Ambição do Shakhtar sem limites

O Shakhtar "tornou-se numa máquina de ganhar títulos", diz Mircea Lucescu, cuja equipa inicia a defesa do título da Ucrânia e tem o Dínamo Kiev, de Miguel Veloso, a tentar quebrar a hegemonia.

Mircea Lucescu procura levar o Shakhtar a renovar o título
Mircea Lucescu procura levar o Shakhtar a renovar o título ©Getty Images

O FC Dynamo Kyiv conquistou 13 títulos desde 1992, quando teve início a Liga ucraniana, mas o FC Shakhtar Donetsk ganhou enorme ascendente nos anos mais recentes.

Os “mineiros” conquistaram quatro títulos nas últimas cinco épocas e transformaram o domínio do clube da capital numa coisa do passado, e estão prontos para reforçar a hegemonia, a começar já na primeira jornada, no domingo, frente ao FC Arsenal Kyiv.

A equipa de Mircea Lucescu deixou o primeiro aviso na terça-feira, quando bateu o FC Metalurh Donetsk por 2-0 e conquistou a SuperTaça da Ucrânia, o terceiro troféu de 2012. Foi o 15º título de Lucescu em oito épocas no comando do Shakhtar e o treinador romeno, de 66 anos, considera que tem todas as condições para aumentar ainda mais este impressionante palmarés.

"Estranhamente, cada ano fica mais fácil para nós", comentou o técnico do ano na Ucrânia. "Isto porque a equipa tem vindo a evoluir ao longo dos anos e tornou-se numa máquina de ganhar títulos."

O Shakhtar também tem sido o carrasco do Dínamo na Taça da Ucrânia, tendo eliminado o clube de Kiev nas últimas cinco edições da prova. Marko Dević foi contratado ao FC Metalist Kharkiv e é o único reforço para a presente época, mas Lucescu não considera que isto seja um entrave às ambições na Europa.

"Esta equipa tem apenas um objectivo que é conquistar troféus, mas agora estou mais concentrado na UEFA Champions League do que no título nacional”, confessou Lucescu, que conduziu o Shakhtar à conquista da Taça UEFA em 2009.

"O Shakhtar tem confiança nas duas capacidades e está a praticar um futebol bonito. Já fizemos várias alterações na equipa, incluindo reduzir a idade média do plantel, mas isso não afectou a qualidade das exibições. Temos jogadores experientes como Darijo Srna, Olexandr Kucher e Răzvan Raț, mas também temos muitos jovens, que, provavelmente, não jogariam noutros clubes e são titulares no Shakhtar."

A última vez que o Dínamo esteve quatro anos seguidos sem ser campeão aconteceu na longínqua década de 1960, pelo que o clube esteve muito activo no mercado para tentar evitar a repetição de tamanho jejum. O português Miguel Veloso e o internacional croata Niko Kranjčar são os reforços mais sonantes, mas a equipa também passa a contar com os jovens ucranianos Andriy Bogdanov, médio internacional Sub-21, e Vitaliy Kaverin, que ajudou o país a vencer o Europeu de Sub-19.

O Dínamo não é o único clube que ambiciona destronar o Shakhtar, pois Metalist e FC Dnipro Dnipropetrovsk FC, que conta nas suas fileiras com o jogador ucraniano do ano, Yevhen Konoplyanka, também já assumiram a candidatura. "Tenho a certeza que a luta pelo título vai ser muito equilibrada", acrescentou Lucescu.

"Considero que Dínamo, Metalist e Dnipro querem lutar pelo título. Todos querem derrotar-nos, por isso vamos ter jogar muito bem desde o início do campeonato."

Topo