Panico: "Não escolhi este desporto, o futebol escolheu-me"

Patrizia Panico, jogadora italiana de 41 anos e embaixadora da final da Women's Champions League, recordou a estreia como futebolista e falou sobre as virtudes do desporto.

Patrizia Panico esteve à conversa com o UEFA.com
Patrizia Panico esteve à conversa com o UEFA.com ©UEFA.com

Numa entrevista em vídeo antes da final da UEFA Women's Champions League, de quinta-feira, a veterana Patrizia Panico, atacante do AGSM Verona e da selecção de Itália, fala da forma como começou a jogar, da maternidade e do desporto, assim como do futebol como uma forma de desenvolvimento pessoal e social.

O que a atraiu para o futebol?

Na verdade não fui eu que escolhi este desporto. Eu praticava natação, antes de começar no futebol. O meu sonho sempre foi ter oportunidade de jogar futebol num clube perto de casa. Considero que foi o futebol que me escolheu.

Que valores associa ao futebol?

O futebol pode ensinar muito, pois é um desporto colectivo. Isso permite-nos partilhar os bons momentos, mas também a responsabilidade. Claro que é muito importante levá-lo a sério e que no grupo exista a capacidade de nos ajudarmos umas às outras. Este é um dos aspectos mais importantes do futebol, de qualquer desporto colectivo. Quando estamos em dificuldades, há sempre um colega de equipa que nos pode ajudar e vice-versa, sempre que um dos nossos colegas tem problemas.

Clique aqui para ver a entrevista completa a Patrizia Panico (em inglês).

Topo