O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Daniel Simões vive momento de ouro

Daniel Simões diz que nunca irá "esquecer estes sete dias", após Braga ter vencido a Taça das Regiões da UEFA, enquanto o herói José Fortunato confessa que parece que está "a flutuar".

O capitão de Braga, Daniel Simões, com o troféu da Taça das Regiões da UEFA
O capitão de Braga, Daniel Simões, com o troféu da Taça das Regiões da UEFA ©Sportsfile

O capitão Daniel Simões disse ao UEFA.com que ele e os seus colegas de equipa de Braga nunca irão "esquecer estes sete dias", isto após o conjunto anfitrião ter batido Leinster & Munster por 2-1 e conquistado a 7ª edição da Taça das Regiões da UEFA.

A voz de comando na pressionada defesa bracarense que se revelou preponderante para o sucesso na final disputada no Estádio Cidade de Barcelos, Daniel Simões mostrou-se encantado por ter atingido o ponto alto da sua carreira de futebolista. "É uma página de ouro no historial de cada um destes 20 jogadores," começou por dizer o central ao UEFA.com. "É possível que ainda venha a ter muitos anos de carreira pela frente, mas uma coisa é certa: nunca irei esquecer esta experiência, especialmente o momento em que erguemos o troféu."

Os golos de Pedro Nobre e de José Fortunato acabaram por tornar infrutífero o tento irlandês apontado por David O'Sullivan, garantindo para Portugal a primeira conquista da mais importante prova amadora do Mundo. "Tenho 27 anos de idade e talvez as pessoas já me considerem um veterano, uma vez que sou o capitão da equipa, mas ainda me sinto um jovem," prosseguiu Daniel Simões. "Não consigo descrever a felicidade que sinto neste momento. Tudo o que posso dizer é que esta experiência vai permanecer connosco até ao fim das nossas vidas."

A talentosa formação orientada por Dito defrontou um musculado e voluntarioso adversário na final, com Daniel Simões a admitir que o triunfo foi tudo menos fácil. "Tivemos de lutar arduamente por cada lance até ao apito final", explicou. "Eles foram uns dignos vencidos, o que apenas torna a nossa vitória ainda mais memorável. Agora, cada jogador vai regressar ao respectivo clube e prosseguir a sua carreira, mas nunca iremos esquecer estes sete dias."

Entretanto, o defesa-direito José Fortunato revelou que o seu golo aos 84 minutos, por sinal o momento decisivo do encontro, se ficou a dever a um pouco de sorte. "Mal podia acreditar quando vi a bola entrar na baliza, mas para dizer a verdade eu queria cruzar e não rematar," confessou ao UEFA.com. "Foi uma surpresa para mim, mas graças a Deus aconteceu dessa forma e isso permitiu-me ajudar a equipa a atingir o seu objectivo."

"O nosso plano passava por vencer o jogo nos 90 minutos e evitar o prolongamento," defendeu José Fortunato. "Jogámos bem e penso que merecemos por inteiro conquistar o troféu. Ainda não estou bem ciente da importância deste feito para a região e para o próprio país, mas estou certo que no futuro vamos olhar para trás e relembrar estes momentos como algo de único. Sinto-me como se estivesse a flutuar."