Desenvolvimento do futebol feminino na Europa

Um relatório sobre o Programa de Desenvolvimento do Futebol Feminino da UEFA junto das federações nacionais mostra como os fundos têm sido investidos e dá exemplo de algumas das melhores práticas.

Acção do Programa de Desenvolvimento do Futebol Feminino da UEFA no Liechtenstein
Acção do Programa de Desenvolvimento do Futebol Feminino da UEFA no Liechtenstein ©UEFA.com

Desde 2010, a UEFA tem vindo a promover o futebol feminino através do seu Programa para o Desenvolvimento do Futebol Feminino, o qual financia projectos das federações nacionais em várias áreas.

O Relatório de Projectos das Federações Nacionais do Programa para o Desenvolvimento do Futebol Feminino destaca um projecto levado a cabo por cada uma das federações nacionais ao longo do primeiro ciclo do programa.

Durante esse período de quatro anos, cada federação membro recebeu 100 mil euros por ano por parte da UEFA para desenvolver o futebol feminino. O primeiro ciclo do programa, o qual totaliza 22 milhões de euros em fundos, está a revelar-se extremamente bem-sucedido, com o futebol feminino a crescer em todos os níveis nos quatro cantos da Europa.

"O crescimento mundial do futebol feminino em termos de popularidade enquanto desporto colectivo tem sido impressionante – e a UEFA está determinada a conferir-lhe um ímpeto ainda maior de forma a levar o futebol feminino a crescer ainda mais nos próximos anos," afirmou o presidente da UEFA, Aleksander Čeferin. "Este é o momento certo para encorajar raparigas e mulheres a envolverem-se mais no futebol."

O objectivo do programa passa por desenvolver o acesso ao futebol feminino, potenciar a participação e inspirar as jovens a praticarem a modalidade. As Embaixadoras da UEFA para o Futebol Feminino – nas quais se incluem antigas jogadores de sucesso como Nadine Kessler, Laura Georges ou Stephanie Houghton – desempenham um papel importante enquanto modelos a seguir.

O relatório oferece um olhar sobre como as federações nacionais investiram os fundos e sobre o que alcançaram. Mostra as áreas nas quais os fundos têm sido gastos dentro e fora de campo, na promoção da modalidade, do treino, da liderança e da arbitragem. O documento é igualmente fonte de ideias para futuros projectos e explora o desenvolvimento mais amplo dentro da vertente feminina do futebol.

As nove federações com os exemplos de melhores práticas foram identificadas: Azerbaijão, Bósnia e Herzegovina, Inglaterra, Estónia, Ilhas Faroé, Alemanha, Hungria, Malta e Polónia. Estes casos de estudo vão ser explorados de forma mais detalhada no UEFA.org ao longo da temporada.

Com base no sucesso deste primeiro ciclo do Programa para o Desenvolvimento do Futebol Feminino, o programa foi já alargado para novo ciclo de quatro anos, de 2016 a 2020, como parte do quarto ciclo do programa HatTrick.

Fique a saber mais sobre o Programa para o Desenvolvimento do Futebol Feminino.

Topo