VAR pronto para a fase final da UEFA Nations League

O VAR vai ser usado pela primeira vez numa prova de selecções da UEFA na Fase Final da Nations League, em Portugal; os treinadores dos finalistas receberam informações e falaram sobre os seus benefícios.

VAR (Vídeo Árbitro Assistente)
VAR (Vídeo Árbitro Assistente) ©Sportsfile
Em Abril, a UEFA realizou uma sessão de esclarecimento sobre o VAR com os seleccionadores dos finalistas da Fase Final da UEFA Nations League
Em Abril, a UEFA realizou uma sessão de esclarecimento sobre o VAR com os seleccionadores dos finalistas da Fase Final da UEFA Nations League©UEFA

Após testes tecnológicos bem-sucedidos e a formação de árbitros nos últimos meses, o sistema de Vídeo-Árbitro (VAR) foi utilizado na fase a eliminar da UEFA Champions League e na final da UEFA Europa League. Os mesmos princípios serão aplicados na Fase Final da edição inaugural da UEFA Nations League, que arranca a 5 de Junho e contará com a participação de Inglaterra, Portugal, Suíça e Holanda.

Para que os treinadores estejam preparados para a implementação do VAR, em Abril a UEFA prestou esclarecimentos aos seleccionadores dos países finalistas, com estes a receberem informações detalhadas sobre o funcionamento do sistema por parte de Roberto Rosetti, responsável pela arbitragem da UEFA.

Ronald Koeman, seleccionador da Holanda: "O VAR é uma boa ajuda para tornar o futebol mais justo e a maioria dos erros serão corrigidos. Obviamente que é algo positivo. Temos de perceber, no entanto, que as discussões vão continuar a existir, porque muitas vezes as acções podem ser interpretadas de várias maneiras. Considero que o VAR só deve lidar com as questões importantes e óbvias, em vez de procurar incessantemente por eventuais erros".

Inglaterra, Portugal, Suíça e Holanda vão lutar pelo título.
Inglaterra, Portugal, Suíça e Holanda vão lutar pelo título.©Sportsfile

Vladimir Petković, seleccionador da Suíça: "Estou muito optimista com a introdução do VAR. Se tivermos meios técnicos para ajudar os árbitros no seu trabalho, devemos dar-lhe a melhor utilização possível. É importante, no entanto, que no final continue a ser um homem a decidir e não uma máquina".

Fernando Santos, seleccionador de Portugal: "Considero que a introdução do VAR na UEFA Nations League representa um passo em frente para todas as pessoas que gostam de futebol e do 'fair play'. O VAR é uma ferramenta fantástica para todos os árbitros, jogadores e treinadores, devendo ser alargado a todas as competições da UEFA."

Gareth Southgate, seleccionador da Inglaterra: "Tivemos recentemente uma reunião produtiva no Porto e tivemos uma experiência positiva com o VAR no Campeonato do Mundo. A minha sensação é que, a nível nacional e internacional, as decisões importantes foram acertadas. O propósito do VAR é ajudar os árbitros, pois isso considero que tem sido útil. Nunca teremos um sistema que seja 100 por cento infalível, mas as decisões que eram óbvias foram corrigidas. Considero que isso é positivo."

Aqui fica um guia rápido de como vai funcionar na UEFA Nations League.

A equipa VAR vai averiguar erros claros e óbvios em quatro situações passíveis de mudar um jogo
A equipa VAR vai averiguar erros claros e óbvios em quatro situações passíveis de mudar um jogo©Getty Images

• Uma equipa de VAR - composta por Vídeo-Árbitro, um assistente do VAR e dois operadores de vídeo - estará a trabalhar em cada estádio e apoiará o processo de tomada de decisão do árbitro.

• A equipa do VAR irá verificar permanentemente erros claros e evidentes relacionados com quatro situações que podem mudar o jogo:

a. Golos

b. Grandes penalidades

c. Cartões vermelhos

d. Identidades trocadas

• A equipa do VAR irá verificar todas as situações desse género, mas só intervirá no caso de erros claros e evidentes. O árbitro pode parar o jogo enquanto uma decisão está a ser revista.

• Se a revisão do VAR proporcionar provas claras de que existiu um erro grave numa situação que muda o jogo, o VAR pode então pedir ao árbitro para rever a jogada em campo (exibindo a repetição na área de visualização). A decisão final só pode ser tomada pelo árbitro.

As quatro situações que mudam o jogo explicadas

A UEFA introduziu o VAR pela primeira vez na fase a eliminar da UEFA Champions League 2018/19
A UEFA introduziu o VAR pela primeira vez na fase a eliminar da UEFA Champions League 2018/19©UEFA.com

• O VAR também pode levar em conta qualquer infracção que possa ter ocorrido imediatamente antes da jogada que conduziu ao incidente (a fase de ataque da jogada).

• Nas decisões "factuais" (por exemplo, foras-de-jogo e faltas dentro ou fora da área), o VAR pode simplesmente informar o árbitro desses factos, não sendo necessária a visualização das imagens em campo, mas é sempre o árbitro que toma a decisão final.

• O processo de visualização em campo será comunicado no estádio utilizando os ecrãs gigantes ou a instalação sonora.

• Por causa da utilização do VAR não haverá árbitros-assistentes adicionais.
Para uma entrevista completa sobre a introdução do VAR com Roberto Rosetti, responsável pela arbitragem da UEFA, por favor clique aqui.

O protocolo sobre quando e como usar o VAR foi definido pelo International Football Association Board, que também define as Leis do Jogo. O protocolo IFAB VAR está disponível aqui.

Topo