o resultado das campanhas de vacinação em curso em toda a Europa e da decisão de muitos países de permitir que os indivíduos vacinados e recuperados circulem livremente pelas fronteiras e participem em eventos públicos sem necessidade de realização de mais testes.

Relativamente aos princípios operacionais, as alterações aprovadas foram propostas no seguimento das experiências recolhidas em mais de 2000 jogos das competições da UEFA disputados com sucesso.

As principais actualizações do Protocolo de Regresso ao Jogo da UEFA, versão 5 (em inglês), são as seguintes:

1. Programa de testagem: (Secção 6)

Foi decidido excluir todos os indivíduos que estão totalmente vacinados contra o SARS-CoV-2 e/ou recuperaram da COVID-19 da realização de quaisquer testes adicionais para efeitos de entrada na Zona 1 em jogos da UEFA. No entanto, é importante observar que mantém-se a responsabilidade exclusiva da equipa de verificar antes de viajar para qualquer local de jogo noutro país se todos os indivíduos vacinados e/ou recuperados da equipa têm permissão para entrar no país e/ou estádio de acordo com os requisitos impostos pelas autoridades nacionais/locais competentes.

Isto inclui verificar se o tipo de vacinação de todos os indivíduos da delegação de uma equipa é aceite pelas autoridades do país que irá visitar para o jogo. No caso de serem aplicáveis quaisquer requisitos de entrada adicionais (por exemplo, teste à chegada), a equipa é responsável por cumprir essas regras para poder entrar no país em questão e participar no respectivo jogo da UEFA.

É responsabilidade das equipas organizar e custear a recolha das amostras e os testes junto de um fornecedor de serviços de teste credenciado. Se necessário, a UEFA pode, mediante pedido, prestar assistência às equipas na organização dos respectivos testes, utilizando o fornecedor de serviços de diagnóstico laboratorial por si nomeado.

2. Admissão de Espectadores: (Secção 13)

Tendo em conta as diferentes regras e os regulamentos aplicáveis nos territórios das federações-membro da UEFA, decidiu-se não aplicar mais o MHHRRS, mas deixar qualquer decisão no que diz respeito aos espectadores às autoridades competentes relevantes. Consequentemente, a secção relevante referente à admissão de adeptos no Protocolo de Regresso ao Jogo da UEFA foi adaptada em conformidade.

Além disso, em linha com as adaptações feitas ao Protocolo, a troca de bilhetes para adeptos das equipas visitantes deixou de ser proibida. Desta forma, as práticas padrão serão restabelecidas, ou seja, 5% da capacidade total permitida do estádio será reservada aos adeptos da equipa visitante, sujeito a qualquer decisão a este respeito sob a responsabilidade das autoridades competentes relevantes.

3. Princípios Operacionais: (Secções 5 e 14)

Foi decidido remover os requisitos de distanciamento obrigatório nas áreas de trabalho ao ar livre, o que também permitirá que ocorram operações adicionais no estádio e pode permitir que um maior número de detentores de direitos de transmissão e comunicação social assistam aos jogos. Todas as operações do estádio continuarão, como sempre, sujeitas a quaisquer regras ou exigências impostas pelas autoridades locais.