Figo, Hjelm e Sedloski distinguidos

Ari Hjelm, Luís Figo e Goce Sedloski foram os mais recentes jogadores a serem distinguidos por terem representado os seus países em 100 ou mais ocasiões.

Luís Figo recebe o seu prémio da UEFA antes do Portugal-Bósnia e Herzegovina
Luís Figo recebe o seu prémio da UEFA antes do Portugal-Bósnia e Herzegovina ©FPF/Francisco Paraíso

A apresentação por parte da UEFA dos prémios destinados aos jogadores que alcançaram 100 ou mais internacionalizações pelos seus países continuou esta semana com as distinções a Ari Hjelm, Luís Figo e Goce Sedloski.

Após as recentes cerimónias realizadas na Holanda, na Ucrânia e em Espanha para distinguirem, entre outros, Edwin van der Sar, Andriy Shevchenko e Iker Casillas, o finlandês Hjelm foi o primeiro centenário a ser honrado com o boné comemorativo e a medalha.

O antigo internacional da Finlândia, actualmente com 49 anos, tornou-se no primeiro jogador do país a atingir os três dígitos de internacionalizações e disse a esse respeito aos delegados presentes na gala anual da Federação Finlandesa de Futebol (SPL-FBF): "Conseguir 100 internacionalizações requer que estejamos permanentemente aptos e em boa forma. Passei vários anos na selecção nacional, 13 ao todo. Poucos da actual selecção desfrutam de tantos."

Figo e Sedloski receberam os seus prémios instantes antes de observarem as respectivas selecções nos jogos de terça-feira. Dono do recorde de 127 internacionalizações por Portugal, Figo teve um duplo motivo para festejar, uma vez que os comandados de Paulo Bento se apuraram para a fase final do UEFA EURO 2012 com um inequívoco triunfo por 6-2 sobre a Bósnia e Herzegovina, no Estádio da Luz, em Lisboa.

"Sinto-me afortunado e feliz por ter sido ovacionado num dia inesquecível para Portugal", disse o actual responsável pelas relações internacionais do FC Internazionale Milano e antigo Jogador do Ano para a FIFA, agora com 39 anos. "Qualificámo-nos com um grande resultado num estádio que não visito muitas vezes, mas onde representei o meu país em muitas ocasiões."

Por sua vez, Sedloski iniciou um novo capítulo na sua vida e, pela primeira vez, sentou-se no banco de suplentes da Antiga República Jugoslava da Macedónia como adjunto do seleccionador John Toshack. Antes do empate sem golos em Prilep, ante a Albânia, Sedloski – que jogou 100 vezes no centro da defesa da selecção macedónia – recebeu a medalha e o boné das mãos do presidente da Federação de Futebol da Antiga República Jugoslava da Macedónia (FFM), Haralampie Hadzi-Risteski.

"Todos os jogos que efectuei pela ARJ da Macedónia foram fonte de enorme prazer para mim", comentou Sedloski, actualmente com 37 anos. "Sempre representei o meu país com todo o meu coração e continuarei a trabalhar da mesma forma na minha carreira de treinador."

Topo