Eslovénia e San Marino destacam-se na Carta das "Raízes"

Os membros da Carta das "Raízes" da UEFA continuam a aumentar, com o estatuto da Eslovénia melhorado e San Marino a juntar-se ao grupo numa cerimónia em Chipre.

O vice-presidente da federação de San Marino, Pier Luigi Ceccoli (à esquerda), e o presidente Giorgio Crescentini (terceiro da esquerda) juntam-se a Michel Platini e Gianni Infantino na assinatura da Carta das "Raízes" da UEFA
O vice-presidente da federação de San Marino, Pier Luigi Ceccoli (à esquerda), e o presidente Giorgio Crescentini (terceiro da esquerda) juntam-se a Michel Platini e Gianni Infantino na assinatura da Carta das "Raízes" da UEFA ©UEFA.com

O Comité Executivo da UEFA elevou a Eslovénia a membro de três estrelas da Carta das "Raízes" da UEFA.

A carta, criada em 2004, representa o compromisso das federações nacionais para com o programa das "raízes", com a Eslovénia – uma das 51 das 53 federações que assinaram a carta – a ver a consolidação do seu programa valer-lhe o estatuto de três estrelas.

Outro membro da UEFA, San Marino, que fora ratificado como membro na anterior reunião do seu Comité Executivo, assinou a carta numa cerimónia que teve lugar na conferência entre a UEFA e as suas federações, que decorreu em Chipre, em Setembro.

À medida que a UEFA continua a motivar, estimular e apoiar as suas federações no reforço do apoio aos programas de "raízes", assinar este documento significa que um país reúne os critérios mínimos para poder entrar neste nível de base.

O nível máximo da Carta das "Raízes" da UEFA é de sete estrelas, destinado às federações que apliquem o programa na totalidade. As estrelas são atribuídas conforme o grau de excelência nas áreas específicas do programa, que incluem projectos especiais para futebol para deficientes, número de participantes, aposta no futebol para raparigas e mulheres e a promoção do futebol das "raízes".

Topo