O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Liga irlandesa feminina apresentada em Dublin

O financiamento da UEFA ao futebol feminino continua a fazer a diferença e o lançamento da Liga feminina da Irlanda constitui o mais recente exemplo.

A coordenora de futebol feminino da UEFA, Emily Shaw, o director executivo da FAI, John Delaney, e a embaixadora Steffi Jones marcam o lançamento da Liga Nacional Feminina Irlandesa, em Dublin
A coordenora de futebol feminino da UEFA, Emily Shaw, o director executivo da FAI, John Delaney, e a embaixadora Steffi Jones marcam o lançamento da Liga Nacional Feminina Irlandesa, em Dublin ©Sportsfile

A República da Irlanda tornou-se no mais recente país da Europa a lançar uma Liga feminina com o apoio financeiro da UEFA.

A Bus Éireann Women's National League começa em Novembro e contará com seis clubes que aceitaram o convite para participarem na prova: Peamount United, Castlebar Celtic FC, Cork Women's FC, Raheny United FC, Shamrock Rovers FC e Wexford Youths Women's AFC.

Steffi Jones, recentemente nomeada embaixadora do programa de desenvolvimento do futebol feminino da UEFA (WFDP), falou no lançamento da prova, em Dublin: "Iniciar uma Liga nacional é um passo essencial para o desenvolvimento do futebol feminino na Irlanda. Jogar nas competições de clubes é a porta de entrada para o futebol de selecções e assegura um futuro estável para o futebol feminino, assim como serve de incentivo às raparigas de todo o país."

O vencedor da nova competição representará a Irlanda na UEFA Women's Champions League de 2012/13, cuja final está marcada para Londres. A final desta época disputa-se a 17 de Maio de 2012, em Munique, com os oitavos-de-final agendados para 2 de Novembro. O Peamount registou a melhor série da Irlanda na presente temporada, ao chegar aos 16 avos-de-final, antes de ser eliminado pelo Paris Saint-Germain FC.

A seleccionadora irlandesa, Sue Ronan, salientou a importância da existência de um campeonato para a evolução do futebol feminino: "Uma Liga nacional era o elo que faltava no trajecto que as jogadoras seguem nas respectivas carreiras. Preencher essa parte significa que as nossas jogadoras terão agora a experiência de jogar uma competição ao mais alto nível em casa, em vez de terem de viajar até ao estrangeiro para ter uma experiência assim."

"Foi efectuado, ao longo dos últimos cinco anos, um enorme trabalho de formação ao nível das camadas jovens, que resultou num enorme crescimento no número de jogadores federados – duplicando de 10.500 para cerca de 22.000 durante esse período. Agora, poderemos ver muitas dessas jogadoras evoluírem na Liga, onde terão a oportunidade de defrontarem as melhores e cumprirem o seu potencial".

A Federação Irlandesa de Futebol (FAI) foi uma das quatro federações nacionais a receber fundos da UEFA durante a primeira fase-piloto do WFDP durante a época de 2010/11. As restantes federações foram a italiana, a portuguesa e a eslovaca. O director da UEFA para as federações nacionais e secretário-geral adjunto, Theodore Theodoridis, disse: "A UEFA está orgulhosa por ver o futebol feminino continuar a evoluir entre as federações suas filiadas. O lançamento desta Liga na Irlanda, em cooperação com a FAI, é outro exemplo concreto de que os fundos reservados pela UEAF para o desenvolvimento do futebol feminino fazem mesmo a diferença."

Em Dezembro último, o Comité Executivo da UEFA aprovou a distribuição de fundos para o WFDP do seu programa de assistência HatTrick – essa fase-piloto inicial de 2010/11 viu a distribuição de 50 mil euros a cada uma das quatro federações. A partir deste mês arranca a fase-piloto de 2010/11: com o WFDP a ter maior orçamento, o financiamento das federações filiadas será aumentado de quatro para um número ilimitado, dado o crescente aumento de interesse.

Entretanto, de Julho de 2012 a 2016, todas as federações nacionais receberão 100 mil euros por ano, a serem utilizados especificamente no desenvolvimento do futebol feminino e sob os auspícios do programa HatTrick III. Isto representa um investimento total de 22 milhões de euros e uma demonstração do compromisso da UEFA com esta vertente do futebol.

A FAI também beneficiara, em 2008, do financiamento de 316 mil euros para o futebol feminino através do programa HatTrick II. Como consequência, pôde levar a efeito o programa Soccer Sisters em 70 locais do país, destinado a mais de 1500 raparigas com idades compreendidas entre os sete e os 11 anos.