Qualificação europeia para Lille e Lyon

O Lille garantiu o terceiro lugar e o apuramento para a UEFA Champions League graças à vitória sobre o Lorient, enquanto o Lyon assegurou o acesso à UEFA Europa League.

O Lyon comemora o golo de Bakary Koné ante o Nice
O Lyon comemora o golo de Bakary Koné ante o Nice ©AFP/Getty Images

O LOSC Lille garantiu o terceiro lugar e o apuramento para a UEFA Champions League, graças a uma vitória por 4-1 em casa do FC Lorient, enquanto o Olympique Lyonnais assegurou a participação na UEFA Europa League mercê de um triunfo magro sobre o OGC Nice.

O AS Saint-Étienne pressionava o Lille, e nesta última jornada recebia o já despromovido AC Ajaccio no Stade Geoffory-Guichard, na esperança de ganhar e aproveitar um deslize dos "dogues" para chegar ao terceiro posto. Loïc Perrin bisou e permitiu ao St-Étienne cumprir a sua parte, mas o Lille também prevaleceu – apesar de ter estado em desvantagem devido a um golo de Jérémie Aliadière.

Frente à equipa de Raphael Guerreiro (titular) e Pedrinho (suplente não-utilizado), Salomon Kalou marcou antes e depois de um golo de Nolan Roux. Um autogolo de Grégory Bourillon selou uma vitória que recoloca a equipa de René Girard na principal competição europeia.

Entretanto, o tento de Bakary Koné, aos cinco minutos, foi decisivo, já que o Lyon, com Anthony Lopes na baliza, deu a Rémi Garde uma despedida para recordar, batendo o Nice no último jogo do seu treinador no comando.

O Évian-Thonon-Gaillard FC preservou o seu estatuto de primo-divisionário ao vencer o FC Sochaux-Montbéliard num jogo de tudo ou nada. Daniel Wass acalmou os nervos do Évian com um golo madrugador, golpe do qual o Sochaux nunca mais recuperou. Aldo Angoula fez o segundo antes do intervalo, cabendo a Wass bisar e garantir que a excelente série de resultados do Sochaux terminasse da pior forma possível. 

Nos outros jogos do dia, o golo de Lucas Ocampos no empate do AS Monaco FC (Ricardo Carvalho foi titular e João Moutinho não saiu do banco de suplentes) com o FC Girondins de Bordeaux permitiu à equipa do principado somar 80 pontos - mais um do que o recorde do clube, estabelecido em 1997, quando se sagrou campeão. Foi o último jogo de Francis Gillot à frente do Bordéus.