Premier League aumenta vantagem sobre Serie A

A Premier League está bem lançada para manter a quarta vaga na UEFA Champions League, enquanto a liderança do Real Madrid no "ranking" de clubes chegou aos dois dígitos.

A carreira do Manchester United na UEFA Europa League está a ajudar a Premier League
A carreira do Manchester United na UEFA Europa League está a ajudar a Premier League ©Getty Images

Fevereiro foi um bom mês para Inglaterra na luta com Itália por um lugar entre os três primeiros no final da temporada, no que concerne ao "ranking" de coeficientes de clubes das federações da UEFA - a batalha mais importante antes da distribuição de vagas para 2017/18.

Após perder o lugar para a Alemanha no"ranking" de coeficientes de clubes das federações da UEFA, a Inglaterra procura agora manter Itália à distância e segurar o fundamental terceiro lugar que garante quatro vagas na UEFA Champions League em 2017/18 (três entradas automáticas na fase de grupos e um lugar na fase de qualificação).

As posições das federações nas listas de acesso à UEFA Champions League e UEFA Europa League de 2017/18 são determinadas com base nos coeficientes das federações, estabelecidos no final de 2015/16, e com referência aos coeficientes das federações das épocas 2011/12 a 2015/16.

Na sequência dos "rankings" da época passada, que decidiram as colocações de 2016/17, a Inglaterra foi segunda, atrás da Espanha e à frente da Alemanha nos "rankings", calculados com base num período de cinco anos, pelo que foram a Liga espanhola, a Premier League e a Bundesliga a ficar com as quatro vagas. Porém, com a temporada de 2010/11, bastante positiva para os clubes ingleses e particularmente fraca para os italianos, a ser agora descartada da contabilidade do "ranking", a Itália começou 2015/16 apenas três pontos atrás de Inglaterra, entretanto ultrapassada pela Alemanha.

A vitória do City em Kiev
A vitória do City em Kiev

As equipas de Inglaterra estiveram ligeiramente melhor que as de Itália. A Premier League está agora à frente da Serie A com 73.909 pontos contra 70.272, e com mais possibilidades de melhorar o registo nos próximos jogos. No topo, os sete representantes de Espanha conseguiram todos bons resultados, o que aumentou o coeficiente do país para 97.713, ficando mais perto do que alguma vez antes do registo de 100+. A Alemanha tem o segundo mais elevado total da temporada, consolidando a posição nos "rankings" a cinco anos.

Outra competição apertada envolve a Rússia, que procura ultrapassar a França ou mesmo Portugal entre os seis primeiros - com vista a uma segunda vaga automática na fase de grupos da UEFA Champions League e terceira no total para 2017/18. A fase de grupos correu bem para a Rússia, mas a derrota do Zenit na visita ao Benfica foi seguida pela eliminação do Lokomotiv Moskva e do Krasnodar da UEFA Europa League. Assim, a não ser que o Zenit dê a volta à eliminatória com o Benfica, na segunda mão, as esperanças da Rússia em atingir os seis primeiros parecem ter terminado para já.

No "ranking" dos clubes, o triunfo do Real Madrid em Roma consolidou a sua liderança em relação ao segundo classificado Bayern München para mais de dez pontos. O Barcelona está agora apenas a 0.850 do segundo posto.

PARA REFERÊNCIA: A lista de acesso que será usada para a temporada de 2016/17 das competições europeias de clubes terá por base o coeficiente das federações no final de 2014/15 (ou seja, contabilizando as temporadas de 2010/11, 2011/12, 2012/13, 2013/14 e 2014/15). Os "rankings" que incluam os resultados de 2015/16 serão usados para decidir as vagas para 2017/18.

Os cabeças-de-série para as competições de selecções da UEFA tem por base o ranking de coeficiente de selecções nacionais da UEFA: a última actualização data de 9 de Setembro e é usado para definir os cabeças-de-série nos sorteios do Campeonato da Europa da UEFA.

Topo