Popularidade do futebol feminino continua a crescer

O Dia Internacional da Mulher celebrou-se e o relatório da UEFA sobre futebol feminino nas federações-membro comprova o crescimento dessa vertente da modalidade.

A popularidade do futebol feminino tem conhecido uma crescente evolução
A popularidade do futebol feminino tem conhecido uma crescente evolução ©UEFA.com

O Dia Internacional da Mulher celebrou-se, pelo que olhamos para o crescimento da popularidade do futebol feminino na Europa com o apoio da UEFA, através de um intenso trabalho de desenvolvimento levado a cabo pelas federações.

O Relatório da UEFA "Futebol Feminino nas Federações Nacionais 2014-15" (em inglês) compila dados e informação enviada à UEFA pelas 54 federações-membro, apresentando dados gerais sobre o crescimento da vertente feminina da modalidade e uma série de factos sobre a realidade de cada uma das federações de futebol da Europa.

"Pela primeira vez, oito selecções europeias estarão na fase final do Campeonato do Mundo Feminino da FIFA", destaca o relatório. "Com o aumento de recursos aplicados por muitas das federações no desenvolvimento do futebol feminino, é natural que o nível entre a elite tenha melhorado, mas nada disso seria possível sem uma base sólida."

Verificou-se, efectivamente, um aumento de quatro por cento no número de jogadoras federadas, cifrando-se esse número agora no 1.208.558, cinco vezes maior do que era em 1985. São cada vez mais as jovens a jogar futebol e o maior desafio das federações, pode ler-se no relatório, não passa apenas por promover o futebol feminino, mas também por mantê-las ligadas à modalidade no longo-prazo.

O número de futebolistas adultas também está a crescer. São 30 os países com mais de mil jogadoras federadas e em sete países – Dinamarca, França, Alemanha, Holanda, Noruega e Suécia - esse número é superior a 60.000. Para além disso, 51 das 53 federações que integram a UEFA contam já com uma Liga feminina.

Tem havido igualmente muito empenho na tentativa de recrutar árbitras e treinadoras. O relatório mostra que existem já 7461 árbitras qualificadas. Porém, o mundo do futebol feminino é ainda dominado por homens no que diz respeito a treinadores, pelo que um desafio assumido pela UEFA passa por potenciar a qualificação de treinadoras. Neste momento, são cerca de dez mil as mulheres com Licença nacional C e a esperança é que mais mulheres procurem obter qualificação superior como treinadores no futuro.

Ao longo do último ano, um total de 1963 mulheres trabalhavam nas federações nacionais de futebol, mais 300 do que no ano anterior, representando já 30 por cento do total de funcionários de todas as federações nacionais que integram a UEFA. Dessas mulheres, 366 trabalham nos quadros de gestão ou superiores. A UEFA continuará a monitorizar de perto todos estes números, agora com ainda maior interesse dado o seu ambicioso Programa de Desenvolvimento de Liderança Feminina no Futebol (WFLP), o qual visa ajudar mais mulheres a chegarem a lugares de destaque na modalidade.

Topo