Terim aborda condição física em Istambul

O treinador da Turquia, Fatih Terim, foi convidado especial do seminário UEFA "Fitness" para o Futebol e deu uma perspectiva sobre a importância da condição física de alto nível.

Fatih Terim foi convidado especial no seminário da UEFA, em Istambul
Fatih Terim foi convidado especial no seminário da UEFA, em Istambul ©UEFA

Numa entrevista com o responsável pelos serviços educativos da UEFA, Frank Ludolph, no segundo seminário da UEFA "Fitness para o Futebol", em Istambul, o treinador da Turquia, Fatih Terim, disse aos participantes que pretende "trabalhar em harmonia" com a sua equipa médica, de modo a manter os jogadores aptos. 

Terim vai agora acumular funções, como treinador do Galatasaray AŞ e da selecção do seu país, após aceitar este último cargo pela terceira vez na sua carreira, no mês passado. No entanto, o técnico seis vezes vencedor da Süper Lig disse à audiência, composta por representantes de 17 das 54 federações-membro da UEFA, que apesar da natureza do seu trabalho no clube e na selecção serem diferentes, a sua forma de lidar com assuntos da vertente física é igual.

"A condição física é um extra no futebol e a sua importância aumenta diariamente", explicou. "O meu objectivo é que todos trabalhem em harmonia – em sinergia – antes, durante e após o jogo. O departamento médico é uma ponte entre mim e os jogadores. Preparamos calendários de treino juntos, olhamos para o risco mínimo de lesão e tentamos maximizar o desempenho, incluindo a recuperação. O meu departamento médico trabalha em diversas situações ao longo da época e, para além disso, coordenamos e planeamos objectivos a curto e longo-prazo. Fazemos tudo isto em conjunto."

A forma de actuar de Terim trouxe sucesso para si e para os clubes que orientou, incluindo uma Taça UEFA, ao serviço do Galatasaray, em 1999/2000, e também se enquadra na perfeição na filosofia que o Grupo de Trabalho de "Fitness" da UEFA promove. Força-motriz por detrás dos seminários, o grupo já tinha transmitido essa mensagem aos delegados presentes na Turquia, tal como tinha feito em Oslo, no primeiro seminário-piloto, na Primavera passada, e que repetirá no terceiro e último seminário, no próximo ano.

O ênfase de Terim na comunicação interna foi um dos temas-chave do seminário, ao mesmo tempo que a utilização, não só de conhecimento especializado, mas também de peritos médicos e em "fitness" no seu ambiente de trabalho, para que possam colaborar consigo, também fez parte da mensagem principal.

"Tenho preferido trabalhar com especialistas ao longo da minha carreira", explicou Terim. "Quero reacções à forma como monitorizamos as situações. Comparamos os dados, analisamo-los, colocamo-los numa base de dados, e – enquanto equipa – decidimos como proceder e evoluir, com base nessas variáveis. A equipa médica é parte do meu 'staff'."

Terim foi apenas um dos oradores de renome a participar no seminário, onde inicialmente foi transmitido aos delegados um resumo da filosofia "Fitness" para o Futebol, que destaca a necessidade de treino específico para ajudar os jogadores a melhor expressarem as suas qualidades, antes de embarcarem na exploração teórica e prática do tema.

Jan Ekstrand, primeiro vice-presidente do Comité Médico da UEFA, e o antigo médico do Real Madrid CF, Luis Serratosa, falaram sobre a prevenção de lesões no futebol, desde a elite até aos escalões de formação. Já o treinador de "fitness" da Federação Alemã de Futebol (DFB), Darcy Norman, cooperou com o membro do grupo de trabalho de "fitness" da UEFA, Paul Balsom, em sessões práticas realizadas no estádio de uma equipa de terceira divisão, nas imediações, onde os participantes puderam testemunhar exercícios específicos direccionados para o futebol.

Após terem recolhido reacções do seminário inaugural, a equipa orientadora do seminário também encorajou fortemente os participantes a contribuírem com os seus pensamentos e ideias. Quatro federações – Sérvia, Israel, Hungria e Malta – foram convidadas a apresentar as suas estratégias para o desenvolvimento de jogador a longo-prazo nos respectivos países, antes das sessões do último dia servirem para recapitular os quatro dias do evento na Turquia e apontarem a direcção do trabalho futuro nesta área.

"Correu muito bem. Melhorámos em relação ao primeiro e penso que aprendemos algo aqui que vai ser benéfico para o terceiro seminário", disse Andreas Morisbak, instrutor técnico da UEFA e membro do grupo de trabalho de "fitness" da UEFA. Este sugeriu ainda que colocar um ponto final na percepção de que o assunto pode ser resolvido com uma solução padronizada pode ser o legado do seminário.

"Talvez, em demasiadas ocasiões, as pessoas queiram um guia prático sobre o que fazer exactamente, mas para esta área específica não há. Existem alguns princípios que é preciso aceitar e executar. Mas depois é preciso estabelecer prioridades e trabalhar bastante sobre elas. Um processo de aprendizagem é longo. O problema para a maioria é criar um plano e manter-se fiel a ele durante tempo suficiente. Alguns dos participantes querem um livro de estudo, mas espero que tenhamos mudado essa forma de pensar com este seminário."

Topo