UEFA explica benefícios dos árbitros assistentes adicionais

A UEFA mostrou os resultados positivos e benefícios do sistema de árbitros assistentes adicionais às suas federações-membro num "workshop" realizado na Casa do Futebol Europeu, em Nyon.

Uma palestra no "workshop" de árbitros-assistentes adicionais, em Nyon
Uma palestra no "workshop" de árbitros-assistentes adicionais, em Nyon ©UEFA

Delegados de arbitragem seniores das federações-membro da UEFA foram informados pelo organismo europeu sobre os benefícios do sistema de árbitros-assistentes adicionais (AAR), que faz parte das Leis do Jogo desde este Verão.

Num "workshop" realizado na Casa do Futebol Europeu, em Nyon, as federações receberam informação detalhada e conselhos sobre o sistema. A UEFA está a utilizar o sistema de árbitros-assistentes adicionais nas suas competições de clubes, no seguimento de uma decisão do International Board (IFAB), em Julho, depois de experiências levadas a cabo desde 2008. O árbitro, dois assistentes e o quarto-árbitro são acompanhados por dois árbitros-assistentes adicionais, posicionados longo da linha-de-fundo, com a tarefa específica de observar incidentes que ocorram na área, ajudando o árbitro principal a tomar decisões.

O responsável pela arbitragem da UEFA, Pierluigi Collina, disse que o sistema provou o seu valor desde que a experiência começou, num mini-torneio do Campeonato da Europa Sub-19, na Eslovénia, há quatro anos, e prosseguiu o período de testes nas principais competições de clubes da UEFA, e que os resultados estão à vista. "O principal objectivo é os árbitros-assistentes adicionais darem apoio quando uma decisão é tomada – particularmente na área, onde uma decisão pode afectar o resultado de um jogo", explicou.

"O que vimos ao longo de cerca de 1.200 jogos é um melhor controlo do jogo por parte dos árbitros", acrescentou. "Registaram-se menos incidentes – especialmente em lances de bola parada, como cantos e livres –, melhor controlo da linha de golo e maior precisão em termos de decisões tomadas pelos árbitros assistentes. Estes objectivos foram alcançados graças aos árbitros-assistentes adicionais."

O Secretário-Geral da UEFA, Gianni Infantino, inaugurou o "workshop" traçando as vantagens dos árbitros-assistentes adicionais. "Enquanto política de decisão, o Comité Executivo da UEFA optou por utilizar árbitros-assistentes adicionais em todas as suas competições de clubes", disse. "Achamos que podem ajudar o árbitro a tomar decisões difíceis num espaço de tempo muito curto. Ter mais dois colegas experientes que possam ajudar o árbitro a tomar decisões na área é muito útil."

Todas as confederações que compõem a FIFA são livres de adoptar o sistema na totalidade, que revelou ser um sucesso no UEFA EURO 2012, este Verão, em especial como elemento dissuasor de incidentes na área. A UEFA produziu um DVD para as suas federações-membro, que fornece informação essencial sobre a implementação do sistema AAR. O DVD é baseado numa palestra dada por Pierluigi Collina em Kiev, em Julho. Através de exemplos-chave em vídeo – especialmente aqueles relacionados com jogos do UEFA EURO 2012, onde a comunicação áudio entre os elementos das equipas de arbitragem foi gravada – o DVD demonstra os benefícios práticos no relvado, bem como oferece soluções para utilizar os recursos de arbitragem de forma eficiente na implementação do sistema.

Collina também enfatizou que os árbitros-assistentes adicionais preencheram uma necessidade criada pelas alterações no futebol ao longo da última década. "A maior alteração nos últimos dez anos foi a velocidade", reflectiu. "Actualmente, é muito difícil um árbitro tomar uma decisão – muito mais do que no passado. O trabalho do árbitro tornou-se vez mais difícil."

"Com o futebol a ficar mais rápido e os jogadores melhor fisicamente, parece que às vezes o árbitro enfrenta uma 'missão impossível'", acrescentou. "Dois pares de olhos extra, concentrados na área, são de uma utilidade extrema para o árbitro e fortalecem a equipa de arbitragem em confiança e em termos numéricos, ao mesmo tempo que permitem ao jogo fluir."

Desde o início desta época, os AARs são utilizados na primeira divisão italiana, a Serie A. Collina disse que outras federações que decidam seguir o exemplo terão a vantagem de experiências anteriores e aprendizagem. "Quando começámos a experiência, tudo partiu do zero", disse. "As federações não terão que se sujeitar a isso, porque já existem três anos de experiência em que se podem basear. A finalidade deste 'workshop' é fornecer-vos toda a informação que precisam para compreenderem como o projecto AAR e o seu sistema funcionam em termos práticos."

Topo