UEFA e FIFPro em sintonia

O Presidente da UEFA, Michel Platini, assinou esta quinta-feira um Memorando de Entendimento com a Divisão Europeia da FIFPro.

A UEFA assinou um Memorando de Entendimento com a secção europeia do sindicato de jogadores profissionais, a FIFPro. O acordo foi assinado pelo Presidente da UEFA, Michel Platini, e pelo presidente da Divisão Europeia da FIFPro, Philippe Piat, numa cerimónia que decorreu esta quinta-feira, em Bruxelas, no Stade Constant Vanden Stock, recinto do RSC Anderlecht.

Interesse comum
O memorando tem em conta os interesses comuns dos dois organismos, o seu desenvolvimento em harmonia com todos os que estão envolvidos na modalidade e o respeito pelos valores elementares do desporto. É motivado por uma busca comum de soluções para os desafios e ameaças que os vários intervenientes na modalidade - UEFA, federações, ligas, clubes e jogadores - enfrentam.

Valores
O memorando cobre várias áreas que servem de base à cooperação, incluindo valores chave como a solidariedade, a igualdade e fraternidade, a paridade na redistribuição de riqueza, a exploração colectiva desta em vez da individual, o compromisso com a democracia, a necessidade de preservar os valores da modalidade face ao crescente controlo corporativo, e a protecção e o desenvolvimento de um futebol europeu de grande dimensão e saudável. Ambas as partes sublinham a necessidade de equilíbrio entre as leis do trabalho nacionais e europeias, assim como a especificidade do desporto - a integridade do futebol e das competições, a regularidade das competições e o equilíbrio competitivo. Chegou-se também a acordo sobre os benefícios dos jogos das selecções para o equilíbrio do futebol a nível de clubes.

Cooperação e união
De acordo com o memorando, a UEFA e a Divisão Europeia da FIFPro aceitam promover a cooperação e a união para monitorizar o desenvolvimento do futebol profissional a nível nacional e europeu. Incluem-se aqui as relações entre os membros da UEFA e os membros da Divisão Europeia da FIFPro no que diz respeito a assuntos relacionados com os jogadores, no sentido de apoiar o desenvolvimento do futebol profissional na Europa.

Especificidade do desporto
Os dois organismos comprometem-se a combater o doping e o racismo no futebol, e a UEFA a apoiar os procedimentos de arbitragem sobre disputas relacionadas com o futebol. Todas as leis nacionais e internacionais aplicáveis devem ser respeitadas no que diz respeito à legislação do trabalho e acordos colectivos, respeitando e tendo em conta as características específicas do desporto, estruturas desportivas existentes e a autonomia de organismos como a UEFA e as federações nacionais.

Jogadores internacionais
Em relação à disponibilidade dos jogadores para as selecções e respectivas competições, a Divisão Europeia da FIFPro reafirma no memorando que a convocatória para a selecção nacional deve ser o auge da carreira de um jogador e que este aspecto não deve ser colocado em risco.

Diálogo contínuo
Platini afirmou que é apropriado que o memorando tenha sido assinado em Bruxelas, a capital da União Europeia, organismo com o qual a UEFA mantém um diálogo contínuo sobre diversos assuntos ligados ao futebol e ao desporto em geral.

Acordo histórico
"Este acordo, delineado num espírito de cooperação, união, e defesa dos valores desportivos, é histórico porque irá realmente mudar a forma como o futebol europeu é dirigido", afirmou o Presidente da UEFA. "De facto, este acordo não é mais nem menos do que o primeiro passo para a integração de todas as famílias do futebol no processo decisório da UEFA".

Protagonistas
"Os jogadores são os protagonistas do futebol e é nosso dever protegê-los, ouvi-los e integrá-los", acrescentou. "Este memorando é um passo nessa direcção. Ao assiná-lo, queremos mostrar que a família do futebol sabe unir-se e discutir de forma ponderada, encontrando soluções para os problemas e questões que lhe dizem respeito".

Servir os interesses do futebol
"Estamos a reconhecer pela primeira vez em conjunto, jogadores e órgão governante, a especificidade do desporto, a autonomia das federações e o facto de que as estruturas existentes no mundo do futebol são as melhores para servir os seus interesses".

Clique aqui para ler o memorando na íntegra

Topo