O "site" oficial do futebol europeu

Ajuda internacional

Publicado: segunda-feira, 24 de Janeiro de 2005, 11.00CET
A qualidade do trabalho desenvolvido pelos técnicos estrangeiros tem dado um forte contributo para o crescimento do futebol no Azerbaijão.

Especiais UEFA.com

Sistema de distribuição das receitas das competições de clubes da UEFA de 2019/20
  • Sistema de distribuição das receitas das competições de clubes da UEFA de 2019/20
  • UEFA comprometida com o futebol feminino
  • UEFA lança plataforma digital OTT em sinal aberto
  • Stéphanie Frappart arbitra Supertaça Europeia da UEFA
  • Árbitras italianas convidadas para o jogo da Supertaça Europeia
  • Declaração conjunta da FIFA, AFC, UEFA, Bundesliga, LaLiga, Premier League e Lega Serie A sobre as actividades da beoutQ na Arábia Saudita
  • KV Mechelen substituído na UEFA Europa League 2019/20
  • Sarri confirmado na Juventus: conheça-o melhor
  • Fase Final da UEFA Nations League: Equipa do Torneio
  • Equipa da Semana na Europa League
1 de 10
Publicado: segunda-feira, 24 de Janeiro de 2005, 11.00CET

Ajuda internacional

A qualidade do trabalho desenvolvido pelos técnicos estrangeiros tem dado um forte contributo para o crescimento do futebol no Azerbaijão.

Por Erkin Ibragimov

A eleição de Ramiz Mirzoyev como novo presidente da Federação de Futebol do Azerbaijão (AFFA) contribuiu para o fortalecimento do crescimento do futebol do Azerbaijão.

Mais dinheiro
Os mais endinheirados empresários do país, como Mubariz Mansimov, Hafiz Mamedov e Ikram Kerimli contribuíram para estabilizar as finanças dos clubes, razão pela qual alguns nomes importantes começaram a chegar ao país. Destaque para o Carlos Alberto Torres, campeão do mundo pelo Brasil enquanto jogador, que foi o primeiro estrangeiro a tomar conta da selecção principal do Azerbaijão.

Gente importante
O capitão da selecção do Brasil de 1970 e o seu adjunto, Marcello Campello, foram os percursores do renascimento do futebol no país. No ano de 2004, a selecção nacional evitou a derrota em cinco jogos internacionais, obtendo vitórias contra o Cazaquistão e Uzbequistão, e registando empates contra a Letónia, Jordânia e País de Gales.

Contrato prolongado
O contrato dos dois técnicos brasileiros com a AFFA acaba em Fevereiro próximo e é desejo de quase todos no país de o ver prolongado. "Achamos que Torres deverá continuar a desenvolver o seu trabalho", afirma o médio de 28 anos, Kamal Guliyev. "Sem ligar a nomes, será um erro trocar de treinador a meio de uma fase de apuramento".

Voz discordante
Existem, no entanto, vozes discordantes. O antigo guarda-redes do PFC Neftchi, Sergey Kramarenko, pai do actual guarda-redes da selecção, Dmitry Kramarenko não é da mesma opinião. "Os seus antecessores no cargo, Igor Ponomarev e Asker Abdullayev, conseguiram, respectivamente, cinco e quatro pontos, nas fases de qualificação", disse. "Torres apenas conquistou dois e não acredito que a nossa equipa possa ganhar a equipas como a Polónia e a Inglaterra".

Treinadores estrangeiros
Contudo, vários são os treinadores estrangeiros que têm ajudado a melhorar o nível do futebol no Azerbeijão. São três os nomes dos técnicos que trabalham no escalão maior do país: o ucraniano, Anatoliy Konkov, no FC Inter Baku e os turcos, Rasim Kara e Naji Shensoy, no FK Khazar Lenkoran e PFK Turan Tovuz, respectivamente.

Mais valias
Konkov mudou-se para o Inter neste Verão, levando como ele vários jogadores experientes da Bielorússia e da Ucrânia. Entre eles contam-se os irmãos Uladzimir e Mikhail Makouski, que jogaram no FC Dynamo Kyiv, e Serhiy Onopko, irmão mais novo do internacional russo, Viktor Onopko.

Jovens valores
Num campeonato de 18 equipas, o Inter está em quinto lugar, mas, apesar da chegada dos estrangeiros, Konkov não deixou de apostar nos jovens. Orkhan Rajabov, Elnur Mammadov e Elshan Mammadov evoluíram bastante, enquanto Elmar Bakhsiev e Zaur Hashimov chegaram recentemente à selecção principal do país.

"É este o caminho a seguir "
"É esse o nosso objectivo", disse Konkov. "Os estrangeiros de qualidade ajudam no crescimento dos nossos jovens mais talentosos. É este o caminho a seguir. Depois de um treinador sair do seu posto deverá ser lembrado não só pelo que ganhou, mas também pelos bons jogadores que ajudou a formar".

Experiência turca
O Khazar, sexto da tabela, começou a temporada com um treinador local, Nazim Suleymanov, mas o presidente do clube, Mubariz Mansimov, trouxe para o país o adjunto de Fatih Terim durante o tempo em que ele treinou a selecção da Turquia. Rasim Kara foi o escolhido, tendo trazido ainda o antigo avançado da Turquia, Oktay Derelioglu.

Nível europeu
Kara, cuja equipa está a seis pontos dos líderes da liga, o FK Karabakh, o FK Baku e o FK Karvan Evlakh, está-se a integrar muito bem. "Vou obter a cidadania do Azerbeijão e ficar aqui", disse. "Gosto muito do país e das pessoas. Acredito que o Khazar vai, em breve, ser uma equipa de nível europeu".

Longo prazo
Shensoy não está a viver tempos tão felizes no Turan, actual sétimo classificado. Já foi suspenso por comentários menos abonatórios sobre as arbitragens, mas, apesar de tudo, os jovens da sua equipa continuam a evoluir. Os técnicos estrangeiros poderão não ser bem acolhidos por todos para a selecção principal, mas, a nível de clubes, o futuro parece promissor.

Última actualização: 19-02-12 6.51CET

https://pt.uefa.com/memberassociations/news/newsid=273701.html#ajuda+internacional