O "site" oficial do futebol europeu

Época em revista: Islândia

Publicado: sábado, 5 de Outubro de 2013, 15.00CET
O KR conquistou o campeonato, o Fram terminou com o jejum de troféus que durava à 23 anos e o regresso de Kristján Gudmundsson causou impacto em Keflavík.
por Stefán Stefánsson
de Reiquiavique
Época em revista: Islândia
O KR festeja a conquista do título islandês ©KR Reykjavík

Especiais UEFA.com

Sistema de distribuição das receitas das competições de clubes da UEFA de 2019/20
  • Sistema de distribuição das receitas das competições de clubes da UEFA de 2019/20
  • UEFA comprometida com o futebol feminino
  • UEFA lança plataforma digital OTT em sinal aberto
  • Stéphanie Frappart arbitra Supertaça Europeia da UEFA
  • Árbitras italianas convidadas para o jogo da Supertaça Europeia
  • Declaração conjunta da FIFA, AFC, UEFA, Bundesliga, LaLiga, Premier League e Lega Serie A sobre as actividades da beoutQ na Arábia Saudita
  • KV Mechelen substituído na UEFA Europa League 2019/20
  • Sarri confirmado na Juventus: conheça-o melhor
  • Fase Final da UEFA Nations League: Equipa do Torneio
  • Equipa da Semana na Europa League
1 de 10
Publicado: sábado, 5 de Outubro de 2013, 15.00CET

Época em revista: Islândia

O KR conquistou o campeonato, o Fram terminou com o jejum de troféus que durava à 23 anos e o regresso de Kristján Gudmundsson causou impacto em Keflavík.

A profundidade do plantel do KR Reykjavík acabou por ser decisiva no campeonato da Islândia, pois a equipa da capital terminou a campanha com mais cinco pontos do que o FH Hafnarfjördur. No outro extremo da classificação, o Fram Reykjavík apenas escapou à despromoção mesmo à justa, mas, ainda assim, teve qualidade suficiente para erguer a Taça da Islândia.

Campeões: KR Reykjavík
O KR iniciou a campanha com oito vitórias e um empate nos primeiros nove jogos. Apesar de ter posteriormente perdido dois jogos consecutivos, o KR conseguiu uma série de sete triunfos seguidos e finalmente sagrou-se virtualmente campeão ainda com duas jornadas por disputar. "Tivémos um jogo muito difícil frente ao Breidablik [derrota por 3-0], a quatro jogos do fim", disse o treinador Rúnar Kristinsson". "Esse foi um 'dia não' para nós – desses, tivemos apenas dois em toda a época."

Kristinsson tem sido uma sensação desde que assumiu as rédeas da equipa a meio de 2010 – o seu primeiro cargo como treinador principal. Um ano depois conseguiu a "dobradinha" a nível interno, 2012 trouxe a Taça da Islândia e, esta época, a conquista da Liga islandesa. "Esta foi muito mais difícil do que há dois anos. A batalha no topo é ainda mais árdua e havia quatro equipas a lutar pelo título, pelo que não havia espaço de manobra."

Final da Taça: Fram Reykjavík 3-3 Stjarnan (Fram venceu por 3-1 nos penalties) 
O técnico Ríkhardur Dadason, antigo ponta-de-lança do Fram, sucedeu a Thorvaldur Örlygsson a meio da época e levou a sua equipa à vitória frente a adversários como o Breidablik, antes do emotivo triunfo na final que terminou com a espera por um troféu que já durava há 23 anos.

Lugares europeus*
KR Reykjavík – segunda pré-eliminatória da UEFA Champions League
FH Hafnarfjördur – primeira pré-eliminatória da UEFA Europa League
Stjarnan – primeira pré-eliminatória da UEFA Europa League
Fram Reykjavík – primeira pré-eliminatória da UEFA Europa League

*Sujeito a confirmação final da UEFA

Jogador do ano: Björn Sverrisson (FH Hafnarfjördur)  
"Não estava à espera disto. Pensava que o prémio iria para um jogador do KR", disse Sverrisson, autor de nove golos numa excelente temporada. "Estou muito orgulhoso por ter sido escolhido por outros jogadores da divisão e isso mostra que talvez esteja a fazer alguma coisa bem – mesmo que isso signifique estar a ser um jogador que arrelia os adversários." O momento de forma do dianteiro de 23 anos chamou a atenção de equipas de outros países, uma vez que, na próxima época, representará os noruegueses do Viking FK.

Jogador a seguir: Arnór Ingvi Traustason (Keflavík) 
Com ainda 20 anos, este médio de elevada estatura actua na primeira divisão há três anos e é peça fundamental no seu clube. "Estava à espera que fosse outro a ganhá-lo", disse o internacional Sub-21. "Quero chegar ao topo da minha profissão. Contudo, mesmo que isso não venha a acontecer, continuarei de bom grado a representar o Keflavík."

Equipa-sensação: Keflavík
Com apenas quatro pontos após sete jogos, o Keflavík começa a encarar a hipótese de despromoção, o que levou à nomeação de Kristján Gudmundsson como treinador, no lugar de Daníel Ljubicic. Gudmundsson já ocupara o cargo entre 2005 e 2009, período em que levou o Keflavík à conquista da Taça da Islândia em 2006 e ficou perto do título dois anos depois. Desta vez, foi o responsável por seis vitórias e dois empates, que mantiveram a sua equipa fora dos lugares mais perigosos.

"Recebi uma chamada a pedir a minha ajuda e é claro que estava pronto", disse. "A minha missão era vir e inspirar os jogadores a manterem a equipa nesta divisão. Conseguimo-lo e praticámos, pelo meio, algum bom futebol com a ajuda das pessoas da cidade. No entanto, nada ainda está decidido quanto à minha continuidade."

Melhor marcador: Atli Björnsson, FH Hafnarfjördur (13)

Despromovidos: Víkingur Ólafsvík, ÍA Akranes

Promovidos: Fjölnir Reykjavík, Víkingur Reykjavík

Número: 52
O número de pontos conseguidos pelo KR constituiu um recorde na Liga islandesa. "Após termos ganho o campeonato, estabelecemos novos objectivos que usámos como motivação para terminar a época em grande estilo", explicou o treinador Kristinsson.

Frase
"A travessia do deserto está finalmente concluída e será mais fácil vencer da próxima vez."
O treinador do Fram, Ríkhardur Dadason, após a sua equipa ter terminado com o jejum de 23 anos à espera de um troféu

Última actualização: 29-10-13 22.05CET

Informação relacionada

Perfis das equipas

https://pt.uefa.com/memberassociations/news/newsid=2017131.html#epoca+revista+islandia