Bélgica pronta para árbitros assistentes adicionais

Pierluigi Collina, responsável pela arbitragem da UEFA, visitou Bruxelas para apoiar a Federação belga quando esta se prepara para introduzir árbitros assistentes adicionais.

Paul Allaerts e Pierluigi Collina (à direita) na conferência de imprensa de Bruxelas
Paul Allaerts e Pierluigi Collina (à direita) na conferência de imprensa de Bruxelas ©URBSFA-KBVB

À medida que a Federação Belga de Futebol (URBSFA-KBVB) se prepara para utilizar árbitros assistentes adicionais (AARs) nas suas principais competições nacionais, no decorrer da segunda metade da época, o responsável pela arbitragem da UEFA, Pierluigi Collina, visitou a federação para oferecer apoio e orientação, e explicou as vantagens do sistema, que está a mostrar o seu valor nas principais competições da UEFA.

"Sentimos que era realmente necessário apoiar os árbitros, já que o futebol mudou bastante nos últimos 20 anos", disse Collina numa conferência de imprensa realizada em Bruxelas. "Primeiro que tudo, registou-se o aumento na velocidade do jogo. O futebol é praticado muito mais rapidamente e apercebemo-nos que, mesmo com o árbitro em excelente forma física, não era capaz de tomar uma decisão em alguns casos específicos."

"Após o fim do UEFA EURO 2012, a 5 de Julho de 2012, o IFAB decidiu incluir os árbitros assistentes adicionais nas Leis do Jogo e agora confederações e federações são livres de os incorporar nas suas competições, de acordo com as Leis do Jogo."

Depois de quase quatro anos de experiências nas competições jovens e de clubes da UEFA, os árbitros assistentes adicionais tornaram-se parte das Leis do Jogo no seguimento de uma decisão do International Board (IFAB), tomada no Verão passado.

O árbitro, dois árbitros assistentes e o quarto árbitro fazem-se agora acompanhar por dois árbitros assistentes adicionais, colocados ao longo de cada linha final, com particular atenção nos lances que ocorram na grande área, de modo a ajudarem o árbitro principal a tomar decisões. Presentemente, a UEFA está a utilizar os AARs nas suas competições de clubes, na sequência da experiência bem-sucedida no UEFA EURO 2012.

A URBSFA-KBVB optou por introduzir o sistema a partir das meias-finais da Taça da Bélgica, a realizar no final deste mês, e no "play-off" do campeonato belga, agendado para a Primavera após os últimos jogos da temporada regular.

Paul Allaerts, director técnico para a arbitragem da URBSFA-KBVB, disse: "Este projecto faz parte da crescente profissionalização da arbitragem na Bélgica e destina-se a proporcionar melhores decisões, especialmente em situações cruciais dentro e nas imediações da área, bem como nos foras-de-jogo. Para além disso, vai permitir uma melhor análise nos lances em que existem dúvidas sobre se a bola atravessou ou não a linha-de-golo."

Recentemente, a UEFA enviou às suas federações-membro um DVD que fornece informação essencial sobre os AARs e realizou um "workshop" em Nyon, no qual as federações foram informadas e aconselhadas sobre o sistema.

Collina explicou:"O  principal objectivo do sistema AAR é apoiar o árbitro principal quando uma decisão dentro, ou na imediação da área, precisa de se tomada. O que alcançámos até ao momento, em mais de 1200 jogos, é um melhor controlo da partida, redução de incidentes em lances de bola parada, como cantos e livres, melhor controlo da linha-de-golo e maior eficácia no assinalar de foras-de-jogo por parte dos árbitros assistentes."

A reacção à escolha da URBSFA-KBVB tem sido positiva. Allaerts disse: "Por um lado, todos compreendem que o papel da equipa de arbitragem é cada vez mais complicado; por outro, as experiências levadas a cabo na [UEFA] Europa League, [UEFA] Champions League e [UEFA] EURO 2012 mostraram que são tomadas decisões melhores, que, ainda assim, continuam a ser a principal prioridade para a equipa de arbitragem."

"Os árbitros têm reagido positivamente porque a ajuda extra dos AARs convenceu-os que este sistema permite melhor controlo do jogo, e os árbitros recebem informação adicional que os ajuda a tomarem as decisões correctas."

Alguns árbitros belgas já tiveram contacto com o sistema, através dos respectivos trabalhos ao serviço da UEFA, estando já em prática preparação específica e treino, sob a orientação do perito em condição física de árbitros belga, Werner Helsen, que também trabalha com os árbitros de topo da UEFA.

"A principal responsabilidade é melhorar a qualidade do jogo", disse Ronny Verhelst, presidente da ProLeague, responsável pelo organismo que gere o futebol profissional belga. "Como todos sabemos, os árbitros e as suas decisões são importantes para garantir a qualidade do jogo, e estamos muito satisfeitos por poder oferecer esta solução."

Topo