O "site" oficial do futebol europeu

Rankings da UEFA à entrada para as finais europeias

Publicado: sexta-feira, 12 de Maio de 2017, 19.30CET
Conhecidos os finalistas das duas principais provas de clubes da UEFA em 2016/17, olhamos para os rankings dos coeficientes de clubes com especial atenção para a situação das equipas portuguesas.
Rankings da UEFA à entrada para as finais europeias
O Benfica ficou-se, esta época, pelos oitavos-de-final da UEFA Champions League, travado pelo Dortmund ©AFP/Getty Images

Especiais UEFA.com

Anunciado o processo de venda de bilhetes para a Fase Final da UEFA Nations League de 2019
  • Anunciado o processo de venda de bilhetes para a Fase Final da UEFA Nations League de 2019
  • 43º Congresso Ordinário da UEFA em Roma
  • UEFA e FIFPro condenam abuso racista
  • 2018: A UEFA avança e cresce
  • Clássicos dos oitavos-de-final da Champions League
  • Quem está na nossa Equipa da Semana da Europa League?
  • Quem está na nossa Equipa da Semana na Europa League?
  • Quem está na nossa Equipa da Semana na Europa League?
  • Quem está na nossa Equipa da Semana na Europa League?
  • John Terry retira-se: momentos europeus mais memoráveis
1 de 10
Publicado: sexta-feira, 12 de Maio de 2017, 19.30CET

Rankings da UEFA à entrada para as finais europeias

Conhecidos os finalistas das duas principais provas de clubes da UEFA em 2016/17, olhamos para os rankings dos coeficientes de clubes com especial atenção para a situação das equipas portuguesas.

Conhecidos os finalistas de 2016/17 das duas principais provas de clubes da UEFA, é altura de voltarmos a analisar a situação dos rankings dos coeficientes de clubes e de clubes por país, projectando já a próxima temporada.

Olhando apenas para o coeficiente de clubes por país desta época, se o domínio pertenceu aos três colossos do costume – Espanha, Alemanha e Inglaterra –, seguidos de Itália – ainda com a Juventus na final da UEFA Champions League – e França – que teve duas equipas em meias-finais –, o destaque vai para o sexto lugar da Bélgica – muito por culpa das excelentes campanhas de Genk, Gent e Anderlecht na UEFA Europa League.

©AFP/Getty Images

As equipas portuguesas estiveram aquém das expectativas na Europa

Portugal, por seu lado, quedou-se por um modesto 11º lugar, atrás ainda de Turquia, Rússia, Holanda e Dinamarca. Desde a época de 2005/06, quando foi 12º no ranking do coeficiente de clubes por país dessa temporada, que o registo das equipas portuguesas numa só época não era tão negativo. Por exemplo, em 2010/11, Portugal terminou mesmo no primeiro lugar dessa época, à frente de Inglaterra, Espanha e Alemanha.

No ranking global do coeficiente de clubes por país, que inclui as cinco temporadas anteriores, as consequências deste mau desempenho ainda não serão visíveis em 2017/18, em que Portugal manterá exactamente o mesmo número de equipas – e com entrada nas mesmas rondas – tanto na UEFA Champions League como na UEFA Europa League, mas já serão irremediavelmente visíveis em 2018/19, em que Portugal terá apenas dois conjuntos na principal competição – um com entrada na fase de grupos e outro na terceira pré eliminatória – e três na competição secundária.

Tal deve-se ao facto de Portugal, com o desempenho aquém das expectativas das presentes campanhas, ter caído do quinto para o sétimo lugar deste ranking global, ultrapassado por França e Rússia. E recuperar esse quinto posto não será tarefa fácil nos próximos tempos, visto que nas últimas quatro temporadas o pecúlio das equipas portuguesas ficou sempre abaixo do das russas e apenas por uma vez superou o das formações gaulesas.

©Getty Images

O bom desempenho europeu da Juventus ajuda a Itália a pressionar a Inglaterra

Efectivamente, Portugal entrará para 201/18 mais perto de ser alcançado pela oitava federação do ranking, a Bélgica, do que de alcançar a Rússia no sexto posto, o último que confere o acesso de três equipas à UEFA Champions League.

Nos primeiros lugares desse ranking, se a Espanha segue confortavelmente destacada no topo, é de destacar a aproximação da Itália, actualmente em quarto lugar, à terceira posição ocupada pela Inglaterra, aproximação essa que poderá ser ainda mais significativa caso a Juventus vença o Real Madrid na UEFA Champions Legue e o Manchester United não consiga bater o Ajax na final da UEFA Europa League.

Quanto ao ranking global do coeficiente individual de clubes, o Real Madrid mantém-se destacado no topo, tendo esta época atingido a terceira final da UEFA Champions League em quatro anos. Nos lugares seguintes continuam Bayer, Barcelona e Atlético, mas no quinto posto surge agora a Juventus, em clara ascensão depois de garantir a presença na segunda final da UEFA Champions League em três épocas.

No que toca à posição dos clubes portugueses neste ranking, o Benfica continua a ser o mais bem classificado, ainda que tenha caído do sexto para o nono lugar após esta época, enquanto o Porto, que iniciou a temporada em 16º, é agora 13º (curiosamente, “águias” e “dragões” somaram exactamente os mesmos pontos no ranking desta temporada).

©AFP/Getty Images

O Braga ultrapassou o Sporting no ranking global do coeficiente individual de clubes

O Sporting iniciou a época no 40º lugar e caiu para o 57º do ranking global do coeficiente individual de clubes. Foi ultrapassado pelo Braga, agora o terceiro clube português desse ranking, no 55º posto.

Quanto às outras três equipas lusas que ainda lutam por um lugar nas provas europeias na próxima temporada, Vitória de Guimarães e Marítimo estão empatados no lugar 128 do ranking, um pouco à frente do Rio Ave, em 133º.

Última actualização: 13-05-17 0.47CET

https://pt.uefa.com/memberassociations/news/newsid=2469071.html#rankings+uefa+entrada+para+finais+europeias