Futebolistas avisadas para perigos do doping

As futebolistas presentes no Europeu Feminino de Sub-19 estão a aprender com a UEFA, com o organismo a levar a cabo apresentações sobre doping e manipulação de resultados.

Futebolistas avisadas para perigos do doping
Futebolistas avisadas para perigos do doping ©UEFA.com

A fase final do Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 ofereceu à UEFA o palco ideal para reforçar junto das futebolistas presentes na Noruega a mensagem relativa aos perigos do doping e da manipulação de resultados.

Antidoping: todo o cuidado é pouco
Caroline Thom, gestora de projecto antidoping e médico da UEFA, falou sobre os perigos de tomar substâncias proibidas, quer de forma intencional, quer acidentalmente. "O meu objectivo não é o de vos chocar ou assustar", frisou. "Quero apenas evitar que se deixem apanhar em armadilhas idiotas. Queremos alertar-vos e proteger-vos, para que fiquem consciencializadas para a questão. Estamos aqui para vos ajudar."

As futebolistas assistiram a uma apresentação sobre o processo de controlo antidoping, assistindo a um vídeo do embate dos quartos-de-final do UEFA EURO 2012 entre Inglaterra e Itália. Recusar entregar uma amostra, alterar uma amostra ou ter um comportamento desadequado durante o controlo constituem violações ao código antidopagem. As futebolistas conversaram sobre as várias razões para não tomar substâncias dopantes, antes de Thom reiterar a necessidade de verificar sempre a medicação, que pode variar de país para país, face à lista de substâncias proibidas para cada ano. "Todo o cuidado é pouco", alertou.

A defesa espanhola Marta Turmo afirmou que a sessão foi extremamente proveitosa. "Penso que foi um discurso extremamente importante, pois ajuda toda a comunidade futebolística a perceber que não deve cair no erro de ter um controlo antidoping positivo e que os jogos devem ser disputados de forma limpa, para que o futebol seja justo para todos."

Por fim foi levado a cabo um questionário antidoping, no quartel-geral do torneio, em Lillestrom, com a vasta maioria das futebolistas a aceitarem o desafio de responderem a dez questões no espaço de três minutos. As que acertaram nove ou mais entraram num sorteio para ganharem um mini-iPad.

Exemplo de uma das perguntas do questionário: Um futebolista profissional é testado (*resposta abaixo)
a) em média quatro vezes por ao
b) apenas uma vez
c) um número ilimitado de vezes

Manipulação de resultados: cartão vermelho definitivo
"A UEFA tem uma política de tolerância-zero para com a manipulação de resultados. Tal significa um cartão vermelho definitivo." Foi esta a fria mensagem deixada por Barry Bright, membro do Comité de Recursos da UEFA, ao apresentar às futebolistas um problema que é, hoje, global. Mais de 400 mil milhões de euros são apostados todos os anos no futebol e a UEFA conta com um sistema de detecção de fraudes de apostas que monitoriza anualmente 32 mil jogos, com o apoio das agências de apostas, procurando padrões de apostas irregulares.

Jogadoras da Suécia respondem ao questionário
Jogadoras da Suécia respondem ao questionário©Sportsfile

"Quem se vir envolvido num esquema de manipulação de resultados rapidamente se verá entre uma rede criminosa da qual será muito difícil escapar...Tal pode significar o fim da vossa carreira de um dia para o outro." As futebolistas foram, por fim, encorajadas a colocar em prática os três "Rs", quando se virem perante uma situação desse género: Reconhecer o que está a acontecer, Rejeitar e Reportar na Plataforma de Integridade da UEFA. As consequências legais, financeiras e pessoais de não o fazer são devastadoras.

* c) um número ilimitado de vezes