O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Programa de intercâmbio de treinadores prossegue com êxito

O primeiro seminário da segunda época do programa de intercâmbio de treinadores candidatos à Licença Pro, em Nyon, contou com a presença de técnicos de quatro países, com alguns nomes famosos.

Treinadores candidatos à Licença Pro da UEFA durante o curso realizado esta semana, em Nyon
Treinadores candidatos à Licença Pro da UEFA durante o curso realizado esta semana, em Nyon ©UEFA

Um grupo de 90 treinadores candidatos à Licença Pro emitida pela UEFA juntou-se em Nyon para o primeiro curso da segunda época do programa de intercâmbio de formação de treinadores da UEFA.

Entre os presentes estiveram algumas caras bem conhecidas, como o holandês Giovanni van Bronckhorst, vencedor da UEFA Champions League com a camisola do FC Barcelona em 2006, ou o internacional croata Niko Kovač, que conquistou três troféus ao serviço do FC Bayern München, durante a sua ilustre carreira na Bundesliga.

Ao longo dos quatro dias de duração do evento, que decorreu no "quartel-general" da UEFA, em Nyon, as delegações holandesa e croata tiveram a companhia de grupos de candidatos à Licença Pro oriundos da Sérvia e da Eslovénia. "Pode aprender-se muito com outros países, com outros treinadores e com outros estilos", salientou Van Bronckhorst. "Assim, eventos como estes são muito importantes para mim e é sempre bom marcar presença. Penso que é fantástico a UEFA juntar vários países desta forma, pois isso ajuda-nos a tornarmo-nos melhores treinadores."

As discussões levadas a cabo durante o evento centraram-se nos encontros de terça e quarta-feira da UEFA Champions League, tendo sido pedido aos presentes que exercitassem as suas técnicas de análise de jogo em quatro das partidas disputadas. Antes, o dinamarquês Peter Rudbæk e o inglês Howard Wilkinson, responsáveis pela condução do curso, falaram com os treinadores presentes sobre as tendências técnicas que emergiram das mais recentes grandes competições, o UEFA EURO 2012 e a UEFA Champions League 2011/12.

O técnico francês Jacques Crevoisier realizou também uma apresentação sobre o perfil do treinador de topo nos dias que correm, enquanto Wilkinson falou da dedicação necessária à profissão de treinador, destacando as exigências que estes têm de enfrentar na linha da frente do futebol.

Grande parte do curso, porém, decorreu no local onde os treinadores passarão grande parte das suas vidas - o centro de treinos. Nos relvados do Stade de Colovray, parte integrante do complexo de infra-estruturas da UEFA, os candidatos à Licença Pro tiveram a missão de planear e executar uma série de sessões práticas. E foi interessante constatar as questões rotinas que eles optaram por abordar.

Os candidatos croatas centraram atenções na criação e exploração de espaços em lances de posse de bola em progressão, enquanto os sérvios se concentraram na posse de bola e nas acelerações do ritmo de jogo; os eslovenos debruçaram-se sobre a construção de jogo num sistema táctico de 4-2-3-1 e os holandeses focaram-se nas transições defesa-ataque. A cada sessão seguiu-se um 'brieffing', com vista a destacar as áreas a melhorar.

Contudo, o denominador comum nos eventos de formação de treinadores da UEFA é a preparação dos treinadores do futuro para a realidade da profissão que escolheram. Assim, ao terceiro dia, o antigo internacional inglês Gareth Southgate subiu a palco para dar uma entrevista na qual ilustrou, com enorme franqueza, as dificuldades que encontrou quando passou directamente de jogador para treinador no Middlesbrough FC, numa altura em que ainda se encontrava em professo de formação enquanto técnico.

"Trata-se de uma grande mudança em relação àquilo que estamos habituados a ter", comentou Kovač. "Fizemos os nossos cursos das Licenças A e B e eu, pessoalmente, já tenho três anos de experiência como treinador. Mas estou encantado com o que tivemos oportunidade de ver e experimentar durante este curso."