O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Stanley Matthews: Feiticeiro do Drible

No dia em que faria 100 anos, o UEFA.com recorda a vida de Stanley Matthews, extremo de Inglaterra vencedor inaugural do prémio de Futebolista Europeu do Ano.

Stanley Matthews com a medalha de vencedor da Taça de Inglaterra de 1953
Stanley Matthews com a medalha de vencedor da Taça de Inglaterra de 1953 ©Popperfoto/Getty Images

"Ensinou-nos como o futebol deve ser jogado." Não podia haver melhor elogio. O facto de Pelé ter dito isto de Stanley Matthews é elucidativo do impacto causado pelo antigo internacional de Inglaterra.

O que Matthews, nascido faz hoje 100 anos, podia fazer com a bola nos pés pode ser resumido nas alcunhas "O Feiticeiro do Drible" e "O Mágico".

Stanley Matthews ao serviço do Stoke
Stanley Matthews ao serviço do Stoke©Getty Images

Numa carreira que durou três décadas e compreendeu duas passagens pelo Stoke City FC, uma pelo Blackpool FC e 11 golos em 54 jogos pelo seu país, Matthews deslumbrou multidões. Realizou o seu último jogo oficial aos 50 anos e participou no Campeonato do Mundo de 1950 e 1954, mas uma exibição sobressai em relação a todas as outras: a final da Taça de Inglaterra de 1953.

Diante de 100.000 espectadores em Wembley, Matthews foi o catalisador de uma recuperação notável do Blackpool, de uma derrota por 3-1 para um triunfo por 4-3, num jogo que passou a ser conhecido como a "final de Matthews.".

Se os seus feitos nesse dia capturaram o imaginário do país, Matthews foi reconhecido internacionalmente em 1956, quando venceu a edição inaugural do prémio de Futebolista Europeu do Ano.

Em declarações à BBC Radio 5 Live, em 1995, Matthews falou sobre o seu percurso: "Eu adorava jogar. Inclusive costumava ir ao talho e pedir uma bexiga de porco, enchê-la de ar e jogar com ela. Às vezes até jogava de noite, com fraca iluminação".

Tamanha dedicação a aperfeiçoar a sua técnica abriram caminho para a longa ligação de Matthews ao Stoke, que representou entre 1932 e 1947, e depois de 1961 a 1965, conquistando o título do segundo escalão inglês em cada ocasião.

A sua longevidade deve muito à devoção ao treino e a uma dieta rígida. A 15 de Maio de 1957, com 42 anos e 103 dias, Matthews tornou-se no jogador mais velho a representar a Inglaterra, numa vitória por 4-1 sobre a Dinamarca.

"Queria jogar o máximo de tempo possível porque estava apaixonado pela modalidade", disse numa entrevista à Federação Inglesa de Futebol (FA).

A estátua de Stanley Matthews em Stoke
A estátua de Stanley Matthews em Stoke©Getty Images

Um mês antes do seu último jogo no campeonato, a 6 de Fevereiro de 1965, foi ordenado cavaleiro pela Rainha devido aos serviços prestados ao desporto.

Matthews, que chegou a abraçar a carreira de treinador, morreu a 23 de Fevereiro de 2000, com 85 anos. Cerca de 100.000 pessoas perfilaram-se nas ruas de Stoke para prestarem homenagem à medida que o seu cortejo fúnebre passava. As suas cinzas foram enterradas por baixo do círculo central no Stoke Stadium, que tinha inaugurado em Agosto de 1997. "Durante mais de 80 anos o futebol foi parte integrante da minha vida", escreveu na sua autobiografia. "Amei o futebol profundamente." Os cidadãos de Stoke, e não só, teriam dito o mesmo acerca dele.