Missão possível para Dito

Com "cinco ou seis jogadores" com qualidade para jogarem na primeira divisão, o treinador da equipa de Braga, Dito, só pode estar confiante para a 7ª edição da Taça das Regiões da UEFA.

Dito quer levar a equipa de Braga à glória final na Taça das Regiões da UEFA
Dito quer levar a equipa de Braga à glória final na Taça das Regiões da UEFA ©Sportsfile

O treinador da equipa de Braga presente na 7ª edição da Taça das Regiões da UEFA, Dito, apresenta, sem sombra de dúvidas, o melhor currículo enquanto antigo jogador entre os treinadores dos oito finalistas da prova que arranca esta terça-feira no Minho. Esse facto, aliado à enorme qualidade que o técnico diz ter ao seu dispor, poderá inspirar os anfitriões rumo à conquista de um troféu que lhes escapou por muito pouco em 2001, quando foram derrotados na final pelos checos do Central Moravia, por 4-2, após o desempate por grandes penalidades.

Dito, um defesa-central de referência que representou, entre outros, o Sporting de Braga, o Benfica e o FC Porto, somou 17 internacionalizações por Portugal na década de 80, antes de enveredar por uma carreira de treinador que já o viu passar por clubes como o Chaves e o Portimonense. O técnico, de 49 anos de idade, espera agora acrescentar nova glória ao campeonato nacional conquistado ao serviço do Benfica em 1987, com a missão a conhecer o seu primeiro capítulo já esta terça-feira, por ocasião da estreia no Grupo A frente à Região de Zlín.

No que toca à preparação para este tipo de eventos, o conhecimento pode fazer toda a diferença, mas, como Dito fez questão de frisar ao UEFA.com, os treinadores presentes na mais importante competição amadora do Mundo têm de "jogar um pouco no escuro" face ao perfeito desconhecimento dos seus adversários. "No futebol não há, regra geral, segredos, mas aqui vamos ter de jogar um pouco no escuro", disse. "Não sabemos quase nada dos nossos adversários e o mesmo se aplica para eles".

"A única coisa que podemos fazer é estabelecer uma ligação entre estas equipas e o tipo de futebol que se pratica nos seus respectivos países", explicou o treinador da formação de Braga. "Não sabemos se uma equipa tem três, quatro ou mesmo mais jogadores capazes de decidir um encontro, mas a situação é igual para todos os participantes, pelo que não nos podemos queixar disso."

Dito respira confiança e sente que a sua equipa vai elevar ainda mais a sua qualidade de jogo à medida que o torneio avança. "Qualquer pessoa que perceba um pouco de futebol sabe que é muito diferente treinar de manhã ou ao final do dia", afirmou. "Estes jogadores trabalham todos durante o dia e apenas podem treinar depois disso, pelo que não conseguem render a 100 por cento. Acreditem que é muito mais difícil treinar uma equipa amadora do que uma profissional. Por exemplo, esta é a primeira vez que os meus jogadores estão a cumprir um estágio".

"Apesar disso, estamos muito confiantes," assegurou Dito, que não se coibiu de elogiar os seus comandados. "Há cinco ou seis jogadores da minha equipa que podiam perfeitamente representar clubes da primeira divisão. Qualidade não lhes falta, sendo que precisam apenas de acreditar que são realmente assim tão bons." Se Braga fizer jus às palavras de Dito, então os adeptos portugueses podem começar a planear os festejos para o próximo dia 28, data da final em Barcelos.