Relatório de referência sublinha lucros e polarização

A UEFA divulgou o relatório da 11ª edição do Panorama do Futebol Europeu de Clubes.

O relatório do 11º Panorama do Futebol Europeu de Clubes
O relatório do 11º Panorama do Futebol Europeu de Clubes ©UEFA.com

A UEFA divulgou a 11ª edição do Panorama do Futebol Europeu de Clubes, o seu relatório anual de referência sobre licenciamento de clubes europeus.

Por favor descarregue o relatório aqui (em inglês)

O mais recente relatório detalha que o ano financeiro de 2018 foi o segundo consecutivo de lucro global para o o futebol de primeira divisão na Europa – uma mudança considerável comparado com as perdas de cinco mil milhões de euros registadas em apenas três anos, após a viragem da década, antes de a UEFA introduzir os regulamentos do Fair Play Financeiro.

No prefácio do relatório, Aleksander Čeferin, Presidente da UEFA, disse: "Com a melhoria do desempenho financeiro, a posição financeira dos clubes tornou-se cada vez mais rica, com os activos líquidos a passarem de dois mil milhões de euros para mais de nove mil milhões de euros no espaço de uma década, o que prova o sucesso dos regulamentos do Fair Play Financeiro da UEFA, o estável ecossistema do futebol europeu, e ainda o investimento ponderado e sustentado"-

©UEFA.com

O relatório deste ano mais uma vez apresenta uma imagem geral do futebol europeu, e pela primeira vez inclui um perfil do futebol feminino nacional, bem como algumas descobertas iniciais de um estudo alargado que envolveu mais de 900 infra-estruturas de treino de clubes. Isto suplementa os capítulos habituais sobre propriedade de clubes, infra-estruturas, adeptos, patrocínios e competições nacionais, bem como a análise detalhada de assuntos financeiros.

O relatório concentra-se em como o estável ecossistema do futebol europeu, auxiliado por uma regulação sensível, ajudou o futebol europeu de clubes a registar 20 anos consecutivos de crescimento de receitas. De facto, em 2018, as receitas dos clubes europeus de primeira divisão passaram de 20 mil milhões de euros para 21 mil milhões de euros.

©UEFA.com

Mas também destaca que as receitas continuam a estar concentradas, com a parte gerada pelos cinco principais campeonatos a perfazer 75 por cento, um recorde. Relatórios preliminares de 2019 indicam que, pela primeira vez, os 30 principais clubes serão responsáveis por mais de metade das receitas geradas por todos os clubes de escalão principal. Na outra parte da equação, a parcela dedicada a salários dos 98 clubes dos cinco principais campeonatos aumentou mais de mil milhões de euros, representando 88 por cento do crescimento de salários, e estes clubes foram responsáveis por 85 por cento dos gastos brutos com transferências e 75 por cento dos ganhos com transferências dos clubes de primeira divisão.

Aleksander Čeferin disse: "O relatório sublinha um número de ameaças à estabilidade e sucesso contínuo do futebol europeu. Entra elas estão os riscos de polarização das receitas devido à globalização, o panorama fragmentado dos media e casos de dependência excessiva de receitas geradas por transferências. O relatório também mostra que o futebol europeu de clubes está forte, unido e resiliente. Assim, acredito que pode e vai ultrapassar estes desafios e outros com sucesso, tal como fez num passado recente perante a ameaça de perdas críticas".

©UEFA.com

Entre outras informações importantes do relatório estão:

  • A assistência média dos campeonatos de primeira divisão atingiu um máximo recorde em 2018/19, com 105 milhões de espectadores no total. A melhoria das infra-estruturas levou a um aumento saudável de oito por cento nas receitas de bilheteira.

  • Com base nos lucros excepcionais derivados da televisão reportados no ano passado, os salários aumentaram a um ritmo mais rápido (9.4 por cento) em 2018. O crescimento nos salários foi maioritariamente impulsionado pelos clubes dos campeonatos mais ricos e o principal KPI, o rácio salários-receitas, está agora em 64 por cento.

  • Pela primeira vez o futebol feminino junta-se ao masculino sob o regime de licenciamento de clubes da UEFA. A base do futebol feminino de clubes está a expandir-se rapidamente, com 52 campeonatos de primeira divisão, integrando em média 9.3 clubes, comparado com os 12.3 clubes nos campeonatos masculinos equivalentes.

  • Oitenta por cento dos clubes reportaram um investimento considerável em infra-estruturas de treino ao longo dos últimos cinco anos. Estes investimentos ultrapassaram um milhão de euros para um em cada três desses clubes. Pagamentos de solidariedade, efectuados como parte do programa HatTrick da UEFA, são comummente mencionados como uma fonte de financiamento no que toca a melhorias na área do financiamento.
  • O futebol possui uma atracção alargada incrível e única, sendo que os sectores de retalho (17 por cento) e apostas (13 por cento) perfazem mais de 10 por cento dos patrocínios de camisolas.

  • Cada vez mais o futebol europeu tem um apelo internacional alargado, com 150 patrocinadores estrangeiros estampados nas camisolas, incluindo 36 empresas asiáticas e 19 norte-americanas.

Descarregue o relatório completo aqui (em inglês)