O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Vasca festeja na Polónia

Dacia 1-2 Vasca Uma vitória pela margem mínima sobre o Wolbrom foi suficiente para colocar desde já os representantes espanhóis na final de sábado.

Por Jim Wirth, no Estádio LKS Przeboj

O Vasca garantiu a presença na final da Taça das Regiões da UEFA, depois de bater em Wolbrom o Dacia, por 2-1, graças a dois golos de Roberto Correa.

Menos dominador
Com o seu maior rival no Gupo B, da República da Irlanda, a perder por 4-2 frente ao Kahovka-Kzeso, os comandados de José Antonio Goikoetxea fizeram o que se lhes impunha para garantirem o primeiro lugar no grupo, quando ainda falta disputar um jogo. O Vasca apresentou-se com sete alterações em relação ao "onze" que iniciou o jogo na vitória, por 4-1, sobre os ucranianos na primeira jornada, mas desta feita o domínio foi menos evidente.

Primeira oportunidade
O Dacia dispôs da sua primeira oportunidade logo aos três minutos, com Mihai Dinu a rematar para fora. Porém, os representantes espanhóis na prova foram assumindo o comando do jogo perante uma turma romena com um futebol mais curto, forçando o gigante guarda-redes Petre Baluta a efectuar um par de boas defesas.

Correa marca
Os espanhóis poderiam ter ganho vantagem no marcador quando, aos 17 minutos, Asier Elorriaga surgiu isolado na direita, mas o jogador acabou por rematar fraco, permitindo uma defesa fácil a Baluta, que voltou a estar em evidência aos 25 minutos, ao parar um bom remate de Pedro Maria Fuente. O Vasca acabou por ganhar vantagem aos 42 minutos, depois de um passe em profundidade da esquerda ter iludido a defesa do Dacia e deixado Correa na cara do golo, com o jogador a não ter dificuldades em colocar a bola no fundo das redes.

Golo anulado
Os romenos chegaram mesmo a marcar aos três minutos da segunda parte, através do sempre perigoso Fanel Ghioca, mas o golo foi invalidado por fora-de-jogo. O azar voltou a bater-lhes à porta quando Baluta saiu lesionado na disputa de um lance com Correa e teve de ser substituído por Bogdan Sava, estavam decorridos 54 minutos de jogo.

Penalty convertido
Contudo, a baliza do Vasca estava a ser constantemente ameaçada e o Dacia acabou mesmo por chegar à igualdade na conversão de uma grande penalidade a castigar uma falta sobre Cristian Gabrie Cojenel, cobrada exemplarmente por Alin Chiliman aos 61 minutos. Nessa altura, o jogo poderia cair para qualquer um dos lados, com o Dacia a forçar o ritmo, mas acabou por ser o Vasca a obter o golo da vitória.

Remate vitorioso
Aos 68 minutos, uma bola comprida encontrou Correa, que se desmarcou dentro da grande área adversária, e, em grande estilo, levantou a bola sobre o guarda-redes romeno, Sava, apontando aquele que acabou por ser o golo da vitória. Sava iria ainda efectuar uma brilhante defesa para negar o terceiro golo à turma espanhola, mas o mais perto que o Dacia esteve de empatar foi através de um cruzamento-remate de Valentin Sandu, já nos descontos, que acabou por passar pouco por cima da trave.