Candidatos a treinadores preparam-se

Os treinadores Georges Leekens, da Bélgica, e Morten Olsen, da Dinamarca, estiveram entre os oradores convidados nos primeiros dois dias do 19º Curso para Formadores de Treinadores da UEFA.

Formadores de treinadores e peritos técnicos das 53 federações-membro da UEFA reuniram-se em Bruxelas
Formadores de treinadores e peritos técnicos das 53 federações-membro da UEFA reuniram-se em Bruxelas ©UEFA

Preparar para a realidade é o tema-chave transmitido no 19º Curso para Formadores de Treinadores da UEFA, que se realiza em Bruxelas esta semana.

Formadores de treinadores e peritos técnicos das 53 federações-membro da UEFA reuniram-se na capital belga para um curso de quatro dias, com o treinador da Bélgica, Georges Leekens, e da Dinamarca, Morten Olsen, entre os convidados ilustres que deram conselhos sobre como preparar candidatos a treinadores para o papel de técnico, director ou líder.

Depois de mensagens de boas-vindas do presidente da Federação Belga de Futebol (URBSFA-KBVB), François De Keersmaecker, e do terceiro vice-presidente do Comité de Desenvolvimento e Assistência Técnica da UEFA, Dušan Bajević, o ponto-alto do dia foi uma apresentação estimulante por parte do director-técnico da UEFA, Andy Roxburgh, sobre as exigências do futebol de alto nível.

"Aqui a mensagem principal tem a ver com a realidade", disse Roxburgh ao UEFA.com. "Se vão treinar a próxima geração de treinadores, precisam de os treinar para a realidade da modalidade. O foco tem de ser sobre o que precisam de fazer exactamente e quais as competências necessárias para desempenhar o cargo, e depois tentar educá-los num ambiente o mais real possível."

"Vamos destacar algumas das coisas que os aspirantes a treinadores precisam de saber. Várias federações já o estão a fazer, mas neste evento podem ver as coisas por outro prisma ou ter ideias diferentes."

No segundo dia do curso, e para dar novas perspectivas estiveram presentes dois membros do Painel Jira da UEFA – o director-técnico da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Ginés Meléndez, e o antigo director-técnico da URBSFA-KBVB, Michel Sablon. Ambos traçaram o processo de estudo para a obtenção das licenças B, A e Pro da UEFA nos respectivos países.

Enquanto Meléndez ilustrou o bem-sucedido sistema de formação de treinadores da RFEF, Sablon explicou a filosofia e metodologia de formação de treinadores na Bélgica, cuja frase-chave é "melhores treinadores formam melhores jogadores. Sablon, que deixou o cargo de director-técnico em Janeiro, também foi agraciado com um prémio especial, pelo seu contributo notável para a formação de treinadores na Europa.

Acrescentando à riqueza de experiência e conhecimento, os seleccionadores nacionais Leekens e Olsen foram convidados especiais numa sessão de perguntas e respostas, intitulada "A vida na linha-da-frente". Numa perspectiva fascinante, Leekens falou sobre a forma como o futebol mudou ao longo da sua carreira, enquanto Olsen enfatizou a importância de um treinador ser fiel a si próprio e defender as suas convicções.

A troca de ideias sempre foi um objectivo central das iniciativas educativas da UEFA, e isso esteve em plano de destaque para seis grupos de discussão envolvendo participantes do curso. Foi atribuído a cada grupo questões para debater, focando-se nos principais desafios que as federações enfrentam na área da formação de treinadores, mais apoio da UEFA e como preparar candidatos a treinadores para a realidade da sua função. Mais tarde, as reacções foram transmitidas ao auditório principal pelos líderes dos grupos.

Sobre a importância da partilha de informações, Roxburgh acrescentou: "Os colegas treinadores aqui presentes estão cientes daquilo que a UEFA está a fazer, do que os seus países estão a fazer, e isto ajuda-os a reflectirem sobre os seus próprios programas."

Para além da teoria, outra parte essencial do curso é a vertente prática. Isso aconteceu quando os delegados se deslocaram até ao centro técnico da URBSFA-KBVB, em Tubize, para assistirem a um jogo agendado para o efeito, entre as selecções belgas Sub-18 e Sub-19, ambas orientadas por candidatos a treinadores, como parte do seu programa de formação Pro. Os dois treinadores também foram sujeitos a entrevistas televisivas simuladas, por forma a testar a sua reacção nesse cenário.

Topo