Hugo Veiga e Whelehan preparados

O médio de Braga, Hugo Veiga, espera acordar com um enorme sorriso na quarta-feira, algo que Ray Whelehan, de Leinster & Munster, quer impedir a todo o custo.

Hugo Veiga e Ray Whelehan encontraram-se antes da final da Taça das Regiões
©Sportsfile

Hugo Veiga e Ray Whelehan vão alinhar em lados opostos quando Braga defrontar Leinster & Munster, esta terça-feira, na final da Taça das Regiões da UEFA e, para o médio irlandês, o facto de simplesmente estar presente no jogo decisivo já sabe a vitória.

Quatro meses depois de ter participado na fase final do torneio de 2009, na Croácia, Whelehan contraiu uma rotura do ligamento cruzado do joelho esquerdo quando jogava pelo seu clube irlandês, o Wayside Celtic FC. Seguiram-se sete longos meses de recuperação até o médio voltar a estar suficientemente apto para disputar o que restava da temporada 2009/10. Tendo experimentado as profundezas da frustração durante o período em que esteve afastado dos relvados, o jogador de 27 anos está a reencontrar o prazer de actuar ao mais alto nível do futebol amador europeu.

"A lesão pôs as coisas sob uma nova perspectiva. Estar na fase final é brilhante para mim", disse Whelehan, electricista de profissão, ao UEFA.com. "Para mim, estar no relvado frente à equipa turca [0-0, na primeira jornada], marcar o golo frente a Belgrado no triunfo por 1-0 e depois ter voltado a jogar no domingo – eu estive mais ou menos, mas o desempenho da equipa supera qualquer exibição individual –, é fenomenal."

Enquanto Whelehan chamou a atenção com sua energia ilimitada, Hugo Veiga tem sido uma influência tranquila no centro do meio-campo do Braga, apurado para a final graças a três vitórias no Grupo A. "O nosso percurso até ao momento tem sido brilhante e queremos que continue assim", disse o Psicólogo do Desporto de 26 anos, autor de um golo na vitória da sua equipa, por 3-1, na primeira jornada, frente à equipa da Região de Zlín. "Estamos muito satisfeitos com a forma como temos vindo a jogar, mas a parte mais difícil ainda está para vir. Precisamos de dar o passo final e é precisamente isso que vamos fazer. Não queremos cair no derradeiro obstáculo."

Marcador de sete golos na história da Taça das Regiões da UEFA, Whelehan partilharia, sem dúvida, essas ideias à medida que se prepara para "o ponto mais alto" da respectiva carreira no Estádio Cidade de Barcelos. "Estou entusiasmado, mas, ao mesmo tempo, descontraído", acrescentou. "Acreditamos em nós próprios, a equipa respira confiança e estamos prontos: queremo-lo muito. Queremos ir para o relvado e fazer o que sabemos. Todos sentem a mesma coisa, desde os directores aos jogadores."

O mesmo pensa Hugo Veiga, cuja formação vai tentar penetrar numa defesa que apenas sofreu um golo em seis jogos na edição 2010/11 da principal competição de futebol amador da Europa. "Os irlandeses jogam juntos há muito tempo e são bastante experientes, mas vamos continuar fiéis ao nosso jogo", disse. "A final será decidida nos pormenores, mas vamos ganhar. Tenho a certeza de que irei acordar com um sorriso na quarta-feira." Whelehan certamente fará tudo o que puder para ser ele a ter o melhor despertar de todos.

Topo