Futebol e condição física

Representantes de 17 federações-membro da UEFA reuniram-se em Istambul para o Seminário do "Fitness" para o Futebol e discutiram como o trabalho para o futebol ajuda num melhor desempenho.

O director-técnico da UEFA Ioan Lupescu, no uso da palavra, em Istambul
O director-técnico da UEFA Ioan Lupescu, no uso da palavra, em Istambul ©UEFA

O director-técnico da UEFA, Ioan Lupescu, apelou aos delegados para acreditarem nas suas ideias e difundirem o seu conhecimento, na sessão de boas-vindas ao segundo seminário-piloto vocacionado no "Fitness" para o futebol, esta segunda-feira.

Depois do sucesso da edição inaugural, que decorreu em Oslo, em Março, que envolveu representantes de 19 países, mais 17 das 54 federações-membras da UEFA reuniram-se em Istambul para partilhar experiências e conhecimentos junto dos colegas do centro e sudoeste da Europa, a que se juntaram um rol de peritos na área do treino específico de "fitness" para o futebol.

"Em tudo o que fazemos, usamos sempre os valores institucionais da UEFA. São 11 no total, encabeçados pelo "futebol primeiro", que é, também, o mais importante. Todos os nossos programas são alicerçados nesse princípio", explicou Lupescu, antes de encorajar à pro-actividade dos participantes. "Não sejam tímidos; deverão ser vocês a desafiar-nos. Avancem com as vossas ideias. Queremos interactividade e que coloquem questões aos nossos peritos".

O antigo internacional romeno deu o mote para os quatro dias de seminário, procurando fomentar o diálogo entre os formadores de treinadores e os peritos de "fitness" para a área do futebol que - depois de efectuada a terceira reunião do género com as federações da UEFA do leste europeu, no próximo ano -  irão servir de base para que o Painel Jira da UEFA tire as suas conclusões no que respeita à formação de quadros técnicos no cenário europeu, na área do "fitness" virada para o futebol.

Entre os oradores convidados, contam-se o recém-empossado seleccionador da Turquia, Fatih Terim, o antigo médico do Real Madrid CF, Luis Serratosa, bem como o preparador-físico da selecção da Alemanha, Darcy Norman. Os delegados vão ter a oportunidade de expressar os seus pontos de vista e comparar dados com os seus colegas, que vieram de vários quadrantes dentro do futebol, como treinadores de "fitness", cientistas e peritos técnicos.

"Isso foi uma das coisas que aprendemos do primeiro seminário", afirmou Paul Balsom, um dos membros do grupo de trabalho sobre fitness da UEFA e líderes do seminário, que exerce funções como gestor de desempenho da Federação Sueca de Futebol desde 1998, quando solicitou as 11 respostas aos membros das federações participantes no questionário Fitness para o Futebol, antes da sua chegada à Turquia. "Uma das coisas que nos chegou é que não havia interacção suficiente entre nós e vocês. Não se trata apenas de um perito estar aqui a falar para vocês. Trata-se sim de nós falarmos uns com os outros",

Foi também distribuído uma brochura sobre formação em condição física chamado 'Fitness para o futebol - Reflectindo sobre uma filosofia", tema este que será discutido durante todo o seminário. Andreas Morisbak, que foi director-técnico da Federação Norueguesa de Futebol durante 32 anos, destacou a necessidade do "fitness" vocacionado para o futebol, como veículo para ajudar os jogadores a explorarem o seu talento até ao máximo.

"Quanto melhor preparados estivermos do ponto de vista físico, melhor se pode usar o nosso potencial. Se estivermos cansados ao fim de dez minutos, sabemos o que acontece do ponto de vista técnico. Precisamos de optimizar a condição física de modo a usarmos os nossos recursos técnicos durante os 90 minutos. "Fitness" para o futebol é uma coisa, e o "fitness" é outra. Não se trata de resistência no geral, mas sim, resistência na prática do futebol. Não é velocidade no geral, é sim velocidade a jogar futebol. É isto fundamentalmente".

Com sessões teóricas e práticas, os participantes vão ser capazes de verificar e colocar os pontos discutidos em prática no relvado. Irão ainda escutar as palavras do professor Jan Ekstrand, primeiro vice-presidente do Comité Médico da UEFA e de Luis Serratosa, sobre prevenção de lesões em todos os níveis do futebol, outra faceta importante no desenvolvimento do "fitness" vocacionado para o futebol.

"Queremos a melhor qualidade em cada e em todas as fases do processo de treino", disse no seminário Sigmund Apold-Aasen, membro do grupo de trabalho sobre fitness da UEFA e director de filosofia do Centro Norueguês de Futebol de Elite."'Qual é o treino adequado para o futebolista nos tempos que correm? É esta a questão que deverão colocar. Que métodos de treino poderão baixar os factores de risco e melhorar o desempenho".

Topo