O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Sub-17 alertados para os perigos do doping

Jurídico

Os oito finalistas do Europeu de Sub-17 assistiram a uma apresentação sobre os perigos do doping no futebol, com ênfase no respeito, na consciencialização e na precaução.

Richard Grisdale fala sobre os problemas do doping à selecção da Geórgia, em Ljubljana
Richard Grisdale fala sobre os problemas do doping à selecção da Geórgia, em Ljubljana ©Sportsfile

A UEFA falou sobre os perigos do doping com todos os jogadores envolvidos na edição deste ano do Campeonato da Europa de Sub-17, na Eslovénia, tentando fazer passar a seguinte mensagem: "Respeitem os vossos adversários, os espectadores que pagam para vos ver jogar e respeitem-se a vós próprios; não se dopem".

O Doutor Mogens Kreutzfeldt, vice-presidente do Comité de Medicina da UEFA, e Richard Grisdale, da Unidade Médica e Antidoping da UEFA, efectuaram junto dos jogadores das oito selecções finalistas uma apresentação sobre os perigos que envolvem o doping no futebol, como parte do amplo esforço da UEFA para elevar juntos dos participantes nas suas competições jovens a consciencialização sobre o problema.

As conversas desenvolvidas visam fazer ver aos jogadores as repercussões do doping, de forma a salvaguardar tanto as suas carreiras como a sua saúde, e explicar-lhes passo-a-passo o procedimento dos controlos antidoping realizados em competição – algo que, para muitos dos jogadores que participam nesta fase final, na Eslovénia, constituirá uma experiência nova.

A exibição de um DVD ajuda a definir o que é o doping e apresenta detalhes sobre o procedimento dos testes de controlo realizados após os jogos. Depois, Grisdale vinca de forma clara a posição da UEFA em relação a qualquer jogador considerado culpado de cometer uma infracção neste campo e explica a política da total responsabilização.

"Se o vosso teste der positivo, será considerado que cometeram uma violação das regras, mesmo que tal tenha ocorrido involuntariamente, por engano", destacou. "Em última instância, vocês são os únicos responsáveis pelo que está dentro dos vossos corpos".

Grisdale explicou que a detecção de uma substância proibida no organismo não é a única maneira de violar as normas antidoping. Qualquer recusa de ser submetido a um teste de controlo durante o processo, ou oferecer uma substância proibida a um colega de equipa, constitui uma violação às regras e todos podem ser punidos com uma suspensação até dois anos.

Kreutzfeldt faz questão de expressar, nestas apresentações, que a precaução é sempre fundamental nesta área para qualquer jogador profissional. As drogas recreativas são proibidas, e é ainda dado destaque aos perigos da presença de substâncias proibidas escondidas em suplementos nutricionais e em medicação adquirida sem receita médica.

"Tenham muito cuidado", afirmou. "Verifiquem tudo o que entra no vosso organismo. Lembrem-se que são vocês que acabam por pagar, caso se verifique algum problema".

Seleccionados para si