Sub-19 alertados sobre os perigos da carreira

Os jovens jogadores que estão na Grécia a participar no EURO Sub-19 foram alertados dos perigos do doping e da manipulação de resultados em sessões ministradas pela UEFA.

Os jogadores da Holanda numa sessão de sensibilização no Europeu de Sub-19
Os jogadores da Holanda numa sessão de sensibilização no Europeu de Sub-19 ©Sportsfile

A mensagem sobre os perigos que podem encontrar ao longo das suas carreiras foi transmitida aos jogadores que estão na Grécia a disputar a fase final do Campeonato da Europa de Sub-19 da UEFA.

A UEFA, que tem vindo a implementar uma campanha de alerta para os perigos do doping e da manipulação de resultados, ministrou palestras sobre estes temas importantes aos jogadores e dirigentes das oito selecções que competiram na Grécia. O objectivo foi informar e recordar os jogadores que precisam ser tão cuidadosos fora de campo como dentro das quatro linhas.

"Isso serve para vos impedir de cometer erros estúpidos e arruinarem as vossas carreiras", explicou Richard Grisdale da unidade médica e antidoping da UEFA, acrescentando que desde Janeiro de 2015 a suspensão prevista pela violação das regras antidoping subiu de dois para quatro anos. "É uma sanção que termina com as vossas carreiras", acrescentou.

As suspensões aplicam-se a qualquer caso comprovado de doping, intencional ou acidental, o que obriga os jogadores a serem cuidadosos em todas as situações, mesmo quando estão em momentos sociais com os amigos ou quando tomam um medicamento para uma constipação. "Vocês são jogadores de futebol, representam a selecção nacional, pelo que têm de respeitar a listas substâncias proibidas da Agência Mundial Antidopagem”, destacou Grisdale. "São responsáveis por todas as substâncias que têm no corpo. Assumam esta responsabilidade."

Os jogadores ficaram a saber que alguns medicamentos que são vendidos sem receita médica podem conter substâncias proibidas e que os ingredientes de produtos que parecem idênticos podem variar de país para país. Em qualquer caso, o senso comum e a vigilância são suficientes para evitar erros comprometedores.

"Se não têm a certeza, perguntem ao médico da vossa equipa", explicou Grisdale. "99,9 por cento dos jogadores de futebol nunca tiveram quaisquer problemas. Sejam sensatos e podem estar tranquilos."

Esta mensagem foi semelhante à transmitida por Jean-Samuel Leuba, inspector de ética e disciplina da UEFA, que apresentou o princípio com três regras que ajuda os jogadores a evitar colocar em risco a sua integridade, e dessa forma, o futebol.

"Reconhecer, rejeitar e reportar", destacou. "Reconhecer o que está a acontecer, rejeitar - não há discussão, basta dizer ‘não’- e reportar. Digam a alguém, isto é extremamente importante, não podem ficar calados.”

Está previsto nas regras que se alguém é contactado e não denuncia a situação é considerado conivente, mesmo que tenha recusado a proposta. Quando sabem que alguém foi abordado, também são obrigados a denunciar. Não se envolvam com o crime organizado, pois irá marcar para sempre a vossa imagem, mesmo que não tenham feito qualquer aposta."

Os esforços da UEFA para combater a ameaça da manipulação de resultados foram explicados numa apresentação em vídeo que mostrou a forma como os jogos são monitorizados para detectar apostas ilegais. Foi sublinhado ser do interesse de todos os que estão ligados à modalidade assegurar que o futebol "continua puro".

"Um jogo deve ser disputado até ao último minuto com incerteza", acrescentou Leuba. "Se queremos que o futebol continue assim, os 22 jogadores em campo e os árbitros não podem ser corruptos.”

"O objetivo não é assustar-vos, mas avisar e sensibilizar antes que algo aconteça, para que não possam dizer ‘eu não sabia'.”

Essa resposta não será aceite de qualquer jogador que tenha participado no Campeonato da Europa de Sub-19 na Grécia, pois tiveram oportunidade de participar num detalhado programa de sensibilização para os riscos que devem evitar.

Para complementar a palestra, todos os jogadores foram convidados a responder a um questionário sobre antidoping. Foi depois realizado um sorteio entre os jogadores que acertaram em todas as respostas e o vencedor, o ucraniano Artem Besedin, recebeu um iPad.