O "site" oficial do futebol europeu

Benfica e Portugal de luto por Eusébio

Publicado: domingo, 5 de Janeiro de 2014, 11.20CET
Eusébio, antigo avançado do Benfica e da selecção de Portugal, unanimemente considerado um dos melhores jogadores do futebol, morreu aos 71 anos na sequência de problemas cardíacos.

rate galleryrate photo
1/0
counter
  • loading...
Publicado: domingo, 5 de Janeiro de 2014, 11.20CET

Benfica e Portugal de luto por Eusébio

Eusébio, antigo avançado do Benfica e da selecção de Portugal, unanimemente considerado um dos melhores jogadores do futebol, morreu aos 71 anos na sequência de problemas cardíacos.

Eusébio, unanimemente considerado um dos melhores jogadores da história do futebol, faleceu aos 71 anos.

O avançado natural de Moçambique passou a maior parte da carreira ao serviço do SL Benfica, clube que ajudou a vencer a Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1961/62, sagrou-se melhor marcador do Campeonato do Mundo de 1966, prova na qual Portugal alcançou o terceiro lugar, tendo sido distinguido também com a Bola de Ouro em 1965. Em Fevereiro de 2010, Eusébio tornou-se no terceiro jogador a ser distinguido com o Prémio Presidente da UEFA, depois de Alfredo Di Stéfano e Bobby Charlton.

O Governo português decretou três dias de luto nacional e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) declarou que todos os jogos deste domingo serão precedidos de um minuto de silêncio em memória de Eusébio. Desde que a sua morte foi anunciada, no início desta manhã, as pessoas começaram a chegar junto à sua estátua, no exterior do Estádio do Sport Lisboa e Benfica, para prestarem a respetiva homenagem, com diversas coroas de flores e cachecóis de vários clubes a adornarem a figura do "Pantera Negra".

O jornal A Bola deu conta, na edição "online", que Rui Alexandre Morais, adepto de 32 anos do FC Porto, deixou uma coroa de flores com a seguinte mensagem: "Eusébio é de todos nós". E justificou o acto: "Sou adepto do Porto e jurei a mim mesmo que nunca viria a este estádio, mas esta manhã senti um impulso e vim. Eusébio é de todos nós, um símbolo de Portugal. Hoje não há clubes, Eusébio é Portugal."

Entretanto, o Benfica confirmou que o funeral de Eusébio se realiza esta segunda-feira, às 17h00, no cemitério do Lumiar. Antes disso, o seu corpo vai estar em câmara ardente a partir das 17h30 deste domingo no estádio do Benfica, perto da Porta 1. Na segunda-feira, cumprindo o último desejo de Eusébio, a urna dará uma volta em redor do recinto a partir das 13h30, antes de partir em procissão pelas ruas da capital rumo à Câmara Municipal de Lisboa, onde chegará por volta das 15h15. Terá depois lugar uma missa no Seminário do Largo da Luz, às 16h00, antes da realização do funeral, uma hora depois.

Eusébio da Silva Ferreira nasceu a 25 de Janeiro de 1942 e representou o Benfica entre 1960 e 1975, pelo qual ganhou 11 campeonatos e cinco Taças de Portugal, tendo sido melhor marcador do campeonato em sete ocasiões. Começou a carreira no Sporting Clube de Lourenço Marques, em Moçambique, e representou também clubes da América do Norte, México e portugueses depois da passagem pelo Benfica. Apontou 727 golos em 715 jogos com a camisola dos "encarnados".

Foi decisivo no triunfo memorável do Benfica na Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1961/62, a antecessora da UEFA Champions League, ao bisar na vitória por 5-3 na final de Amesterdão com o Real Madrid CF, fazendo uma exibição que lançou definitivamente a sua carreira. Marcou 59 golos em 78 jogos nas competições de clubes da UEFA.

Em 1968, Eusébio foi muito elogiado por um gesto de grande desportivismo na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, com o Manchester United FC, em Wembley. No final do tempo regulamentar, quando o jogo estava empatado 1-1, o avançado desferiu um forte remate à queima-roupa, à qual o guarda-redes Alex Stepney respondeu com uma defesa soberba. Eusébio superou a frustração e aplaudiu a estirada de Stepney, que foi decisivo para o United vencer por 4-1.

Eusébio marcou nove golos no Campeonato do Mundo de 1966, incluindo dois no triunfo por 3-1 sobre o Brasil que motivou o afastamento dos detentores do troféu na fase de grupos, marcando depois por quatro vezes na inesquecível reviravolta que levou ao triunfo por 5-3 sobre a Coreia do Norte nos quartos-de-final.

Muitas figuras ilustres portuguesas têm prestado homenagem a Eusébio:

Aníbal Cavaco Silva, Presidente de Portugal
Ele era uma pessoa dotada de qualidades humanas excepcionais, grande humildade e afabilidade. Tinha uma paixão pela vida, rodeado pelo afecto de todos os portugueses. Há dois meses tive a ocasião de lhe dar um último abraço. Quando fiz uma visita oficial a Moçambique, insisti que fizesse parte da delegação; foi a pessoa mais simpática que conheci na vida. Representou a selecção nacional com dedicação ilimitada – recordamo-nos do dia em que deixou o relvado em lágrimas [após ser eliminado nas meias-finais do Mundial de 1966], e essas lágrimas são hoje as nossas lágrimas. O país está oficialmente de luto. A melhor forma de lhe prestar homenagem é seguir o seu exemplo. Vamos segui-lo como desportista e como ser humano.

Pedro Passos Coelho, Primeiro-Ministro de Portugal
Eusébio levou a bandeira portuguesa e o nosso orgulho aos quatro cantos do Mundo. Um génio do futebol e um exemplo de humildade, um atleta de excelência e um homem generoso e solidário, Eusébio foi um exemplo de profissionalismo, determinação e devoção às cores nacionais e ao Sport Lisboa e Benfica, bem como para todos os desportos e todos os portugueses. Com Eusébio – e as memórias da Pantera Negra a dominar o relvado – mistura-se o desporto, o país, a nossa história e a nossa ambição colectiva. Esta memória nunca irá morrer.

José Manuel Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia
Hoje é um dia triste para o futebol português e mundial. As minhas sinceras condolências à família de Eusébio e a todos os portugueses.

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol
Iniciei o dia de hoje recebendo uma triste notícia. Foi naturalmente com pesar e consternação que soube o falecimento do nosso Eusébio. Figura ímpar e incontornável do futebol português, deixou e deixará para sempre a sua imagem ligada ao desenvolvimento da modalidade. As geração vindouras lembrar-se-ão sempre do grande Eusébio. No ano de comemoração do centenário da Federação não podia haver notícia tão triste como o desaparecimento do Eusébio.

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica
Eusébio já tinha ganho o seu estatuto de mito em vida, e é por isso que a sua morte é mais chocante, pois os mitos nunca nos devem deixar! Os 71 anos de Eusébio celebram o futebol, celebram Benfica, celebram Portugal, mas servem também para recordar alguém que sempre teve um grande prazer pela vida. É esta dedicação à vida que hoje recordamos! Eusébio nunca morrerá porque o seu exemplo vai estar sempre connosco. Obrigado por tudo o que nos deste.

Jorge Nuno Pinto da Costa, Presidente do Porto
O futebol português está de luto porque morreu um dos maiores símbolos da modalidade. Foi o melhor jogador português da sua geração e, acima de tudo, um grande ser humano e um exemplo de "fair play". Evoco a sua memória e envio as minhas condolências à família. É um dia triste para o futebol luso.

Paulo Bento, seleccionador de Portugal
Recebi com tristeza a notícia do desaparecimento de um grande símbolo do futebol português, mas também do futebol mundial, quer do Benfica quer da seleção nacional. Todos poderão homenagear da melhor forma uma figura como o Eusébio sendo dedicados, profissionais. Foi de uma grande dedicação à sua profissão e só assim conseguiu fazer uma carreira nacional e internacional.

Cristiano Ronaldo
Para sempre eterno Eusébio, descansa em paz

Luís Figo
O rei! Uma grande perda para todos nós! O maior

Rui Costa
Lembro-me bem do meu primeiro treino. Nesses dias de captações, os sócios podiam levar os filhos e éramos cerca de 500 miúdos naquele treino. Todos queríamos jogar e acabei por jogar a extremo-direito. Nas duas primeiras vezes que toquei na bola, as coisas correram-me bem e o Eusébio virou-se para mim e disse: “Tu menino, já chega.” E eu comecei a chorar porque pensava que ele não queria que eu jogasse mais. Passei do choro de tristeza ao choro de alegria num ápice e provavelmente, se ele não fosse o treinador naquele dia, se calhar eu não tinha sido o jogador que fui. Quando vi o Eusébio pela primeira vez, apesar de nunca o ter visto jogar, tinha medo e muito respeito. Era quase assustador olhar para ele sabendo que se tratava de um Deus do Futebol. Depois de o conhecer, a minha forma de olhar mudou devido à simplicidade que esta pessoa tinha. Para além da qualidade como jogador, pessoalmente era excepcional.

José Mourinho
Eusébio é imortal. Foi uma referência importante, por aquilo que foi para o futebol, com os seus valores, princípios e sentimentos, mesmo após terminar a carreira. A sua morte deixa um grande vazio.

Pelé
Lamento a morte do meu irmão Eusébio. Ficámos amigos na Copa de 66 na Inglaterra. O nosso último encontro foi no recente jogo entre Brasil e Portugal em Boston.

Última actualização: 14-02-17 0.43CET

Informação relacionada

Perfis das equipas

https://pt.uefa.com/memberassociations/news/newsid=2041745.html#benfica+portugal+luto+eusebio