Gerrard junta-se a outros pioneiros da Europa na América

Após a confirmação da mudança de Steven Gerrard para o LA Galaxy, em Julho, o UEFA.com recorda outros europeus que actuaram do outro lado do Atlântico.

David Beckham (LA Galaxy) e Thierry Henry (New York Red Bulls)
David Beckham (LA Galaxy) e Thierry Henry (New York Red Bulls) ©Getty Images

"Estou entusiasmado por começar o próximo capítulo da minha carreira nos Estados Unidos pelo LA Galaxy", afirmou Steven Gerrard numa declaração após a confirmação por parte do emblema da Major League Soccer (MLS) da mudança do jogador para a Califórnia, em Julho, quando expirar o vínculo do jogador ao Liverpool FC.

À luz da decisão do antigo capitão da selecção de Inglaterra de tentar a sorte nos Estados Unidos, o UEFA.com escolheu vários jogadores europeus que atravessaram o Atlântico para prosseguir a profissão.

Gordon Banks – Cleveland Stokers (1967), Fort Lauderdale Strikers (1977–78)
Banks viajou para os Estados Unidos um ano após ser campeão mundial por Inglaterra como reforço do Cleveland. Porém, a passagem pelo Fort Lauderdale revelou-se mais proveitosa. Banks foi fundamental pelo emblema da Flórida, vencendo a Divisão Este da NASL em 1977. No "play-off" acabaria por encontrar o New York Cosmos, inspirado por Giorgio Chinaglia, perdendo a primeira mão por 8-3 em frente a uma assistência recorde (na altura) nos Estados Unidos de 77.691 espectadores.

©Getty Images

Franz Beckenbauer – (New York Cosmos 1977–80, 1983)
"Der Kaiser" mudou-se do FC Bayern München para o Cosmos, onde esteve dois anos e venceu três campeonatos da NASL na primeira passagem, antes de regressar ao seu país para jogar no Hamburger SV, em 1980.

Bobby Moore – San Antonio Thunder (1976), Seattle Sounders (1978)
A par de Pelé, Moore foi uma das primeiras estrelas a jogar nos Estados Unidos. O defesa inglês foi o primeiro capitão campeão mundial a actuar na NASL. Lenda do West Ham United FC, faleceu de cancro, aos 51 anos, em 1993.

Alessandro Nesta – Montreal Impact (2012–13)
Quando o antigo central da SS Lazio e do AC Milan se mudou para o Montreal, em Julho de 2012, juntou-se aos compatriotas Matteo Ferrari e Marco Di Vaio. Esteve menos de dois anos no Impact, mas conquistou o campeonato do Canadá em 2013 e qualificou-se para o "play-off" da MLS pela primeira vez nesse mesmo ano.

©Getty Images

David Beckham – LA Galaxy (2007–12)
Beckham arrebatou as manchetes de todo o Mundo quando trocou o Real Madrid CF pelos Estados Unidos. Terminou a aventura no Los Angeles com a vitória na Taça MLS de 2012.

Johan Neeskens – New York Cosmos (1979–84), Fort Lauderdale Sun (1985)
Figura central da Holanda que chegou à final do Campeonato do Mundo de 1974 e de 1978, Neeskens foi mais um europeu a viver o sucesso pelo Cosmos. Após deixar o FC Barcelona, o médio conquistou dois títulos da NASL, em 1980 e 1982.

©Getty Images

George Best – LA Aztecs (1976, 1977–78), Fort Lauderdale Strikers (1978–79), San Jose Earthquakes (1980–82)
Dois anos depois de deixar o Manchester United FC de forma inesperada, Best deu enorme impulso à NASL ao assinar pelo Aztecs. O extremo da Irlanda do Norte foi eleito o melhor jogador da Liga no segundo ano com a camisola do clube de Los Angeles.

Johan Cruyff – LA Aztecs (1979–80), Washington Diplomats (1980–81)
Três vezes vencedor da Bola de Ouro, Cruyff era uma verdadeira super-estrela quando chegou à América, somando no currículo três Taças dos Campeões Europeus, entre outros títulos, com a camisola do AFC Ajax e após inspirar a Holanda rumo à final do Campeonato do Mundo de 1974.

Robbie Keane – LA Galaxy (2011–)
Keane foi o Jogador Mais Valioso da MLS em 2014. O atacante, nascido em Dublin, tem sido marcador consistente de golos desde que chegou à Califórnia oriundo do Tottenham Hotspur FC, facturando até ao momento 53 vezes em 84 jogos da época regular.

©Getty Images

Giorgio Chinaglia – New York Cosmos (1976–83)
Chinaglia conseguiu espantosos 436 golos em 413 partidas pelo lendário Cosmos em finais da década de 1970 e princípios da de 1980, ao vencer quatro campeonatos da NASL. Faleceu em Abril de 2012, aos 65 anos.

Thierry Henry – New York Red Bulls (2010–14)
Henry colocou ponto final na passagem de quatro anos e meio pelo New York, bem como na sua brilhante carreira, no mês passado. Deixou o emblema de New Jersey como segundo melhor marcador (51), atrás de Juan Pablo Ángel, e como jogador com mais assistências de sempre (42). Em 2013, o antigo atacante da França ajudou o clube a conquistar o primeiro troféu da sua história, o Supporters' Shield, atribuído à equipa com o melhor registo na época regular.

Eusébio – Boston Minutemen (1975), Toronto Metros-Croatia (1975–76) Las Vegas Quicksilvers (1976–77), New Jersey Americans (1978–79)
Em final de carreira depois de ter saído do SL Benfica, em 1975, Eusébio rumou aos Estados Unidos e sagrou-se campeão da North American Soccer League (NASL) pelo Toronto Metros-Croatia em 1975/76. Fustigado pelas lesões nos joelhos, a maior lenda do futebol português marcou um golo no jogo decisivo, numa vitória por 3-0. Terminou a carreira no continente americano no New Jersey Americans (1978–79), após passagens também por Boston Minutemen (1975) e Las Vegas Quicksilvers (1976–77).

Outros nomes
Thomas Ravelli – Tampa Bay Mutiny (1998)
Roberto Donadoni – MetroStars (1996–97)
Kazimierz Deyna – San Diego Sockers (1981–84)
Hristo Stoichkov – Chicago Fire (2000–02), DC United (2002–03)
Gerd Müller – Fort Lauderdale Strikers (1979–81)
Las Vegas Quicksilvers (1976–77), New Jersey Americans (1978–79)

Prestes a jogar nos Estados Unidos
David Villa (New York City FC)
Frank Lampard (New York City FC)
Raúl González (New York Cosmos)

Topo