Anderlecht aponta a novo título

Arrancam este fim-de-semana as temporadas na Bulgária, Hungria, Bósnia-Herzegovina, ARJ da Macedónia e Bélgica, onde o campeão Anderlecht será a equipa a bater.

Não vai ser fácil impedir o Anderlecht de revalidar o título de campeão belga
Não vai ser fácil impedir o Anderlecht de revalidar o título de campeão belga ©Getty Images

Mais cinco Ligas europeias têm o seu arranque marcado para este fim-de-semana, com o RSC Anderlecht a afirmar-se como a equipa a bater na Bélgica, depois de, na temporada passada, ter conquistado o 30º título de campeão belga e acrescentado, assim, uma terceira estrela ao emblema que ostenta nas suas camisolas.

Com Mbark Boussoufa e Romelu Lukaku, fundamentais na campanha realizada na época transacta, intocáveis no plantel, e com Sacha Kljestan a chegar para ocupar o lugar de Jelle Van Damme no meio-campo, a formação de Bruxelas parece muito forte. O treinador, Ariël Jacobs, afirmou: "Não sou vidente, por isso não faço previsões, mas esperamos voltar a conquistar o título e a Taça da Bélgica".

Francky Dury substituiu Michel Preud'homme, que rumou ao FC Twente, no comando técnico do KAA Gent, vice-campeão em 2009/10, enquanto o R. Standard de Liège perdeu Marcos Camozzato e Wilfried Dalmat para o Club Brugge KV e viu ainda Milan Jovanović mudar-se para o Liverpool FC. Ainda assim, o treinador Domenico D'Onofrio apelidou já o recém-chegado médio Emad Metev como "a melhor contratação da Liga".

Na Bulgária, a época vai arrancar logo com um clássico. O PFC CSKA Sofia vai defrontar os arqui-rivais do PFC Levski Sofia na jornada inaugural da prova, com as duas equipas a apresentarem novos treinadores, respectivamente Pavel Dochev e Yasen Petrov. Os dois gigantes de Sófia vão, certamente, lutar pelo título até ao fim, embora na temporada passada não tenham conseguido fazer frente ao PFC Litex Lovech, que acabou por se sagrar campeão.

O Debreceni VSC, na Hungria, assistiu à saída de vários jogadores fundamentais na conquista do título em 2010, sendo que o FC Videoton parece apostado em aproveitar eventuais fraquezas dos campeões. Já os principais clubes da capital - Budapest Honvéd FC, Ferencvárosi TC, MTK Budapest, Újpest FC e Vasas SC - não parecem, mais uma vez, suficientemente fortes para discutir o título. Como os adeptos rivais costumam cantar quando defrontam o Újpest, que não se sagra campeões desde 1998, "Para o ano é que é!".

A principal ameaça ao domínio evidenciado pelo Debrecen na temporada passada parece, então, vir mesmo do Videoton, que se reforçou com uma série de jogadores oriundos de clubes como o Újpest, o MTK, o AIK Solna e o AS Bari, pelo que o treinador György Mezey não esconde o optimismo: "O Debrecen é o nosso principal adversário. Os nossos objectivos passam por ficar no topo da classificação e chegar à final da Taça da Hungria".

Com cinco campeões diferentes nas últimas cinco temporadas, o equilíbrio deverá voltar a ser a nota dominante na Bósnia, enquanto na ARJ da Macedónia o FK Renova poderá encontrar algumas dificuldades para revalidar o título, embora o seu treinador, Nedzat Shabani, acredite que "a equipa tem qualidade e capacidade para ter sucesso". O principal rival deverá ser o FK Rabotnicki, apesar de ter visto sair o ponta-de-lança Bobi Bozinovski.

Topo