Lokomotiv vence Taça da Rússia

O Lokomotiv deu a volta ao marcador e conquistou a Taça da Rússia pela sexta vez na sua história ao derrotar o Kuban, por 3-1, após prolongamento.

Mbark Boussoufa consumou a reviravolta no marcador do Lokomotiv
Mbark Boussoufa consumou a reviravolta no marcador do Lokomotiv ©Getty Images

O FC Lokomotiv Moskva deu a volta ao marcador para derrotar o FC Kuban Krasnodar por 3-1, após prolongamento, para assim conquistar a sexta Taça da Rússia, na final disputada em Astrakhan.

O Kuban, que ambicionava a conquista do primeiro grande troféu na primeira vez que chegou a uma final, liderava com um golo alcançado a meio da primeira parte, quando Vladislav Ignatyev aproveitou uma escorregadela de Vitali Denisov. Mas o Lokomotiv, orientado nesta altura pelo técnico interino Igor Cherevchenko, reagiu e levou a decisão para prolongamento quando Baye Oumar Niasse empatou, a 17 minutos do final.

Numa meia-hora adicional marcada por muitas cautelas, o Lokomotiv consumou a reviravolta no final da primeira parte, quando Mbark Boussoufa cabeceou para golo um centro de Alan Kasaev, com Aleksei Miranchuk a fazer o resultado final na sequência de um lance individual. O Lokomotiv está agora a um troféu de distância do PFC CSKA Moskva, que tem o registo recorde de sete Taças da Rússia, indo também disputar a fase de grupos da UEFA Europa League, em 2015/16.

"Esta foi a minha primeira final como treinador pelo que houve grande nervosismo", afirmou Cherevchenko. "Quero agradecer aos rapazes, que se uniram ao intervalo e reagiram. Ainda bem que não chegou aos penalties. Dedico esta vitória ao meu pai, que faleceu em Março de 2014. Fez de mim um futebolista, treinador e pessoa."

O médio Miranchuk disse: "Não sei como descrever as minhas emoções. É a minha maior vitória até ao momento, mas a principal ainda está para vir – temos uma Liga para ganhar." Roman Pavlyuchenko acrescentou: "Esta foi a nossa última oportunidade de apanhar o comboio da Europa e de provar que temos uma verdadeira equipa. Já havíamos trabalhado com o treinador do Kuban, Leonid Kuchuk, por isso sabíamos como eles iriam jogar. Hoje tivemos mais frescura e sorte."

Topo