60-51: Dois portugueses em destaque

Costa Pereira e Germano estão entre os 60 melhores jogadores europeus dos últimos 50 anos.

Os resultados da votação para encontrar os 50 melhores jogadores dos últimos 50 anos, no âmbito do Jubileu da UEFA, começarão a ser divulgados esta segunda-feira por ordem crescente, do nº50 para o nº1, sendo este anunciado na Primavera.

Perto de 7.000.000 votos
Um total de 134.796 pessoas de todo o mundo votaram nos 50 futebolistas europeus favoritos, 10 por cada uma das cinco décadas de existência da UEFA, originando um número final de 6.739.800 votos.

Resultado disputado
Os primeiros quatro futebolistas angariaram mais de 100.000 votos cada, sendo a margem que separa os dois primeiros inferior a 1.000 votos. Nos primeiros 50 há, no mínimo, oito jogadores de cada década, de todas as posições no relvado e de várias nacionalidades. Hoje, terminamos uma perspectiva sobre aqueles que não integram esse lote.

Afirmação de Henry
O 60º lugar, com 32.700 votos, pertence a Thierry Henry, do Arsenal FC, jogador que se assumiu como um dos mais temidos avançados a nível mundial. O atacante venceu o Campeonato do Mundo de 1998 e o UEFA EURO 2000™ pela França e soma títulos nacionais, conquistados no seu país e em Inglaterra.

Costa Pereira em 59º lugar
Uma posição acima de Henry, com 32.781 votos, situa-se Costa Pereira, o guarda-redes do Benfica que venceu a Taça dos Campeões Europeus em 1961 e 1962. Ruud Krol, elemento das selecções da Holanda que alcançaram as finais dos Mundiais de 1974 e 1978 e que venceu, por três vezes consecutivas, a Taça dos Campeões ao serviço do AFC Ajax, entre 1971 e 1973, sem esquecer os numerosos títulos nacionais conquistados, preenche o 58º lugar, com 32.799 votos.

De Gento a Boniek
Na 57ª posição, Francisco Gento, o internacional espanhol cujos golos ajudaram o Real Madrid CF a vencer as primeiras cinco Taças dos Campeões Europeus (seis no total), reuniu 33.871 votos. Zbigniew Boniek, que ajudou a Polónia a terminar em terceiro lugar no Campeonato do Mundo de 1982 e vencedor da Taça dos Vencedores das Taças de 1984, ao serviço da Juventus FC (frente ao FC Porto), assim como da Taça dos Campeões Europeus no ano seguinte, ocupa o 56º lugar com 34.034 votos.

Wright e Banks, de Inglaterra
Gordon Banks, cuja inspiração na baliza serviu de base ao triunfo da Inglaterra, em casa, no Campeonato do Mundo de 1966, somou 34.651 votos, correspondentes à 55ª posição, com outro inglês, Billy Wright, a arrecadar o 54º posto. O defesa do Wolverhampton Wanderers FC tornou-se no primeiro internacional a somar 100 jogos por uma selecção, tendo realizado 104 no total, e venceu três campeonatos e uma Taça de Inglaterra pelos "Wolves" nos anos 40 e 50.

Germano, do Benfica
Germano, tendo amealhado 35.024 votos, é o 53º classificado, um prémio para o papel do defesa internacional nos êxitos do Benfica nos anos 50 e 60, incluindo as duas conquistas consecutivas da Taça dos Campeões Europeus, ao lado de Costa Pereira.

Shevchenko e Dalglish
O prolífico avançado Andriy Shevchenko, do AC Milan, marcador do penalty decisivo da final da UEFA Champions League de 2003, agarrou o 52º lugar, graças a 36.207 votos, naturalmente em resultado do sucesso obtido ao serviço do FC Dynamo Kyiv e do Milan. E os 36.360 votos alcançados por Kenny Dalglish garantiram-lhe a 51ª posição. Dalglish permanece como o único jogador com mais de uma centena de internacionalizações pela Escócia, tendo ainda alcançado êxito com as camisolas do Celtic FC e do Liverpool FC, incluindo três Taças dos Campeões Europeus erguidas entre os finais dos anos 70 e princípio da década de 80, pela formação inglesa.

Topo