Treinadores reflectem sobre o EURO

O secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino, elogiou o sucesso do UEFA EURO 2012, mas disse na Conferência de Treinadores de Selecções da UEFA que "nunca devemos descansar depois do sucesso".

Vicente Del Bosque é agraciado por Gianni Infantino durante a Conferência de Treinadores de Selecções da UEFA, em Varsóvia
Vicente Del Bosque é agraciado por Gianni Infantino durante a Conferência de Treinadores de Selecções da UEFA, em Varsóvia ©Getty Images

Os treinadores principais e directores-técnicos das selecções nacionais europeias reuniram-se com a UEFA em Varsóvia para recordarem o UEFA EURO 2012, disputado na Polónia e na Ucrânia, ao mesmo tempo que abrem caminho para o futuro.

A décima Conferência de Treinadores de Selecções da UEFA proporciona ao organismo que tutela o futebol europeu a oportunidade para elogiar os técnicos e as suas equipas por terem feito da competição um assinalável sucesso. Destaque para a campeã da Europa Espanha e para o seu treinador, Vicente del Bosque, que foram homenageados pelos seus colegas pelo último da sua série de títulos no cenário internacional.

"A Polónia e a Ucrânia podem estar muito orgulhosas pelo enorme sucesso deste torneio por si organizado", disse o secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino, no uso da palavra, em Varsóvia. "Podemos afirmar com segurança que 'Juntos Criámos História', este Verão.

"Queria ainda destacar que a UEFA está especialmente orgulhosa da qualidade do futebol que foi exibido, bem como a respeitosa atitude demonstrada pelos jogadores e dirigentes, dentro e fora do campo, em particular relativos às equipas de arbitragem".

O UEFA EURO 2012 deu ainda um grande exemplo da paixão que os jogos entre as selecções emanam, continuou Infantino, " e que continuam em alta na Europa. Isto ficou demonstrado pelo elevado nível dos jogos durante o UEFA EURO 2012. A UEFA acredita muito nas competições de selecções como fonte de identidade e orgulho nacionais, constituindo ainda uma fascinante montra do futebol de um país e dos seus jogadores. As selecções nacionais de futebol unem os países. As selecções nacionais de futebol são aquilo que faz os nossos corações bater.

"Mas como treinadores e peritos técnicos", continuou o secretário-geral da UEFA, "estamos plenamente conscientes que o futebol é uma história interminável e que não podemos descansar depois de alcançado o sucesso. É com este forte desejo de desenvolver o jogo e provar o seu sucesso que todos vós começaram agora as qualificações para o Campeonato do Mundo de 2014.

"Todos vocês têm um papel fundamental no desenvolvimento com sucesso dos jogadores. Estão na linha-da-frente para identificar as tendências no jogo do ponto de vista técnico e táctico que apontam para o futebol de amanhã e que permitirão ao mundo de futebol a descoberta de jovens talentos que se vão tornar nas estrelas do futuro.

O director técnico da UEFA, Andy Roxburgh, deu o mote para as conversações em Varsóvia. O Campeonato da Europa é uma das principais referências no futebol mundial, juntamente com o Campeonato do Mundo e a UEFA Champions League. "O [UEFA EURO 2012] foi um enorme sucesso", disse. "As razões foram muitas – jogo positivo, boas arbitragens, atitudes positivas, grande ambiente, sem 'doping', num torneio que foi muito competitivo do princípio ao fim".

A Espanha e Del Bosque, o seu seleccionador, voltaram a destacar-se este Verão. "Houve vários aspectos positivos no sucesso da Espanha", disse Roxburgh. "A sua mentalidade, a filosofia, o presidente [da federação], o treinador, o restante corpo técnico e a atitude. O seu intenso trabalho na formação de jogadores e treinadores tem sido decisiva. Tudo isto não aconteceu por acaso - foi tudo pensado.

"A química entre o grupo, as opções à sua disposição na selecção e ainda o talento", acrescentou. "Isto foi uma mentalidade vencedora". Para além disso, o grande comando da equipa por parte de Del Bosque, as suas qualidades humanas e sabedoria, a sua liderança e a calma sob pressão foram fundamentais para a Espanha conquistar o terceiro grande troféu na Polónia e Ucrânia, depois do UEFA EURO 2008 e Mundial 2010 – "um notável 'hat-trick", disse Roxburgh.

Topo