CSKA recarrega baterias

O CSKA de Moscovo desfrutou de uma semana de descanso antes de receber o Parma na segunda mão das meias-finais da Taça UEFA.

Numa qualquer outra temporada, o facto de o PFC CSKA Moskva ocupar um decepcionante 11º lugar na Premier League russa seria uma enorme fonte de preocupações para os seus adeptos. Contudo, a verdade é que o CSKA está a apenas seis pontos do líder e com dois jogos a menos, isto porque a equipa moscovita decidiu adiar os encontros com o objectivo de se concentrar exclusivamente na sua campanha na Taça UEFA.

Poderio caseiro
Mais um fim-de-semana sem jogos permitiu ao CSKA preparar-se para a recepção ao Parma FC, que na semana passada não conseguiu melhor do que um empate a zero, em casa. A segunda mão promete ser um espectáculo menos defensivo, pois se é verdade que o CSKA ainda não venceu fora esta época na Taça UEFA, também há que destacar que em casa os russos já marcaram oito golos e não consentiram nenhum.

Quatro de Gilardino
Golos não faltaram no jogo do Parma no passado fim-de-semana, com Gilardino a marcar quatro no incrível triunfo, por 6-4, sobre o AS Livorno do português Luís Vidigal. A vitória, uma verdadeira lição de como atacar e de como não defender, permitiu à equipa de Pitero Carmignani sair da zona de despromoção da Serie A, numa altura em que faltam disputar apenas quatro jornadas.

Duo em dúvida
Carmignani não esconde quais são as suas prioridades para esta época, apostando muitas vezes em jovens na Taça UEFA quando já era claro que o Parma não iria protagonizar uma grande campanha na liga italiana. No fim-de-semana, Domenico Morfeo fez dupla no ataque com Gilardino, que está em grande forma, embora nenhum dos jogadores deva viajar para a Rússia.

Sonho moscovita
Problemas nos joelhos devem impedir Marco Marchionni e Vincenzo Grella de integrar a comitiva da formação transalpina, sendo que Stefano Bettarini e Damiano Ferronetti (ambos com problemas musculares) também deverão ficar de fora. Este jogo pode levar o CSKA a tornar-se o primeiro clube moscovita a chegar à final de uma competição europeia desde que, em 1972, o Dínamo perdeu frente ao Rangers FC na final da Taça dos Vencedores das Taças.