Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Tyrała com a Polónia no coração

O jovem médio-ofensivo Sebastian Tyrała fugiu à tendência ao optar por representar a selecção da Polónia em vez da alemã, pela qual jogou nas camadas jovens. "Nunca esqueci as minhas raízes", explicou ao uefa.com.

Sebastian Tyrała em acção pela selecção Sub-20 da Alemanha
Sebastian Tyrała em acção pela selecção Sub-20 da Alemanha ©Getty Images

O médio-ofensivo Sebastian Tyrała fugiu à tendência ao optar por jogar pela Polónia em vez da Alemanha apesar de ter representado a selecção germânica em diversos escalões jovens. "Nunca esqueci as minhas raízes", explicou ao uefa.com.

"Verdadeira casa"
Se outros jogadores nascidos na Polónia, como Lukas Podolski, Miroslav Klose e Piotr Trochowski criaram algum desconforto no seu país natal ao optarem pela selecção alemã, Tyrała, centrocampista de 20 anos do BV Borussia Dortmund, que actuou pelas selecções de Sub-17 e Sub-19 da Alemanha, decidiu voltar às raízes e jogar pela Polónia. "Estou muito feliz e orgulhoso de mim mesmo por ter optado representar a Polónia", revelou ao uefa.com. "Mesmo quando joguei pela Alemanha nas camadas jovens, pensava mais na Polónia, pois é essa a minha verdadeira casa".

Situações similares
Tal como Podolski, Klose e Trochowski, Tyrała mudou-se para a Alemanha ainda muito jovem, quando os seus pais para aí emigraram em busca de trabalho. O jovem jogador explicou: "Nasci na Polónia, em Raciborz, mas quando tinha 18 meses a minha família mudou-se para a Alemanha. Por isso foi aí que iniciei a minha carreira". Tyrała começou a jogar pelo Dortmund aos dez anos de idade e depressa despertou a atenção dos seleccionadores das camadas jovens da Alemanha. Ainda assim, apesar de ter apontado muitos golos ao serviço dos Sub-17 e Sub-19, optou por não alinhar nos Sub-21, consciente de que se o fizesse ficaria impossibilidade de representar a Polónia. "Apesar de ter deixado o país quando era muito jovem, nunca esqueci as minhas raízes", afirmou. "Sempre me senti polaco de coração e é por isso que decidi, por fim, representar este país".

Chamada à Polónia
E a oportunidade para o fazer surgiu neste mês de Dezembro, pois o seleccionador Leo Beenhakker convidou-o a estar presente num estágio, na Turquia. Tyrała estreou-se, assim, pela selecção da Polónia num jogo particular e não oficial diante a Sérvia, ganho pelos polacos por 1-0. "Não queria acreditar quando ouvi o convite de Leo Beenhakker para estar no estágio na Turquia", admitiu. "Tive de confirmar para ter a certeza que não era uma piada".

"Ansioso por aprender"
Tais boas notícias eram algo de que Tyrała necessitava, depois de ter visto a sua carreira ameaçada por uma grave lesão nos ligamentos dum joelho sofrida em 2006, desde a qual apenas dispôs de quatro oportunidades para demonstrar o seu valor na equipa principal do Dortmund. O jovem médio poderá, assim, sentir-se tentado a regressar à Polónia para jogar com maior regularidade, devido ao interesse do Arka Gdynia nos seus serviços e a perspectiva de disputar mais jogos internacionais ao serviço da Polónia deixa Tyrała nas nuvens. "O meu primeiro jogo com a camisola da Polónia é algo que nunca vou esquecer", garantiu. "E, apesar de ainda não saber a letra do hino da Polónia, estou ansioso por a aprender".

Topo