Bases sólidas impulsionam San Marino

O futebol em San Marino tem-se desenvolvido lentamente nos últimos anos, embora edificado em bases sólidas.

A selecção de San Marino antes de um jogo amigável frente à Itália em 2017
A selecção de San Marino antes de um jogo amigável frente à Itália em 2017 ©FSGC/Pruccoli

O futebol em San Marino começou a desenvolver-se no final da década de 1920 do século passado. O primeiro clube, o AC Libertas, foi fundado a 4 de Setembro de 1928 e a Federação de Futebol de San Marino (FSGC) nasceu três anos mais tarde, em 1931. Demorou algum tempo até que fosse organizada a primeira competição oficial, mas, no Verão de 1937, quatro equipas – Libertas, La Castellana, SP La Fiorita e US Titania (agora SP Tre Penne) – participaram no primeiro torneio que teve a designação Taça Titano e foi concebido num formato de liga.

Todos os jogos tiveram lugar no Estádio Borgo Maggiore, nessa altura o único no país, e o Libertas tornou-se no primeiro vencedor. O clube confirmou o estatuto de melhor equipa ao conquistar as cinco edições seguintes, a derradeira das quais apenas em 1961, devido ao longo hiato provocado por anos de guerra.

Em 1960, a Federação de San Marino de Futebol (FSGC) criou um clube, o SS Sereníssima, para jogar nos campeonatos italianos. Inicialmente presidido por Carlo Casali, a equipa começou na segunda divisão da liga amadora italiana, tendo conseguido a primeira subida de escalão em 1962. Passou duas épocas semi-profissionais na Serie D, antes de, em 1973, se fundir com outro clube, assumindo a designação de AC San Marino. Depois, em 1988, com a equipa na Serie C2, foi rebaptizada de San Marino Calcio.

Em 1963, a federação fundou o NAGC – Nucleo Addestramento Giovani Calciatori –, a primeira academia de formação do território liderada por Guglielmo Giovannini, figura genuinamente apaixonada e respeitada no futebol nacional. A Taça Titano viveu também enorme expansão com dois novos clubes, o derradeiro dos quais o SS Cosmos, em 1979.

Chegou 1980 e a FSGC começou a desenvolver ideias para uma liga nacional, etapa necessária para o país conquistar o reconhecimento oficial dos órgãos dirigentes do futebol internacional. A nova competição, o Campeonato de San Marino, surgiu então em 1985 e, nesse ano, nasceu também o Troféu Federal, espécie de SuperTaça em que os vencedores do campeonato jogam com os detentores da Taça Titano.

Os esforços da FGFC em obter a filiação na UEFA foram finalmente recompensados em 1998, quando, após dois anos a nível interino, a organização foi finalmente acolhida como membro de pleno direito a 24 de Janeiro, no Congresso realizado no Mónaco. Seis meses depois, também a FIFA fez o mesmo no Congresso de Zurique.

San Marino podia agora ter selecções representativas do estado nos escalões sénior, Sub-21, Sub-18 e Sub-16. A estreia da república a nível internacional ocorreu numa partida de Sub-21, frente à Suíça, realizada, a 6 de Junho de 1989, em Serravalle. Os helvéticos voltaram a ser os adversários de estreia, mas da selecção principal, no mesmo palco, a 14 de Novembro de 1990, tendo vencido por 4-0. O primeiro resultado positivo de San Marino ocorreu a 10 de Março de 1993, quando empatou a zero frente à Turquia, antes de no dia 25 de Abril de 2001 ter também travado a Letónia, em Riga (1-1).

O novo milénio trouxe outros marcos, como a estreia nas competições europeias de clubes. O primeiro emblema a representar de San Marino nas provas da UEFA foi o SS Folgore, nas pré-eliminatórias da Taça UEFA de 2000/01. Depois, em 2007, a república passou a ter um segundo representante nas provas de clubes, nas pré-eliminatórias da UEFA Champions League, tendo o SS Murata sido o pioneiro. Em 2007/08, o Libertas registou o primeiro empate de um clube de San Marino a nível continental, em jogo das pré-eliminatórias da Taça UEFA, frente ao Drogheda United FC, enquanto em 2013/14 o Tre Penne obteve o primeiro triunfo de sempre – 1-0 na segunda mão da primeira pré-eliminatória da UEFA Champions League contra o FC Shirak, da Arménia.

Mais indicações do crescimento do futebol de San Marino foram as visitas oficiais à FSGC de delegações da FIFA, em Outubro de 2000, e da UEFA, em Novembro de 2005. O recém-eleito Presidente da UEFA, Michel Platini, visitou San Marino em 2008 para inaugurar a Casa do Futebol, sede da federação de San Marino.

Entre 2004 e 2009, a FSGC conduziu um projecto ambicioso de renovação das infra-estruturas desportivas com a construção de relvados artificiais da terceira e quarta gerações. O sinal claro do progresso foi o aparecimento do primeiro campo de relva natural reforçada no Estádio Olímpico de Serravalle.

Em Novembro de 2014, a selecção principal, treinada por Pierangelo Manzaroli, amealhou o primeiro ponto de sempre numa qualificação para o Campeonato da Europa da UEFA, ao empatar 0-0, em casa, diante da Estónia, terminando assim a série de 61 derrotas seguidas.

Topo