Testes sanguíneos nas competições da UEFA

A UEFA vai realizar testes sanguíneos em todas as provas a partir de 2013/14 e não se registaram resultados positivos de doping na Champions League e Europa League da época passada.

A UEFA realiza testes antidoping nas suas competições
A UEFA realiza testes antidoping nas suas competições ©Sportsfile

Tal como anunciado em Maio, após uma decisão do Comité Executivo da UEFA, a UEFA vai começar a realizar testes sanguíneos em todas as suas competições a partir da temporada 2013/14.

Até ao momento, a UEFA apenas tinha efectuado testes sanguíneos na fase final do UEFA EURO 2008 e do UEFA EURO 2012. Os testes sanguíneos vão ter lugar tanto dentro como fora das competições, sendo que num controlo antidoping pode apenas ser pedido aos jogadores uma amostra de urina, de sangue ou ambas. As federações-membro da UEFA e os clubes participantes nas competições da UEFA foram informados deste desenvolvimento através da carta circular 2013/027, tendo sido instruídos a informarem os respectivos jogadores e "staff".

Regulamentos Antidoping
A edição 2013 dos Regulamentos Antidoping da UEFA (em inglês) entrou em vigor a 1 de Julho de 2013. Os regulamentos foram actualizados para a época 2013/14. A principal alteração é a inclusão de uma cláusula que detalha o procedimento para quando jogadores individuais forem sujeitos a testes fora da competição, longe das actividades da equipa. Isto terá lugar após jogadores e/ou equipas terem cometido várias violações na divulgação do seu paradeiro, e terem chegado a uma fase onde é justificado testar jogadores individualmente.

O processo de recolha da amostra é o mesmo que o constante nos Regulamentos Antidoping da FIFA. As restantes alterações são de menor dimensão, com alguma reformulação de certas cláusulas para melhorar a sua compreensão e alguma reestruturação de modo a aproximar mais os regulamentos da UEFA aos da FIFA. Não existem alterações materiais em relação aos delitos ou às responsabilidades de federações e clubes.

Programa de testes da época 2012/13
Na temporada 2012/13 realizaram-se 1374 controlos antidoping nas principais competições europeias de clubes, a UEFA Champions League e a UEFA Europa League. Não se registaram casos positivos em nenhuma delas. Nas outras competições, apesar da época ainda não ter terminado, a UEFA realizou 407 controlos antidoping. Um programa completo de controlo antidoping vai ser levado a cabo durante a fase final do UEFA Women’s EURO 2013, na Suécia, bem como na fase final dos três torneios de jovens – Sub-19, Sub-19 Feminino e Sub-17 Feminino – agendados para este Verão.

Edição 2012/13 da UEFA Champions League
A UEFA realiza controlos antidoping dentro e fora da competição na UEFA Champions League. Durante a temporada 2012/13 foram recolhidas 813 amostras, com mais de 67 por cento a serem analisadas em busca de EPO – a substância utilizada para aumentar a resistência e força física. Alguns jogadores foram testados seis vezes durante a época.

Testes durante a competição
O programa de controlo antidoping da UEFA é baseado numa minuciosa avaliação de risco e num plano detalhado de distribuição de testes. Realizaram-se controlos em todos os jogos do "play-off" da UEFA Champions League e todas as equipas na fase de grupos foram testadas pelo menos uma vez. Trinta jogadores dos dois finalistas foram testados pelo menos três vezes durante a época.

Testes fora da competição
Cerca de 60 por cento dos controlos antidoping na UEFA Champions League foram realizados fora da competição, nos centros de estágio dos clubes. Mais de 80 por cento das amostras recolhidas fora da competição foram analisadas em busca de EPO. Os dois finalistas foram testados cinco vezes fora da competição ao longo da época.

Edição 2012/13 da UEFA Europa League
Na época 2012/13 foram recolhidas 560 amostras na UEFA Europa League. Tal como na UEFA Champions League, os controlos antidoping na UEFA Europa League são planeados de acordo com cuidadosa avaliação de risco. Todas as equipas presentes no "play-off" foram testadas e a partir daí foram realizados controlos antidoping em mais de 50 por cento dos jogos e, a partir dos oitavos-de-final, todos os encontros foram alvo deste procedimento.

Estudo de perfil de esteróides
Em colaboração com o laboratório acreditado pela WADA em Lausana, a UEFA está a lançar um estudo para analisar o perfil de esteróides de quase 900 jogadores que foram testados pelo menos três vezes nas competições da UEFA desde 2008. O objectivo deste estudo será identificar a prevalência potencial do uso de esteróides no futebol europeu, utilizando para isso informação de controlos antidoping anteriores. O estudo será anónimo e as suas conclusões não farão com que qualquer jogador incorra numa violação do regulamento antidoping.