Shovkovskiy herói na final da Taça da Ucrânia

Olexandr Shovkovskiy defendeu dois penalties no desempate e foi o herói do Dínamo Kiev que, com Antunes e Miguel Veloso, bateu o Shakhtar na final da Taça da Ucrânia.

No seu jogo 600 pelo clube, Oleksandr Shovkovskiy foi o herói do Dínamo
No seu jogo 600 pelo clube, Oleksandr Shovkovskiy foi o herói do Dínamo ©Getty Images

Olexandr Shovkovskiy, guarda-redes de 40 anos, foi o herói do FC Dynamo Kyiv no triunfo sobre o FC Shakhtar Donetsk, após desempate por penalties, na final da Taça da Ucrânia, permitindo assim à turma da capital celebrar a conquista da "dobradinha".

Depois de 120 minutos sem golos em Kiev, o Shakhtar parecia encaminhar-se para o triunfo nos pontapés da marca de grande penalidade ao garantir uma vantagem de 3-1 com três penalties para cada lado. Porém, Shovkovskiy, no seu 600º jogo oficial pelo Dínamo – o primeiro futebolista a atingir tal registo – defendeu a grande penalidade de Taison, antes de Yaroslav Rakitskiy rematar à trave; o desempate por penalties seguiu, então, para a fase de morte súbita, onde Yevhen Khacheridi fez o 5-4, com Olexandr Gladkiy a ver o guarda-redes do Dínamo negar-lhe o golo no disparo seguinte.

Durante os 90 minutos regulamentares, Darijo Srna foi o primeiro a criar perigo do lado do Shakhtar, com um potente remate devolvido pela barra, enquanto do lado do Dínamo foi Andriy Yarmolenko a ficar perto do golo no seguimento de uma jogada individual, travada pelo guardião da turma de Donetsk, Andriy Pyatov. No prolongamento, Khacheridi, do Dínamo, viu um remate interceptado em cima da linha de golo pelo compatriota Vyacheslav Shevchuk e Shovkovskiy – que acabaria por erguer a Taça da Ucrânia pela décima vez na sua carreira - mostrou o que estava para vir com uma brilhante defesa após remate do suplente Gladkiy.

O Dínamo, que contou com Miguel Veloso a titular e Antunes a partir do início do segundo tempo, viu Serhiy Rybalka ser expulso perto do fim, mas fez a festa após o desempate por penalties, celebrando a conquista da 11ª Taça da Ucrânia da história do clube e a oitava "dobradinha" desde a independência da Ucrânia, a juntar às quatro da era Soviética. Quanto ao Shakhtar, sofreu a sua quinta derrota em finais.

O treinador do Dínamo, Serhiy Rebrov, afirmou: "Esta é uma vitória muito importante. Conquistámos a Liga e queríamos ter o mesmo sucesso na Taça, mas sabíamos que ia ser também um jogo extremamente importante para o Shakhtar. Ainda assim, julgo que fomos a melhor equipa durante o tempo regulamentar e merecíamos ter vencido ainda antes dos penalties. Os meus jogadores mostraram um enorme carácter no desempate por grandes penalidades, onde Shovkovskiy nos voltou a dar uma grande ajuda. O mérito da vitória, contudo, pertence a toda a equipa".

"Estamos muito desiludidos com esta derrota nos penalties", reconheceu Darijo Srna, capitão do Shakhtar. "Foi um jogo complicado, chegámos a ter dois penalties de vantagem e acabámos por perder. Não podemos culpar ninguém. O futebol é assim e, nos penalties, Shovkovskiy fez a diferença".

Topo